Grupo francês de jazz, Ensemble Nautilis, se apresenta em Brasília nos dias 10 e 11 de agosto

O encontro de músicos franceses e brasileiros é o resultado de Yermat, que leva a mistura de ritmos para uma apresentação única no Clube do Choro e com transmissão ao vivo na Casa Thomas Jefferson.

Os eventos fazem parte do “Nautilis Brasil Tour” que acontece no mês de agosto em três formatos diferentes e com uma gravação de disco.

Apresentação de Yermat (Nicolas Pointard, Frédéric B.Briet, Christophe Rocher, Marcus Moraes e Pablo Fagundes).

Ensemble Nautilis é um conjunto de músicos em destaque na Europa, composto por oito músicos apaixonados por Jazz e localizado na cidade de Brest, na França. Desses artistas, nascem vários projetos musicais como o Rrêve Sélavy, formado pelo baterista Nicolas Pointard, o contrabaixista Frédéric B.Briet e o clarinetista Christophe Rocher. O trio estima vinte anos de conhecimento, pesquisas, colaborações artísticas e espetáculos que atravessam fronteiras.

Tudo em prol de uma única coisa: a música. Dos encontros dos franceses com músicos brasileiros nasceram mais dois projetos: Yermat e Abajur. E foi assim que surgiu a “Nautilis Brasil Tour” que acontece no mês de agosto passando por cidades do Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do Brasil. Cada cidade conhecerá um dos grupos, e agora é a vez de Brasília apreciar a força, bom som e a mistura do quinteto Yermat que chega nos dias 10, no Clube do Choro, e 11 de agosto com transmissão ao vivo na Casa Thomas Jefferson.

Em uma região da França, Yermat (Yec’hed mat) significa saúde. O povo bretão sempre fala “Yermat” ao brindar copos. Como os brasileiros falam “saúde”, foi uma das primeiras palavras que Pablo Fagundes e Marcus Moraes, músicos de Brasília, aprenderam quando puseram os pés na Bretanha. O intercâmbio entre os países fez com que surgisse o quinteto super inventivo e fora do comum. As atmosferas viram fantásticas quando juntam uma dupla harmônica de guitarra e gaita com sotaques de choro brasileiro com um trio clarinete, baixo acústico e bateria de influências jazz experimentais.

“O grupo Yermat pra mim é fruto da conexão que só a música traz. Vai ser uma honra apresentar o som autêntico da cultura Franco-brasileira de uma maneira muito singular em casa! E ainda, no histórico, tradicional e importante, Clube do Choro de Brasília! Saúde!!!!” conta o gaitista, Pablo Fagundes,

“Nosso grupo chegou ao Brasil com um espírito de encontro. Passamos 20 anos construindo nossa música em torno da improvisação e de nossas experiências de vida com jazz, música contemporânea e música experimental. Esta turnê brasileira é uma oportunidade única de conhecer o público brasileiro, que tem ouvidos diferentes, e os músicos de Brasília e São Paulo, que estão tão profundamente enraizados na alma deste país.” conta Christophe Rocher.

Enquanto a maioria das cidades recebem os Rrêve Sélavy com o concerto de jazz e muita improvisação, Brasília conhecerá o Yermat com participação especial no show no Clube de Choro, do importantíssimo poeta brasiliense, Nicolas Behr. Já Fortaleza, receberá os franceses e mais 4 músicos (Juçara Marçal, Maurício Takara, Lello Bezerra, Clara Bastos) no grupo intitulado Abajur, uma loucura experimental onde a música brasileira do Nordeste, o rock underground de São Paulo, a música minimalista, improvisada e o jazz se encontram, acasalam e se chocam. Foi no ano passado em que o grupo chegou a tocar no lendário Festival SESC Jazz, em São Paulo. E agora, retorna ao estado para tocar em Jundiaí, e ainda, aproveitar a estadia para gravar um álbum.

Para quem não está em nenhuma dessas cidades, também terá a chance de acompanhar o concerto do Yermat na Casa Thomas Jefferson em Brasília que será transmitida ao vivo no canal do YouTube. Após passar por Brasília (DF), eles ainda seguem para as cidades de Quixada (CE), Quixeramobim (CE), Fortaleza (CE), Tinharé (BA), Salvador (BA) e Jundiaí (SP).

SERVIÇO:

Nautilis Brasil Tour
Yermat em Brasília (DF)
Dia: 10 de agosto (Quinta-feira)
Local: Clube do Choro (SDC Bloco G – 70070-350)
Participação especial: Nicolas Behr (Poeta)
Horário: 20h30
Ingressos:
Valor: R$ 30 (couvert artístico unissex)
Compra Online:
https://www.bilheteriadigital.com/yermat-10-de-agosto
(sujeito à taxa de conveniência)

Dia: 11 de agosto (Sexta-feira)
Local: Casa Thomas Jefferson
Horário: 20h
Entrada Gratuito
Transmissão ao vivo no canal do YouTube.
Mais informações: https://thomas.org.br/webp/tools/pagingInterceptor.jsp?componentPid=741&pageNumber=1&groupPid=1000

Outras datas:

16/08 (Ter̤a-feira) РRr̻ve S̩lavy РQuixada (CE)
18/08 (Quarta-feira) РRr̻ve S̩lavy РQuixeramobim (CE)
20/08 (Domingo) РRr̻ve S̩lavy e Abajur РFortaleza (CE)
23/08 (Quarta-feira) РRr̻ve S̩lavy РTinhar̩ (BA)
25/08 (Sexta-feira) РRr̻ve S̩lavy РSalvador (BA)
26/08 (Sábado) – Rrêve Sélavy – Salvador (BA)
01/09 (Sexta-Feira) – Abajur – Jundiaí (SP)

Sobre os músicos do Yermat:

Christophe Rocher é ativista da cena musical contemporânea, assessor artístico do Nautilis Ensemble e já tocou com artistas como: Joëlle Léandre, Erwan Keravec, Paul Rogers, Hasse Poulsen, Claude Tchamitchian, Gualtierro Dazzi, Carlo Rizzo, Daunik Lazro, entre muitos outros.

Frédéric B.Briet também é performer, professor e produtor, iniciou desde cedo e estudou contrabaixo com Jean-François Jenny-Clark, na sua trajetória já se apresentou com artistas como Christian Vander, Emmanuel Bex, Georges Brown, Steve Grossman, Michel Graillier e etc. Enquanto, Nicolas Pointard, começou a tocar bateria aos 9 anos e suas primeiras experiências como músico foram em grupos de thrash metal, logo estudou música, a seguir passou para música tradicional e depois para mais experimental.

Já Pablo Fagundes é formado pela Escola de Música de Brasília e pela Universidade Claretiano. Ele foi aluno de Maurício Einhorn, precursor e ícone da Bossa Nova na harmônica cromática. Criador e professor do curso de choro de harmônica cromática na Escola Raphael Rabello (Club Choro de Brasília), realizou oficinas de música brasileira em vários cantos do Estados Unidos.

E por fim, Marcus Moraes é formado em violão pela Universidade de Brasília, é compositor, arranjador, diretor musical e violonista. Em 2003, venceu o Festival de Música Instrumental de Brasília. No ano seguinte, ele foi um dos 24 músicos selecionados para o maior concurso de música instrumental do Brasil, o Prêmio Visa. O álbum solo “Músicas que me vêm de repente” (2017) lhe rendeu o título de “um dos melhores instrumentistas do Brasil” pelo site Melhores da Música Brasileira.

Mais sobre o Ensemble Nautilis:
https://www.ensemble-nautilis.org/en/