UMA SÉRIE DE SUCESSO NO INSTAGRAM


Um celular na mão, uma live na cabeça e uma instasérie de sucesso que alcançou a marca de 56 mil espectadores de Portugal e do Brasil. Um projeto ousado, inovador, simples e genial!

Parcerias luso-brasileiras de produtos da teledramaturgia sempre fizeram sucesso. Novelas como “Pedra sobre Pedra” (1992) e “Mulheres de Areia” (1993) tiveram coprodução entre as emissoras Globo e Sic. Em outros casos, referências portuguesas e brasileiras também estiveram ativas em tramas como a brasileira “Sabor da Paixão” (2002), que contava com atores portugueses no elenco. Agora, em 2019, o roteirista e diretor Victor Brennand, formado pela UniRio, e a atriz, roteirista e diretora Tati Pasquali tiveram um feliz encontro de trabalho. Juntos, conceberam a instasérie LIVE, totalmente produzida para o Instagram.

produção cultural
A proposta parece um pouco difícil de ser assimilada a princípio. É preciso estar aberto para a linguagem, que, de fato, é muito inovadora. Através de pesquisas na área da teledramaturgia para redes, os autores se viram desafiados a criar um conteúdo de qualidade que tivesse 13 minutos, apenas. Isso mesmo! Os dois montaram uma instasérie com episódios de 60 segundos disponibilizados diariamente em horários fixos. Aos poucos, os internautas começaram a ver o movimento nas redes e se tornaram público e seguidores da personagem Lady, uma instagrammer fictícia.

Uma de minhas primeiras dúvidas era a da escrita da palavra que ilustra o gênero, afinal, é Instassérie (de acordo com a nova norma ortográfica brasileira) ou Instasérie? Em conversa com o diretor Victor Brennand pude entender que, por mais que a produção tivesse conhecimento da nova norma ortográfica brasileira, utilizar Instassérie com dois “ss” faria a equipe perder o engajamento das hashtags já utilizadas pela língua inglesa. Para manter a linguagem original em inglês e aproveitar engajamento das marcações em rede, optou-se por usar o temo “Instaérie” mesmo.

LIVE_INSTASERIE

A história de “Live_Instaserie” já começa mostrando a rotina da protagonista Lady, uma digital influencer famosa que celebra a marca de 7 milhões de seguidores no Instagram. Após descobrir a traição de seu namorado pelas redes, ela promove uma vingança nos bastidores de uma festa. Todo o conflito se passa no banheiro. Lá se encontram Madalena Madeira, a empresária de Lady; Nicolah, seu visual stylist; Filipa May, uma jovem atriz de novelas e principal rival de Lady no Instagram, e Pedro Lucas, um amigo misterioso que surge para ajuda-la.

A lavagem de roupa suja no banheiro envolve todas as personagens e é registrada por um celular que passa de mão em mão, como num grande plano sequência, tal qual “Rope” (Festim Diabólico), de Alfred Hitchcock. Nos picos dramáticos, os atores revezam a cinegrafia e a cada final de episódio o gancho para as revelações seguintes prendem o espectador nessa brincadeira entre o mundo real e o mundo virtual.

produção cultural

Ao assistir aos capítulos da Instasérie é inevitável perceber o esmero da produção em dar um caráter contínuo e interessante aos conflitos das personagens. É notório que todos os envolvidos passaram por um ensaio minucioso para que tudo desse certo e mantivesse essa linha contínua da estrutura de dramaturgia. Os planos foram desenhados para que, mesmo em um minuto de episódio, o espectador não perdesse o interesse. A ideia, inspirada nas pílulas diárias de publicações de influenciadores digitais, negocia muito bem com a tradicional teledramaturgia que conhecemos, o que dá mais charme e personalidade ao projeto.

