Zabelê e Carlinhos Brown lançam videoclipe para nova versão de clássico dos Novos Baianos “Preta pretinha”

A cantora Zabelê traz uma novíssima roupagem para “Preta Pretinha” – clássico da discografia do grupo Novos Baianos, que ganhou um videoclipe postado na página oficial do Youtube da cantora com a colaboração de Carlinhos Brown. Presente no álbum “Acabou Chorare” (1972) – considerado pela revista Rolling Stone como o maior disco brasileiro de todos os tempos, a música de Moraes Moreira e Luiz Galvão é o maior sucesso comercial do conjunto.

Escolher essa canção como a primeira de trabalho do seu terceiro álbum solo, ainda sem nome divulgado, foi a forma como Zabelê quis homenagear o grupo tropicalista, no qual seus pais foram integrantes, os renomados músicos Baby do Brasil e Pepeu Gomes. “Pra mim está sendo uma grande honra e realização gravar ‘Preta pretinha’, além de ser uma grande responsabilidade. Mas, mais do que tudo, ela mexe com meu coração, sentimento e memória. Eu resolvi fazer uma nova versão ao meu estilo, com um jeito mais moderno e atual. É uma música que nunca vai sair de moda, obviamente, mas eu a fiz com outro arranjo”, relata a cantora.

Com intenção de aproximar a obra para a sua personalidade – trazendo de volta elementos pop do SNZ, girl band que a lançou para o mercado em 1997, junto com suas irmãs Sarah Sheeva e Nãna Shara, a cantora convidou o cantor, compositor e multi-instrumentista Carlinhos Brown para o dueto. “Eu sabia que ele teria o mesmo sentimento e amor que eu tive em cantar. Nós não conseguimos nos encontrar em estúdio por causa da COVID e tudo mais, mas nos encontramos para gravar o videoclipe. Foi um trabalho em conjunto entre eu, ele e o produtor Wagner Fulco. A gente conseguiu criar uma sinergia musical muito boa”, comemora Zabelê.

Após o convite de participar da canção, Brown afirma ter buscado modos de também ressignificar a obra, oferecendo novos caminhos. “Muito bom fazer parte de tudo isso. Estar atento a tudo que traz e rememora os Novos Baianos é uma forma de me renovar. Agora essa renovação vem através de Zabelê, que para comemorar todo esse movimento da nossa história musical e seu berço ancestral com Pepeu e Baby, gravou ‘Preta Pretinha’ e me chamou pra cantar junto. Um convite inegável e que muito me honra”, declara o músico.

Para reforçar a equipe de criação musical da canção, Zabelê escolheu o produtor e diretor artístico Wagner Fulco, que já produziu diversos nomes como Elton John, Alanis Morissette, Bob Dylan, Guns N’ Roses, Ricky Martin, Luciano Pavarotti, Snoop Dog, entre outros artistas. Radicado há mais de 20 anos nos Estados Unidos, Fulco também é o produtor do novo álbum da cantora e adorou a ideia de trazer um som mais pop para o projeto.

“Pessoalmente, eu realmente gostava do lado eletrônico e dançante da época em que ela cantava no grupo SNZ. Por isso, eu sugeri que ela fizesse uma homenagem aos pais dela, mas com uma outra roupagem. Nós ficamos surpresos com a disponibilidade do Carlinhos para participar da música. O rap inédito que ele trouxe para a canção ficou maravilhoso”, afirma o produtor.

O processo de gravação do videoclipe contou com a direção remota de Felipe Bretas, que estava em Londres durante as filmagens, mas afirma que o desafio foi superado com sucesso. “Quando recebi o convite da Zabelê, aceitei com o maior prazer, pois ‘Preta Pretinha’ sempre fez parte da minha vida. Embora um pouco atípica, a criação do projeto contou com a ajuda da tecnologia para nos comunicarmos e deu muito certo. A estética resultou em um material audiovisual retrô, elegante, charmoso, minimalista, mas com riqueza de detalhes. A parte do rap do Carlinhos trouxe inspiração para uma edição bastante contemporânea”, relata o diretor.

