Esta é a primeira parceria entre o tradicional grupo de reggae paulista Veja Luz e Geraldo Azevedo um dos grandes nomes da música popular brasileira

O termo forreggae se popularizou no início dos anos 2000, quando se notou a semelhança entre entre o padrão de batida da zabumba e a maneira como se toca o baixo nas canções de Bob Marley, Peter Tosh e todos os subsequentes. O neologismo nascido a partir da comunhão das palavras Forró e Reggae é o ritmo da canção “Dona da Minha Cabeça”, composição de Geraldo Azevedo e Fausto Nilo que agora a banda Veja Luz interpreta.

O vídeo é um registro que mostra o processo de produção da música e as trocas entre a banda de reggae e Geraldo Azevedo dentro do Estúdio Casa do Mato, no Rio de Janeiro. A letra de “Dona da Minha Cabeça” fala sobre uma paixão arrebatadora por uma moça simples e deslumbrante, mas que pode ser interpretada também como uma homenagem à beleza feminina, num modo geral.

“É preciso provocar reflexões e, ao trazer o protagonismo para a figura da mulher, dentro de um contexto de exclusão e violência, pelos quais são submetidas historicamente é, sobretudo, uma forma de dizer NÃO ao machismo estrutural, de forma poética, sutil e de fácil entendimento”, aponta a banda Veja Luz.

Com a faixa gravada entre São Paulo e Rio de Janeiro, a Veja Luz priorizou uma sonoridade que fosse tanto fiel ao gênero da banda (reggae) quanto a obra e musicalidade de Geraldo Azevedo, que soasse de forma bem orgânica e natural. Para isso, foi feita a escolha de mixar e masterizar em Kingston, capital da Jamaica, pelas mãos do engenheiro de som Gregory Morris, responsável por álbuns icônicos de Damian Marley “Welcome To Jamrock” até de artistas como Morgan Heritage, Chronixx, Protoje, entre outros.

Este lançamento vem em meio à tour comemorativa de 10 anos da banda Veja Luz. A gira pela grande São Paulo se iniciou em 24 de março e vai até 29 de junho. A turnê é fomentada pelo Edital de apoio ao Reggae, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

 www.vejaluz.com.br

 @vejaluzoficial

 facebook.com/vejaluz

 Youtube

 @vejaluz

BIOGRAFIA

Percorrendo as sonoridades e territórios das noites paulistanas, cinco amantes de música se juntam e encontram no reggae suas maiores afinidades. No entremeio da troca de experiências, acordes e composições, formou-se, em 2009, em Taboão da Serra (SP), a banda Veja Luz. O projeto, que completa 10 anos em 2019, apresenta uma proposta musical orgânica.

Influenciada pelo reggae jamaicano e inglês, pelos ritmos afrodescendentes como a Soul Music, Jazz, Blues, R&B, Hip Hop, e uma boa dose de brasilidade, a banda Veja Luz contribui para uma nova fase e musicalidade para o reggae brasileiro. Oferecendo como resultado de seu trabalho um reggae contemporâneo, autêntico e universal.

O primeiro álbum saiu em 2012. O homônimo Veja Luz conta com as participações de Dada Yute, Gerson da Conceição, Buguinha Dub, Funk Buia e Leandro Kintê. O lançamento ocorreu no antigo Studio SP, na rua Augusta, em São Paulo, com superlotação da casa, tornando-se um sucesso de público e crítica, o que rendeu a indicação do show de lançamento da Veja Luz entre os 100 melhores shows do ano na cidade, segundo o jornal Folha de S. Paulo.

Com o primeiro álbum a banda percorreu diversos festivais de música e casas de shows pelo Brasil, em mais de 3 anos ininterruptos, sendo uma das primeiras bandas de reggae a romper paradigmas em alguns desses circuitos que, até então, priorizavam artistas de outros segmentos.

Veja Luz já dividiu o palco com nomes importantes da música brasileira e internacional como: Leci Brandão, Racionais MC’s, Criolo, Gaby Amarantos, Black Alien, Yza, Rael, Mato Seco, Edson Gomes, Ponto de Equilíbrio, Planta e Raiz, RAPadura, Thaíde, Aláfia, GOG, Z’África Brasil, Siba, Dead Fish, Tiê, BNegão, Banda Black Rio, Black Uhuru (Jamaica), Midinite (Ilhas Canárias), The Congos (Jamaica), Mighty Diamonds

(Jamaica), Rockin Squat (França), David Hubbard (Guiana Inglesa), Al Griffiths (The Gladiators-Jamaica), Victor Rice (EUA), entre outros.

Em 2017 a banda lançou o álbum Escolhas contendo 12 faixas, dentre elas uma regravação de Chico Buarque e uma intervenção recitada pelo poeta Sérgio Vaz. O álbum conta com as participações especiais de Black Alien e do cantor jamaicano Al Griffiths (vocalista da banda The Gladiators).

Neste ano de 2019 a banda se concentra em novas realizações: O lançamento do single / clipe “Dona da Minha Cabeça” em parceria com o cantor Geraldo Azevedo e uma tour comemorativa de 10 anos fomentada pelo Edital de apoio ao Reggae, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

Também está prevista para iniciar, ainda no primeiro semestre, a gravação de um álbum novo em estúdio.

Anterior Que tal saber de 20 segredos escondidos sobre chocolate
Próximo Terminam no Rio as gravações da série ‘Matches’ do Warner