O ELENCO

produção cultural

@KARLAMULA é Lady, a instagrammer de 7 milhões de seguidores. Karla é atriz brasileira e treinadora de atores em Portugal, onde vive desde 2008. Começou a carreira em 1990 na Rede Manchete e participou de algumas produções do Brasil, como “Quatro por Quatro” (1994) e “A Indomada”, (1997). Eu, particularmente, curti muito seu trabalho nessas duas novelas. Na primeira, interpretou a adolescente Daniela, filha de Pedrão (Rômulo Arantes) e Clarice (Françoise Forton). Na segunda, a inesquecível Grampola, a camélia desgarrada da Casa de Campo que se apaixonou pelo anjo Emanuel (Selton Melo). Por mais que Grampola esteja no imaginário popular, deixemos ela pro “Vale a pena ver de novo”. A Karla que vemos na instasérie se mostra madura, elegante e com mais bagagem cênica, sustentando dignamente a personagem.

produção cultural
@LEONARDOVIEIRATOR é Pedro Lucas, o amigo misterioso de Lady que tenta tirar a moça do limbo das redes sociais. Leonardo é aquele ator que a gente gosta de ver amadurecendo no vídeo. Eu o sigo no Instagram faz tempo, mas muito antes das redes sociais, eu já era espectador cativo dele. Minha gente…Uma pessoa que já foi José Inocêncio em “Renascer” (1993) zerou a vida! Aquela imagem clássica dele fincando o facão no Jequitibá faz parte da memória afetiva dos telespectadores brasileiros. O assisti também em “Sonho Meu” (1993), “Quatro por Quatro” (1994), onde interpretou o mau caráter Vinícius, e “Senhora do Destino” (2004). Atualmente, além da “Live_Instaserie”, é possível assisti-lo na reprise de “Caminhos do Coração” (2007), na Record TV. Para além da atuação na série, é prazeroso acompanhar Leonardo nas redes. Você vê um profissional maduro, seguro de si e que nos incentiva a acreditar na força da diversidade. Eis um artista que nos dá orgulho!

produção cultural
@IOLANDALARANJEIRO é Madalena Madeira, a empresária linha dura de Lady que faz de tudo em prol do sucesso e da polêmica. Iolanda é atriz portuguesa e está recorrentemente trabalhando em televisão ou teatro. Participou das obras televisas “A única mulher” (2015), “Mar Salgado” (2014) e das peças “Mulher(e)Xão (2015), “Quatro Metades” (2014) e “De olhos fechados” (2013).

produção cultural
@RITA_DEMEL é Filipa May, a rival de Lady. Dona de tiradas ótimas em cena, consegue arrancar boas risadas dos seguidores da série. Rita é atriz formada pela Escola Profissional de Teatro de Cascais e realiza diferentes trabalhos na TV. Recentemente, participou da série “1986”, de Nunon Markl e, atualmente, estuda no Instituto Português de Fotografia, em Lisboa.

produção cultural
@PEDRORAMOA é Nicolah, um visual stylist que parece ter adoração por Lady, mas que esconde outras intensões para com a protagonista. Pedro está sempre na ativa com trabalhos em televisão. Carioca e bacharel em artes cênicas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, desenvolveu um estudo sobre as fronteiras de gênero no corpo do intérprete, investigando o próprio corpo e seus limites. Atuou nas novelas “Verdades Secretas” (2015) e “Malhação”, além de ter sido produtor de elenco da TV Globo.

O engajamento do público do Instagram no perfil da Instasérie LIVE é consideravelmente grande, partindo do princípio de que o produto gerado ainda é novo no Brasil. Algo que gosto de ver é o engajamento dos próprios atores participantes. Eles também vibram com os novos episódios e participam de pequenas inserções de spin-off, que são aqueles momentos de “bônus” que são publicados além da obra original. Os seguidores também têm espaço. Se eles comentam algo sobre a instasérie, a produção seleciona os melhores vídeos gravados por eles e publica no perfil oficial, o que só aumenta esse engajamento e dialoga fortemente com a linguagem da internet.

Obviamente, LIVE_INSTASERIE é uma crítica ao modelo comportamental de instagrammers e algumas subcelebridades, que muitas vezes ficam afogadas numa realidade paralela de suas redes sociais. A direção usa dessa premissa pra construir dramaturgicamente uma obra leve, direta e com boa qualidade de texto e atuações. Em tempos de memetização, qualquer coisa engraçada (e muitas vezes, mal feita), ganha espaço e viraliza facilmente na internet. Quando se tem no mesmo espaço de redes sociais uma obra que dialoga e imprime qualidade, o estranhamento é inevitável, mas serve de combustível para que o público internauta queira saber o que vai acontecer no episódio seguinte. Talvez por isso a repercussão esteja sendo tão expressiva, pois trata-se de um conteúdo exclusivo da internet sem o apelo desesperado por likes. Não é a toa que hoje é tema de nossa coluna PRODUÇÃO CULTURAL no site AQUI TEM DIVERSÃO.

E A PRODUÇÃO, COMO É?

Quando Victor Brennad e Tati Pasquali se uniram para produzir a Instasérie, eles estavam envolvidos em diferentes produções audiovisuais, entre programas e filmes. A ideia inicial era produzir algo para Youtube, porém, entenderam a tempo que a linguagem do Youtube está ficando defasada. Youtubers famosos estão reduzindo o tamanho de seus programas porque, em tempos em que não há tempo para o tempo (legal isso…) tem sido difícil segurar o internauta com histórias que ultrapassem 05 minutos, por exemplo. Surgiu então a vontade de fazer algo para Instagram e aí pensaram nesse conceito da Instasérie, que se assemelha ao conceito de Instanovel, que é, grosso modo, histórias contadas no Instagram, só que com texto – e que também nos lembram as antigas fotonovelas. Um dos exemplos é “Casacaixa”, de Ravel Cabral, uma instanovel que contou com os atores Mel Lisboa, Alexandre Nero e Sérgio Guizé. De acordo com o diretor Victor Brennand, eles perceberam que deveria ser uma coisa breve, rápida, direta e objetiva. Por isso, os episódios têm um minuto no Feed de notícias e os Stories servem como complemento de 15 ou 30 segundos. A parte de escrita e pesquisa foi intensa. Para os autores, foi importante também seguir outros instagrammers para saber como se comportavam nesse mundo das redes. A partir daí surgiu o argumento e o roteiro. A estrutura narrativa, de acordo com Victor, já está presente na vida “real” dos influenciadores digitais. Todos e todas têm hatters e um ou outro inimigo declarado, além dos famosos seguimores, claro.

produção cultural
LIVE não é a primeira instasérie que existe, mas é a primeira instasérie luso-brasileira. Uma utopia que funcionou na prática. Equipe, parceiros e elenco são compostos por profissionais brasileiros e portugueses e todo mundo vestiu a camisa e mergulhou fundo no projeto. Como a repetição de padrão é o que faz o o Instagram ter força, os episódios foram publicados sempre nos mesmos horários e isso rendeu os inacreditáveis 56 mil seguidores em tão pouco tempo.

O projeto, que nasceu independente, mesclou diferentes profissionais convidados a dedo pelos diretores. Em pouco tempo, estilistas, hair stylist e demais parceiros foram abraçando a proposta. Essa parceria logística poupou gastos e potencializou as gravações… e quem trabalha com audiovisual sabe que um set harmônico rende muito mais do que um set cheio de tretas.

As gravações duraram pouco tempo, porém, o conteúdo gerado foi o suficiente para abastecer o instagram com muito material. A partir daí, vieram os eventos, as dinâmicas para alimentação de stories, entrevistas e as negociações para futuras temporadas. Vale a pena acompanhar e se familiarizar com essa novidade.

Quer conhecer mais sobre essa linguagem? Siga o perfil da Instasérie e fique atento às novas publicações… Inclusive, já estou sabendo que a segunda temporada vai rolar sim!

@LIVE_INSTASERIE

Realização, Produção Executiva, e Direção de Produção: @Tatipasquali e @Victorbrennand
Escrita por @Tatipasquali e @Victorbrennand e @Viniciusdias
Campanha de Divulgação: @Viniciusdias
Direção de Fotografia e Iluminação: @Pivocarvalho
Assistência de Imagem: @Joao.veloso_video
Fotografia de Cena:@Julia.ana.santos e @Viniciusdias
Produção: @Beatrizvmn
Pós-produção: @Tatipasquali e @Williamjsdantas
Stylist Personagens Lady e Nicolah: Joana Capela by Storytailors
Stylist Personagens Madalena, Filipa e Pedro: Sara Serra e Célia Fernandes by
A Outra face da lua e Refive
Cabelos e Make up by Unique Hair Design: @Edilson12 e @Fabiolorenzobeauty
Guarda-roupa: @Jacquelinelara_
Locação: Fábrica Braço de Prata
Espaço Locação Festa: @Revistanossacidade e @Meire_lavaggi
Identidade Visual: @Pkuniyasi.design e @Victorbrennand
Relações Públicas: @Oscar.gouveia
Graphic Design: @Pkuniyasi.design

Anterior Sugestão especial no cardápio e belas lembranças
Próximo B Hotel celebra Dia das Mães com brunch e recepção especial