A Casa de Cultura do Varjão recebe seis apresentações do espetáculo Josephine Baker estrelado por Tainá Ramos. Haverá mediação teatral entre artistas e público local ao final de todas as apresentações

O espetáculo “Josephine Baker” revisita a vida e a obra da artista como mote para abordar temáticas atuais como protagonismo feminino negro, violência contra mulher e sexualidade/ afetividade. Serão 06 sessões gratuitas da obra na Região Administrativa do Varjão (DF), seguidas de debates com o público local após as sessões, valorizando e difundindo a produção teatral do DF e o pensamento crítico coletivo.

Josephine Baker foi uma mulher negra e periférica, bissexual e artista. Aos 19 anos viajou para Paris, onde alcançou o estrelato com sua excentricidade e exuberância. Sua trajetória de resistência a levou a ser uma das mulheres mais célebres do mundo na época, graças a sua vitalidade e carisma. Para além da vida artística, Baker se tornou agente secreta da inteligência francesa durante a Segunda Guerra Mundial, mandando mensagens escritas com tinta invisível em partituras e sendo fotografada junto a soldados nazistas, como forma de rastreá-los. Como ativista dos direitos humanos, foi a única mulher negra a ser homenageada no Panteão de Paris, monumento de honra, recebendo a medalha do país que ela escolheu como casa.

Essa segregação contribuiu para impulsionar a artista a se colocar com mais atitude contra qualquer tipo de discriminação por cor de pele. Embora o recorte histórico da vida da personagem estudada seja, de certa forma, distante, muitas dessas agressões continuam em voga no Brasil de 2023. Embora modificações na estrutura da segregação tenham ocorrido, questões de violências e imposição de silêncio de cunhos racial, feminino e sexuais continuam frequentes e de forma semelhante.

Josephine Baker será interpretada pela atriz Tainá Ramos, que retorna aos palcos do DF após período de estudos fora do país. A montagem visa alcançar as relevâncias das discussões sociais acerca de pautas como racismo, misoginia, sexualidade e formas de silenciamento dessas agendas ainda engessadas amplamente em uma construção sustentada na hegemonia do que é conhecida atualmente como “padrão” social.

O espetáculo pretende atualizar a história de Josephine Baker mesclando com as histórias da intérprete Tainá Ramos na contemporaneidade. O projeto, que conta com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal, entende a necessidade de colocar uma atriz negra a ser dirigida por uma diretora também negra, a fim de trazer protagonismo e gerar diálogo direto com o público sobre as temáticas identitárias que tangem a vida da figura a ser retratada no espetáculo.

“JOSEPHINE BAKER”

Casa de Cultura do Varj̣o РVarj̣o Q 2, Conjunto B
15/09/2023 – 20h
16/09/2023 – Sessão Dupla, às 18h e às 20h
17/09/2023 – 19h
23/09/2023 – Sessão Dupla, às 18h e às 20h
Todas as sessões contarão com Intérprete de Libras e debate entre artistas e público ao final

FICHA TÉCNICA:

Dramaturgo: Hugo Amorim
Direção Artística e Musical: Fernanda Jacob
Assistente de Direção: Jeferson Alves
Intérprete-atriz: Tainá Ramos
Intérpretes de Libras: Amanda de Oliveira e Tatiane Elizabeth
Iluminação: Emanuela Maia
Figurino: Magno Garrido
Cenário: Marley Oliveira
Maquiagem: Rubens Fontes
Fotografia / Cinegrafia: Rodrigo Martins
Consultor Arte Educador: Pedro Ribeiro
Mediação: Helen Dieb
Ilustração: Xis Ataides
Designer Gráfico: WD
Coordenação Administrativa: Carvalhedo Produções
Produção Executiva: Jeferson Alves
Assessoria de Imprensa: Josuel Junior
Editor de Vídeos: Roberto Barbosa
Áudio-descritora: Clarissa Barros
O projeto conta com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal