Rosas Periféricas, grupo da ZL, segue com projeto que comemora uma década de teatro. Em agosto, acontecem os espetáculos Terremota (infantil) com a Cia. Bendita

Rosas Faz 10 Anos – Memórias de Um Teatro Maloqueiro entra na segunda etapa com programação online diversa e gratuita.

O Grupo Rosas Periféricas, atuante no Parque São Rafael, Zona Leste de São Paulo, segue com o projeto Rosas Faz 10 Anos – Memórias de Um Teatro Maloqueiro, contemplado na 34ª edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo. Iniciada em março, a programação traz uma mostra de repertório com as produções do coletivo, de 2009 a 2019, e também contempla outras ‘vozes’, inspiradoras para o grupo: montagens de companhias parcerias, oficinas, saraus e rodas de conversa, entre outras.

Nomeada de Apareceu Um Botão na Roseira, a 2ª Etapa do projeto (que tem duração total de dois anos) vai de agosto a dezembro, com acesso grátis e exibição online. Em agosto, acontecem os espetáculos Terremota (infantil) com a Cia. Bendita, de 18 a 26/8 (quinta e sábado, às 15h) e O Encantamento da Rabeca com o grupo O Buraco d’Oráculo, de 19 a 28/8 (quarta e quinta, às 20h), além de mais uma edição do Sarau da Antiga 28 Pergunta recebendo o Sarau do Binho (atuante na zona sul de SP), no dia 28/8 (sábado, às 17h). As transmissões são pelo Facebook/rosas.perifericas e Youtube/RosasPeriféricas.

Nos próximos meses, ocorrem temporadas do segundo ciclo de produções do Grupo Rosas Periféricas (2014-2019), com os espetáculos Narrativas Submersas, Lembranças do Quase Agora, Labirinto Selvático e Ladeira das Crianças – TeatroFunk, e montagens dos coletivos convidados FemiSistahs (Essa Gente que Menstrua) e Grupo Pandora de Teatro (Jardim Vertical). Acontecem também oficinas artísticas para crianças, jovens e adultos – Construção de Rima, Oficina de Passinho e História do Funk, ministradas por Renata Prado, Fanieh e Pablinho IDD, respectivamente – e o Sarau da Antiga 28 recebe: Sarau das Pretas, Sarau Comungar, Sarau do Vale, Sarau da Brasa e Sarau Okupação Coragem. A Roda de Conversa que fecha esse ciclo discute O Corpo da Atriz e do Ator, conduzida por Fernanda Haucke.

Uma mostra de repertório do Grupo Rosas Periféricas acontece ao longo do projeto com produções realizadas entre 2009 e 2019. As montagens revisitadas são: Vênus de Aluguel (2009), Rádio Popular da Criança (2013), Narrativas Submersas (2014), Lembranças do Quase Agora (2015) e Labirinto Selvático (2016), leitura dramática da peça A Mais Forte (2010) e apresentação da performance Fêmea (2012), além de circulação pelas periferias com seu mais recente espetáculo, o infantil Ladeira das Crianças – TeatroFunk (2019) em busca de refletir com as crianças sobre a popularidade do funk e as suas particularidades em cada comunidade.

PROGRAMAÇÃO 2ª ETAPA | AGOSTO DE 2021

https://www.facebook.com/rosas.perifericas
https://www.youtube.com/channel/UC6_M2YIWkAlwGwWTAV6hsmg

Teatro | Grupos convidados

Espetáculo infantil: Terremota
Com Companhia Bendita
Datas: 18, 19, 25 e 26 de agosto – Quarta e quinta, às 15h
Grátis. Transmissão: Facebook/rosas.perifericas | Youtube/RosasPeriféricas

Sinopse:

Maria é uma menina corajosa e esperta que mora com o tio Bigode e o gato Platão. Em um feriado, o tio resolve viajar, mas uma forte chuva atrapalha os planos. A menina fica indignada e prepara uma revolução: ela inventa um outro mundo na sala de sua casa e funda a República Terremota.

A Cia Bendita tem foco na pesquisa de novas dramaturgias voltadas para infância e família. Reunindo artistas como Jackie Obrigon, Marcelo Romagnoli, Guto Togniazollo, Fausto Franco, Chris Aizner, Marisa Bentivegna, Bruno Garcia, Dr. Morris e Ivaldo de Melo, foi fundada em 2012 com o espetáculo Terremota (prêmios APCA de Melhor Texto, Femsa de Teatro Infantil de Melhor Texto / Marcelo Romagnoli e Melhor Atriz / Jackie Obrigon). Em 2017, montou Gagá por meio do Prêmio Zé Renato, apresentado em unidades dos CEUs, que ganhou o Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem de Melhor Cenário e APCA para Marcelo Romagnoli (texto e direção) e Marisa Bentivegna (cenografia e iluminação). Em 2019, estreou Elagalinha, com novas parcerias: espetáculo com música ao vivo que recebeu o Prêmio APCA de Melhor Espetáculo de Rua.

