Segundo estudos realizados internacionalmente, as estimativas envolvendo o problema de impotência sexual podem atingir até 76% da população masculina em alguns países

A disfunção erétil é um problema que atinge parte considerável dos homens no Brasil e no mundo. Segundo uma revisão de pesquisas publicadas no jornal científico BJU International, as estimativas envolvendo impotência sexual podem atingir até 76% da população masculina em alguns países.

Entre os brasileiros, de acordo com um levantamento feito pelo Instituto DataFolha, 38% dos homens entrevistados tiveram disfunção erétil em algum grau nos últimos dois anos.

Diante dessa alta prevalência e dos dilemas psicológicos, sociais e culturais que giram em torno do tema, não faltam receitas e práticas disseminadas na internet para combater o problema. Uma delas é em relação ao consumo de vinho.

Mas será que essa hipótese é verdadeira? Ao longo das últimas décadas, diversos pesquisadores de várias partes do mundo investigam o tema e apresentam respostas à questão.

No meio acadêmico, é possível encontrar algumas evidências científicas que apontam uma correlação positiva entre a ingestão moderada do vinho e a saúde sexual dos homens.

Vinho tinto ajuda a controlar a função erétil nos homens

Um estudo realizado pela Faculdade de Medicina de Porto e divulgado pelo periódico científico Journal of Food Science mostrou que o uso continuado de vinho tinto pode estabilizar os vasos sanguíneos do pênis, ajudando a evitar a disfunção erétil.

Em entrevista à Revista Adega, do portal Uol, Delmina Neves, coordenadora da pesquisa, explica que os vasos do órgão genital masculino são de pequeno calibre. Assim, com a formação de placas obstrutivas nas paredes dos vasos — processo chamado de aterosclerose —, a ereção fica comprometida.

“A causa vasculogênica é a mais frequente na incapacidade sexual”, afirma Delmina. De acordo com o estudo, os polifenóis presentes no vinho podem contribuir com a estabilização dos vasos do tecido erétil do pênis e melhorar o desempenho sexual.

Embora a pesquisa tenha sido feita com grupos de ratos, cujos resultados não se extrapolam aos seres humanos, a coordenadora avalia que se trata de “um modelo válido na avaliação dos efeitos polifenóis presentes no vinho tinto, na expressão dos fatores de crescimento e manutenção vascular”.

Um outro estudo, desta vez publicado em 2016 pelo The American Journal of Clinical Nutrition, aponta que, apesar de a disfunção erétil ter origem predominante de questões vasculares, a dieta pode exercer um papel importante para enfrentar o problema.

Segundo os dados, a ingestão habitual da subclasse de flavonoides foi associada a uma redução de 14% no risco de disfunção erétil. Os flavonoides são espécies não nutritivas encontradas em chás, cebolas, uvas, vinhos e outros.

O consumo de vinho tinto também pode interferir na disposição sexual, aumentando os níveis de testosterona, elevando o desejo por sexo e o fluxo sanguíneo, que pode resultar na redução das disfunções sexuais.

É o que mostra uma pesquisa publicada em 2012 pelo Nutrition Journal. Os dados apresentam resultados iniciais em relação às influências da ingestão de vinho tinto no metabolismo da testosterona, hormônio encontrado em maior quantidade no corpo masculino, sendo um dos responsáveis pelo desempenho sexual.

Motivos para a impotência sexual masculina

Embora seja possível encontrar algumas evidências científicas que relacionam o consumo de vinho com a redução da disfunção erétil, é importante ter cuidado e não exagerar na dose.

Isso porque também é comprovado — e os estudos citados mostram isso — que o uso demasiado da bebida e de álcool no geral pode causar o efeito contrário: desestimular o desejo e a potência sexual.

Além do mais, um homem com problemas de impotência precisa procurar um médico antes de adotar qualquer medida. Um importante artigo científico, publicado em 1990 e assinado pelos pesquisadores Oswaldo Martins Rodrigues Júnior e Moacir Costa, mostra que o uso de álcool pode revelar ansiedade e que ambos (álcool e ansiedade) podem provocar disfunções sexuais.

Os pesquisadores estudaram 300 homens com queixas sexuais, que procuraram uma clínica para diagnóstico e tratamento. Dos 86% que apresentaram disfunção erétil, 60,08% foram de origem psicológica, 30,23% de origem orgânica e 9,69% com componentes mistos, ou seja, psicológicos e orgânicos.

Esses dados mostram que, muitas vezes, os motivos para a impotência e outros problemas sexuais estão relacionados com a questão psicológica e da saúde física no geral. Fatores como diabetes e outras doenças também podem interferir. Por isso, antes de sair bebendo muitos litros de vinho para tratar a disfunção erétil, é necessário buscar orientação médica.

Mas, uma tacinha é sempre bem-vinda, não é? Dessa forma, compre seus vinhos online e aproveite! Com disfunção erétil ou não, os rótulos são perfeitos para momentos inesquecíveis.

💬
ACESSE E DIVULGUE NOSSA PÁGINA DE APOIO DA REVISTA E SITE
AQUI TEM DIVERSÃO 👇

💬OU APOIE COM QUALQUER VALOR!

 

Anterior Transversalidade ministrado pela educadora Elen Ferreira
Próximo Projeto Histórias que contam Histórias II encerra sua edição em 2021