Em sua versão original, “Preta Pretinha” é cantada pelo músico Moraes Moreira, que faleceu no ano passado. Para encerrar os créditos finais do videoclipe, a memória do cantor é celebrada com uma mensagem especial e caricatura feita especialmente para o projeto audiovisual. “As pessoas descobriram muitas coisas através do som dos Novos Baianos, com influência do rock e da guitarra baiana, trazendo também a veia pop. Eles tinham um misto disso tudo, da brasilidade com o MPB, a bossa nova através do João Gilberto, junto com o rock vindo dos arranjos do meu pai. Ou seja, era a guitarra do meu pai com o violão do Moraes. Uma verdadeira salada musical brasileira”, avalia Zabelê.

A responsabilidade de repensar um dos maiores clássicos da MPB representa para Zabelê “uma oportunidade de levar a mensagem de que nós precisamos lembrar sempre da nossa história, das nossas raízes, da nossa formação. Estar sempre lembrando, isso é muito importante para nosso Brasil na formação de novas gerações. Para que certos movimentos não morram e para que nós possamos evoluir por meio deles, através do som, das músicas, dos ritmos”.

Previsto para ser lançado ainda este ano, o novo álbum de Zabelê sucede o disco homônimo “Zabelê” (2015). “Eu falo com muito amor e gratidão a minha história musical, tudo que pude e tive privilégio de receber dos meus pais, fico realmente muito feliz em poder estar sendo essa pessoa, e espero cumprir com excelência e levar ao público todas essas canções que são marcantes na minha vida. E quero que quem não conheça, agora possa conhecer”, conclui.

FICHA TÉCNICA

Preta Pretinha
Autor: Luiz Galvão e Moraes Moreira
Vocal: Zabelê
Part. Especial: Carlinhos Brown
Congas, Timbales , Agogôs, Djembe e Timbau: Carlinhos Brown
Guitarra, Percussão, Bateria, Teclado, Baixo – Wagner Fulco
Bacurinha, Surdo Meio e Timbau – Thiago Pugas
Backing Vocal: Zabelê
Arranjo: Wagner Fulco
Produtor: Wagner Fulco
Arranjo Vocal: Zabelê

LETRA

MORAES MOREIRA / LUIZ GALVÃO

Zabelê:

Enquanto eu corria
Assim eu ia
Lhe chamar
Enquanto corria a barca
Eu ia lhe chamar
Enquanto corria a barca
Por minha cabeça não passava,
Só somente só
Assim vou lhe chamar
Assim você vai ser
Só somente só
Assim vou lhe chamar
Assim você vai ser
Laiá laia laialaia la laialaia
Preta, preta, pretinha
Preta, preta, pretinha
Preta, preta, pretinha
Preta, preta, pretinha

Carlinhos Brown:

Preta, preta,preta pretinha, da pele imaculada, bronzeada igual a minha
Preta, preta, da minha cor, toda micigenada coração igual ao amor
Enquanto corre a barca mão na mão não se desata eu num remo e tu do outro
Prontos para atravessar chegaremos do outro lado, por isso vim lhe chamar
Eu ia lhe chamar (Enquanto corria a barca)
Eu ia lhe chamar (Enquanto corria a barca)
Por minha cabeça não passava, não
Só somente só
Assim vou lhe chamar
Assim você vai ser
Preta me permita lhe chamar de sol
Sol, somente sol
Assim vou lhe chamar
Assim você vai ser
Eu ia lhe chamar (Enquanto corria a barca)
Pra a gente atravessar (Enquanto corria a barca)
Da ilha pro farol (Enquanto corria a barca)
E te chamar de sol (Enquanto corria a barca)
Abre a porta e a janela e vem ver o sol nascer
Sou aquele namorado que você voltou pra ver
Eu sou um pássaro
Que vivo avoando
Vivo avoando
Sem nunca mais parar
Ai ai ai ai saudade
Não venha me matar
Ai ai ai ai saudade
Não venha me matar
Ai ai saudade
Não venha me matar
Eu ia lhe chamar
Enquanto corria a barca
Pra a gente atravessar
Enquanto corria a barca
Da ilha pro farol
Enquanto corria a barca
E te chamar de sol
Enquanto corria a barca

💬
ACESSE E DIVULGUE NOSSA PÁGINA DE APOIO DA REVISTA E SITE
AQUI TEM DIVERSÃO 👇

💬OU APOIE COM QUALQUER VALOR!

 

Anterior Stella celebra a Vida Artois em websérie com Leo Paixão
Próximo 7 Prisioneiros ganha trailer, 👀 estreia na Netflix em novembro