Viola caipira no Clube do Choro


Viola caipira no Clube do Choro, Fábio Miranda lança o álbum “Chamamento” dia 24 de fevereiro, às 21h com ingressos R$ 30 e R$ 15 meia entrada

O músico Fábio Miranda é um daqueles artistas arrebatado pela viola caipira. O violeiro se diz “transformado” pelo instrumento e quer mostrar ao país o som que influencia sua vida. Para isso, lança o seu segundo disco em carreira solo intitulado de “Chamamento”, produzido pela Beco das Corujas Produções Culturais e realizado com o patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC). Nesse novo trabalho, o jovem músico traz canções autorais, a maioria em parceria com o paulistano, radicado em Brasília, Adalberto Rabelo Filho, interpretadas com a viola de dez cordas e a voz. No show de lançamento, Fábio estará acompanhado de Fernando Miranda (percussão), Fernando Rodrigues (baixolão/viola), Lucas Muniz, (sanafona/clarinete), Pedro Vaz (percusão e Thiago Ribeiro (violão).

O novo CD, ao contrário do primeiro “Caravana Solidão” (2012), se destaca pelas participações de músicos que têm uma história com Fábio. Para o álbum, composto por 18 faixas, o violeiro reúne desde jovens compositores de Brasília, como Paulo Ohana, Gabriel Preusse, Rafael Miranda, Lidi Satier, Henrique Neto, Paula Zimbres, até músicos consagrados, como Marcos Farias, Gonçalo Aquino (conhecido como Sivuquinha de Brasília) e o DJ Jamaika. A maioria dos participantes do disco, Fábio já teve alguma experiência tocando junto. Além dos convidados, o álbum conta com a presença de alguns mestres da viola que influenciaram a caminhada de Fábio Miranda, como Badia Medeiros, Zé Mulato, Marcos Mesquita, Roberto Corrêa, Aparício Ribeiro, Cacai Nunes, e Ricardo Vignini. “Fui movido pelo espírito agregador da música e saí chamando todo mundo. Foi daí a ideia do título do álbum “Chamamento””, explica o violeiro.

As canções do disco, inspiradas pelos mestres da composição caipira, como Teddy Vieira, Lourival dos Santos, João Pacífico, Serrinha, Goiá e outros, têm uma sonoridade moderna, influenciada pelas vivências de Fábio em Brasília – hoje ele mora em São Paulo – e pelas experiências como integrante da banda brasiliense Judas. Essa contemporaneidade pode ser percebida na participação do DJ Jamaika, rapper da Ceilândia. “Jamaika foi um ícone musical para mim. Enviei o áudio da minha música para ele ouvir e sugeri que criasse uns versos para uma parte específica. Daí ele fez mais, agindo como se age um verdadeiro DJ: ele sampleou uma parte da minha viola gravada e criou uma base, depois colocou no final da música e cantou os versos que tinha inventado… Nada do que eu tinha pensado, superou o que eu imaginava!”, conta o músico. “O Hip Hop foi muito importante na minha adolescência e o Jamaika e o irmão, Kabala, são referência para quem curte esse movimento. Um ídolo participando do projeto de um fã é um gesto bastante significativo”, ressalta o violeiro.

Para Fábio, o contato com a viola caipira o transportou para um mundo do qual ele não conhecia. “Ela foi a porta de entrada para uma forma sensível de se enxergar a vida, de se relacionar com as pessoas, de escuta para outras sonoridades, de respeito pelas falas dos velhos e de se enriquecer o imaginário “, define. Atualmente, o músico Integra a Orquestra Filarmônica de Violas, em Campinas (SP), e, ainda em terras paulistanas, desenvolve pesquisa e trabalho de ensino coletivo de viola, em escolas de música e em centros culturais como a Fábrica de Cultura.

Saiba mais sobre o músico

Fábio Miranda é violeiro e professor de viola caipira. Formado em viola pela Escola de Música de Brasília (DF), foi professor da Escola de Choro Raphael Rabelo (DF) e, atualmente, desenvolve mestrado em música na Universidade de São Paulo (USP). Tem dois álbuns gravados: “Caravana Solidão” (2012) com músicas autorais premiadas em festivais nacionais e “Nonada” (2014) – esta com a banda brasiliense Judas. Em Brasília, concebeu e formou o grupo “Roda de Viola”, explorando o repertório do cancioneiro caipira num formato popularmente conhecido como “orquestra de violas”. Formado em Artes Cênicas pela Universidade de Brasília (UnB) também atua como diretor musical e músico de cena em peças de teatro e produções audiovisuais, algumas premiadas em festivais nacionais e internacionais.

Serviço

Lançamento do CD Chamamento, de Fábio Miranda
Data: 24 de fevereiro, às 21h
Local: Clube do Choro de Brasília
Ingressos: R$ 30 e R$ 15, meia entrada
CI: 14 anos

No show, o disco será vendido junto com CDs de artistas que participaram do novo álbum de Fábio Miranda. Paga R$ 30 e leva dois – o do Fábio e o de algum músico convidado.

Anterior Santé 13 com novidades
Próximo Megadeth toca na Capital