Omar Sosa e Tiganá Santana lançam single de álbum gravado no Brasil

Iroko tem lançamento previsto para o primeiro semestre de 2023. Single “Bloco Novo” estará disponível nas plataformas de áudio e Sesc Digital.

Iroko, guardião da ancestralidade e dos antepassados, é a força das variações meteorológicas e, ao mesmo tempo, floresta centenária. Ou o próprio coletivo de árvores grandiosas; seio da natureza que é morada de todos os Orixás; primeira árvore que se fez plantar na Terra. Em África, Iroko vive na árvore que leva seu nome. No Brasil, onde essa árvore não é nativa, foi-lhe atribuída a grandiosa gameleira branca. Em Cuba, é a “ceiba” – a sumaúma. Trata-se, na diáspora afro-brasileira, do Orixá que equivale, entre os que descendem dos bantos, ao Inquice Kitembu: o vento transformador, a vida, a morte, a árvore como o corpo do tempo.

Iroko é também o nome do álbum que fez descer à Terra, pelas mãos do pianista e compositor cubano Omar Sosa e do compositor e violonista baiano Tiganá Santana, uma reverência em forma de música ao Orixá que presentifica aqueles que vieram antes e o que está por vir; uma saudação ao tempo que pontua histórias passadas e presentes para desenvolver um diálogo afrocentrado em um futuro comum.

Gravado no Brasil, no estúdio Gargolândia, em Alambari (SP), e lançado pelo Selo Sesc, o disco terá seu primeiro single, “Bloco Novo”, disponível ao público a partir do dia 18 de novembro nas principais plataformas e áudio e gratuitamente no Sesc Digital. A faixa convoca a “refazer o afoxé do povo / quando a dor dominar / são as marcas de um bloco novo / que passará”. E vislumbra um futuro que diz respeito ao comum, partilhado em artes musicais – prática espiritual por excelência – ao ecoar “Afoxé vai traçar um destino altivo / pra minha gente morar / todo o medo já foi vencido / por ijexá”.

O projeto do disco teve início a partir do encontro entre Omar e Tiganá, dois artistas negros afro-latinos ligados a tradições espirituais afrodiaspóricas, egressos de dois dos principais polos culturais negros fora da África subsaariana: Brasil e Cuba. Os artistas encontraram-se algumas vezes no Brasil e na Europa, sempre trocando informações quanto à possibilidade de gravar um álbum que explicitasse, por meio do diálogo entre suas obras, os pontos de encontro entre rítmicas, inflexões e criações afro-cubanas e afro-brasileiras com base em princípios artístico-musicais bantos (entre os Congos e Angola) e iorubanos (entre a Nigéria e o Benin). Tais culturas exerceram influência histórica muito relevante no Brasil e em Cuba e se fazem presentes nas suas manifestações culturais contemporâneas.

A respeito do desenvolvimento das composições, Sosa define um processo orientado, sobretudo, pela espontaneidade e pela confluência de concepções: “Nós optamos por um caminho que foi, basicamente, o do encontro: Tiganá gravava o que sentia sem que eu escutasse, e eu gravava o que sentia sem que ele soubesse. Porém, ao nos encontrarmos para a gravação final, ficou bastante claro que nós compartilhávamos uma mesma ideia, que era a de uma reverência, uma homenagem, uma saudação a Iroko”. E Santana complementa: “Fazer um disco, para mim, faz sentido quando o ato não se resume a uma certa ideia pré-concebida a respeito do que seja música; quando é algo que parte de uma ação vital”.

Em formato digital, o álbum “Iroko” tem lançamento previsto para o primeiro semestre de 2023, quando também ocorrerão os shows de estreia na rede Sesc em São Paulo.

