Cia Santa Cacilda apresenta espetáculo teatral “Coro dos Amantes” no Sesc Pinheiros

A obra traz uma reflexão profunda sobre o modo de vida asfixiante vivido nas grandes cidades, inspirando a conexão com a natureza como um lugar de experiência e uma forma de celebração da vida. A temporada contará com tradução em Libras no dia 23 de março e bate-papo com Leonardo Gandolfi em 30 de março, com a presença dos atores e encenadores Raquel Anastásia e Igor Kovalewski

Cia Santa Cacilda promove bate-papo com Leonardo Gandolfi sobre o teatro inovador do português Tiago Rodrigues.

Até o dia 01 de abril de 2023, de quinta a sábado, às 20h, a Cia Santa Cacilda realiza a temporada de estreia do espetáculo “Coro dos Amantes”, no Auditório (3º andar) do Sesc Pinheiros. Os ingressos são a partir de R$ 10,00 e podem ser adquiridos por meio do site do Sesc SP ou nas bilheterias das unidades do Sesc em São Paulo, sendo que, no dia 23 de março, a apresentação contará com tradução em Libras.

Além das apresentações, no dia 30 de março, após o espetáculo, a Cia Santa Cacilda promove um bate-papo sobre o teatro de Tiago Rodrigues (autor de “Coro dos Amantes”) com a participação de Leonardo Gandolfi, que é poeta, professor de literatura na Unifesp e autor, entre outros títulos, do livro Robinson Crusoé e seus amigos (Editora 34), que foi indicado ao Prêmio Jabuti de Poesia, do posfácio do livro By Heart e outras peças de autoria de Tiago Rodrigues (Editora 34).

“O teatro de Tiago Rodrigues se faz de um intenso convívio entre vozes. Em Coro dos Amantes, uma de suas primeiras peças, as vozes se desprendem, se chocam, se sobrepõem, se afastam, se completam, se silenciam e se multiplicam, redimensionando o que chamamos de diálogo. A tradição do coro é revista para ser intensificada pela força de um encontro sem igual. Como no amor, a linguagem não está dada previamente, ela precisa ser criada a cada abraço, a cada beijo, a cada despedida. A encenação e as atuações de Raquel Anastásia e Igor Kovalewski, entendendo isso, vão além — porque entender às vezes é ir além — e tornam tudo ainda mais vivo e surpreendente”, comenta Gandolfi.

“Coro dos Amantes” é um poema teatral sobre a passagem do tempo e sobre o sentir físico e emocional que uma experiência de quase morte pode trazer, abrindo possibilidades de mudança porque “ainda temos tempo”.

Com atuação e encenação de Raquel Anastásia e Igor Kovalewski e trilha-sonora executada ao vivo pelo maestro e pianista, Paulo Maron, a obra traz uma reflexão profunda sobre o modo de vida asfixiante vivido nas grandes cidades, fazendo-nos pensar sobre a urgência de nos reconectarmos com a natureza. Apresentando-a não como um simples objeto de conhecimento, mas como um lugar de experiência e de celebração da vida.

De autoria do grande dramaturgo português e atual diretor do Festival d’Avignon, Tiago Rodrigues, “Coro dos Amantes” é uma obra inédita no Brasil. O texto escolhido reúne inúmeras qualidades, entre elas podemos citar: o poema, o senso comunitário da sua escrita e a presença de questões urgentes ligadas à humanidade e à natureza.

Escrita e apresentada em Lisboa em 2007, “Coro dos Amantes” é a primeira peça de Tiago Rodrigues, revisitada por ele 13 anos depois da sua criação. Considerado um dos artistas mais inovadores da cena contemporânea portuguesa, Tiago vem se destacando e consolidando seu trabalho também na cena internacional recebendo inúmeros prêmios, entre eles o XV Prêmio Europa Realidades Teatrais, em 2018, e o Prêmio Pessoa, em 2019.

O projeto “Coro dos Amantes” é uma idealização da artista Raquel Anastásia, que foi integrante do Centro de Pesquisa Teatral, dirigido por Antunes Filho, integrou a Cia Livre, e já atuou com importantes nomes das artes cênicas. Pela Universidade Sorbonne Nouvelle – Paris 3, finaliza a sua pesquisa sobre a presença da performance nos trabalhos de Ivo van Hove e Angélica Liddell, sendo orientada pelo professor e diretor do departamento de Estudos Teatrais, Pierre Longuenesse, autor de vários artigos e livros sobre o teatro contemporâneo e o poema teatral.