Ouça aqui o single “Bloco Novo”

BLOCO NOVO – 5’49”
Autor: Tiganá Santana
Violão-tambor, percussão corporal e voz: Tiganá Santana
Piano e percussão: Omar Sosa

Produzido por Omar Sosa e Tiganá Santana.
Gravado em fevereiro de 2022 no Est̼dio Gargol̢ndia РAlambari (SP) por Andr̩ Magalḥes.
Mixado por Steve Argüelles at Plushspace, Paris.
Masterizado por Klaus Scheuermann.
Produção executiva: Mônica Cosas
Design Gráfico: Nilton Bergamini
Akassá Produções

OMAR SOSA

Compositor e pianista cubano, Omar Sosa é um dos artistas de jazz mais versáteis da cena atual. Seu trabalho funde uma ampla gama de jazz, world music e elementos eletrônicos com suas raízes nativas afro-cubanas para criar um som urbano original. A trajetória musical de Omar Sosa o levou de Camagüey e Havana a turnês em Angola, Congo, Etiópia e Nicarágua nos anos 1980; a uma permanência nas comunidades afrodescendentes do Equador no início dos anos 1990; a uma presença estendida na cena de jazz latino da área da baía de São Francisco; ao seu envolvimento atual com artistas da França, Cuba, Brasil e várias nações do Norte, Oeste e Leste da África.

TIGANÁ SANTANA

Compositor, cantor, instrumentista, poeta, produtor musical, curador, pesquisador, professor e tradutor, Tiganá Santana iniciou seus estudos musicais de violão aos 14 anos em sua terra natal, Salvador (BA). Aos 16 anos já compunha em diferentes línguas africanas e europeias. Criou o seu próprio violão, que chamou de violão-tambor, com afinação, textura e disposição cordofônica próprias.

Graduou-se em Filosofia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) – onde é professor do Bacharelado Interdisciplinar em Artes – e doutorou-se em Letras pela Universidade de São Paulo (USP). Foi o primeiro compositor a gravar como compositor e intérprete um álbum com canções em línguas africanas no Brasil, e foi eleito pela revista inglesa Songlines um dos dez principais músicos brasileiros da atualidade.

SERVIÇO

Selo Sesc lança o single “Bloco Novo” do álbum “Iroko”, de Omar Sosa e Tiganá Santana.
Disponível a partir de 18 de novembro nas plataformas de áudio e Sesc Digital.

SOBRE O SELO SESC

Desde 2004 o Selo Sesc traz a público obras que revelam a diversidade e a amplitude da produção artística brasileira, tanto em obras contemporâneas quanto naquelas que repercutem a memória cultural, estabelecendo diálogos entre a inovação e o histórico. Em catálogo, constam álbuns em formatos físico e digital que vão de registros folclóricos às realizações atuais da música de concerto, passando pelas vertentes da música popular e projetos especiais.

Entre as obras audiovisuais em DVD, destacam-se a convergência de linguagens e a abordagem de diferentes aspectos da música, da literatura, da dança e das artes visuais. Os títulos estão disponíveis nas principais plataformas de áudio, Sesc Digital e Lojas Sesc.

Saiba+: www.sescsp.org.br/selosesc

SOBRE O SESC SÃO PAULO

Com 76 anos de atuação, o Sesc – Serviço Social do Comércio conta com uma rede de 45 unidades operacionais no estado de São Paulo e desenvolve ações com o objetivo de promover bem-estar e qualidade de vida aos trabalhadores do comércio, serviços, turismo e para toda a sociedade. Mantido pelos empresários do setor, o Sesc é uma entidade privada que atua nas dimensões físico-esportiva, meio ambiente, saúde, odontologia, turismo social, artes, alimentação e segurança alimentar, inclusão, diversidade e cidadania.

As iniciativas da instituição partem das perspectivas cultural e educativa voltadas para todas as faixas etárias, com o objetivo de contribuir para experiências mais duradouras e significativas. São atendidas nas unidades do estado de São Paulo cerca de 30 milhões de pessoas por ano. Hoje, aproximadamente 50 organizações nacionais e internacionais do campo das artes, esportes, cultura, saúde, meio ambiente, turismo, serviço social e direitos humanos contam com representantes do Sesc São Paulo em suas instâncias consultivas e deliberativas.

Saiba+: www.sescsp.org.br/sobreosesc