A peça é encenada também por Igor Kovalewski, ator e produtor cultural com uma longa trajetória atuando entre o teatro, o cinema e a televisão, com 34 peças, 7 longas, 5 curtas e séries, sob a direção de nomes como Aimar Labaki, Reginaldo Nascimento, Ricardo Rizzo, Vivien Buckup, Daniel Sommerfeld, André Garolli, Luis Louis, Sérgio Ferrara, Heitor Goldflus e Paulo Faria.

Sobre a Cia Santa Cacilda

Formada por artistas com experiências múltiplas, a Cia Santa Cacilda surge focada na investigação sobre a dramaturgia contemporânea e na busca por uma criação artística que dialogue com questões pertinentes ao nosso tempo.

Seguindo estes princípios, a companhia estreou sua primeira peça, “O Horla”, com dramaturgia de Paulo Rogério Lopes e direção de Raquel Anastásia, no Teatro Aliança Francesa. O trabalho seguinte foi “Plínio Contra as Estrelas”, que teve como pesquisa-base a simulação da experiência virtual em detrimento da experiência real. O espetáculo, de autoria de Paulo Santoro, foi idealizado e produzido pela atriz Raquel Anastásia e fez sua temporada de estreia no Sesc Consolação. Em seguida, o espetáculo foi apresentado no Sesc Vila Mariana, na Oficina Mário de Andrade e na Virada Cultural de Bauru, além de ter sido indicado ao Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro, na categoria Dramaturgia.

“Motel Rashômon”, de autoria de Marcos Gomes, também idealizado e produzido por Raquel Anastásia, foi contemplado com o Prêmio PROAC de produção e temporada de espetáculo inédito, estreou na SP Escola de Teatro, realizou 24 apresentações e também foi apresentado no Sesc Piracicaba.

Em 2020 iniciou uma série de leituras e estudos sobre o coro e a coralidade, esse último presente na escrita do renomado dramaturgo, diretor de teatro e atual diretor do Festival d’Avignon, Tiago Rodrigues.

Mais informações: Instagram: @corodosamantes

Ficha Técnica

Idealização: Raquel Anastásia | Texto: Tiago Rodrigues | Atores-encenadores: Raquel Anastásia e Igor Kovalewski | Criação música original e execução ao piano: Maestro Paulo Maron | Figurinos: Marichilene Artisevskis | Objetos cênicos: Marcelo Guarrata | Desenho de Luz e operação: Jorge Leal | Iluminadora Assistente: Gabriele Souza | Palestrante: Leonardo Gandolfi | Práticas Coro/Coralidade: Roberto Morettho | Voz: Madalena Bernardes | Intérprete de Libras: Marisa Peres | Fotos: Milton Galvani |Registro fotográfico do espetáculo: Bob Sousa | Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini | Assistentes de Produção: Carol Centeno e Victoria Blat | Filmagem: Bruta Flor Filmes | Coordenação geral: Raquel Anastásia e Igor Kovalewski | Realização: Sesc

Serviço:

Temporada de estreia “Coro dos Amantes”
Com Cia Santa Cacilda

Sinopse:

Poema teatral sobre a passagem do tempo, sobre o sentir físico e emocional da morte próxima e a possibilidade de mudança que ela traz, porque ainda ” temos tempo”. A obra traz uma reflexão profunda sobre o modo de vida asfixiante vivido nas grandes cidades, fazendo-nos pensar sobre a urgência de nos reconectarmos com a natureza. Apresentando-a não como um simples objeto de conhecimento, mas como um lugar da experiência e da celebração da vida. Duração: 55 minutos

Temporada:

até 1º de abril de 2023. Quinta a sábado, às 20h.
Duração: 55 minutos
Local: Auditório (3º andar) | Capacidade: 98 lugares | 12 anos
Ingressos: R$ 30 (inteira); R$ 15 (meia) e R$ 10 (credencial plena). Venda no Portal Sesc no dia 28/2, a partir das 12h. Venda nas bilheterias a partir do dia 1/3, às 17h.

Onde:

Sesc Pinheiros РR. Pais Leme, 195 РPinheiros, Ṣo Paulo РSP, 05424-150
Acessibilidade: 23 de março de 2023. Quinta-feira às 20h – apresentação com Tradução em Libras
Ação formativa: 30 de março de 2023, após o espetáculo – Bate-papo sobre o teatro de Tiago Rodrigues . Com Cia Santa Cacilda e Leonardo Gandolfi.