FICHA TÉCNICA – Texto e direção: Marcelo Romagnoli. Elenco: Jackie Obrigon e Guto Togniazzolo. Cenário: Marisa Bentivegna. Figurinos: Cláudia Schapira. Trilha Sonora: Dr. Morris. Música composta: Tata Fernandes e Dr. Morris. Direção de fotografia e edição: Gabriel Ranzani. Adereços: Ivaldo de Mello. Fotos: Maria Clara Diniz. Operação de luz e som / Ilustrações: Bruno Garcia. Contrarregragem: Theo Sposito. Intérprete Libras: Fabiano Campos. Concepção e realização: Cia Bendita. Classificação etária: livre (a partir de 3 anos). Duração: 60 Minutos.

Espetáculo adulto: O Encantamento da Rabeca
Com O Buraco d’Oráculo
Datas: 19, 21, 26, 28 de agosto – Quinta e sábado, às 20h
Grátis. Transmissão: Facebook/rosas.perifericas | Youtube/RosasPeriféricas

Sinopse

O espetáculo conta histórias de transformação vivida por mulheres brincantes que cantam, tocam, dançam, “botam” bonecos e máscaras com intuito de revelar o protagonismo, a fragilidade e, acima de tudo, a força e resistência dessas mulheres em terreno originalmente masculino. A montagem parte da pesquisa dos folguedos do universo da rabeca, onde se faz presente ritos e brincadeiras como o cavalo-marinho, da zona da mata de Pernambuco, e o fandango caiçara, presente no litoral sul Paulista. No palco está vida e morte, passado e presente, buscando um diálogo entre a tradição e a invenção: invenção se transforma em tradição e a tradição dá as cartas para a próxima invenção.

O Buraco d’Oráculo nasceu, em 1998, com o intuito de fazer um teatro que discutisse o homem urbano contemporâneo e seus problemas. Desta forma, e desde o início, optaram pelo teatro de rua, maneira mais efetiva que encontraram para compartilhar momentos de reflexão e afetividade por meio da arte. O trabalho do grupo é norteado por três pontos fundamentais que denominam de “tripé” estéticos e éticos: a rua, como local para promover o encontro direto com o público, o “tem que ir aonde o povo está”; a cultura popular (fonte inspiradora de criação), reconhecendo-se nas manifestações e ritos que emanam do povo; e o riso e o cômico, como forma de crítica social.

FICHA TÉCNICA – Texto: Lu Coelho. Colaboradores de roteiro: Pablo Dantas e Cleydson Catarina. Encenação: Lu Coelho. Elenco: Lu Coelho e Nataly Oliveira. Confeção / bonecos de luva, trio de rabequeiras e máscara de madeira: Associação Cultural dos Mamulengueiros e Artesões de Gloria do Goitá. Produção geral: O Buraco d’Oráculo. Classificação etária: 14 anos. Duração: 50min.

SARAUS – Sarau da Antiga 28 Pergunta

SARAU DA ANTIGA 28 PERGUNTA
Com Gabriela Cerqueira, Michele Araújo, Monica Soares, Paulo Reis e Rogério Nascimento.
Data: 28 de agosto – Sábado, às 17h
Convidado: Sarau do Binho
Participantes: Binho, Marco Miranda, Pow Literarua, Tati Candeia, Luan Luando, Camila Brasil, Fernanda Coimbra e Zá Lacerda.
Transmissão: Facebook/rosas.perifericas | Youtube/RosasPeriféricas
Grátis. Duração: 1h. Livre.

O Sarau da Antiga 28 Pergunta são encontros virtuais ao vivo: visitas e homenagens do Sarau da Antiga 28, criado pelo Rosas Periféricas, a saraus tradicionais de São Paulo, cuja troca de experiência irá nortear suas novas edições. O objetivo dos encontros é entender a dinâmica de cada um, conhecer suas histórias e reverenciá-los, reservando momentos para literatura marginal com poesias e lançamento de livro. O Rosas Periféricas começou a participar de saraus em 2015. Em 2016, criou o Sarau da Antiga 28, propondo discussões e reflexões sobre temas como política, mulheres, cor da pele e a América Latina, tudo regado a muita poesia lida e inventada. O nome vem do endereço de sua primeira sede, cuja Rua Martin Lumbria era conhecida como “antiga Rua 28”, no Parque São Rafael. Nomes como Marta Baião (atriz, dramaturga e diretora), Germano Gonçalves (escritor), Walner Danziger (escritor), Juliana Morelli (atriz e artista plástica) e Coletivo Via (artes visuais) e as bandas ArmaMentes, Fuga Operária e ManaTiana já passaram pelo Sarau da Antiga 28.

O Sarau do Binho atua na zona sul de São Paulo, há 18 anos, realizando vários projetos voltados ao incentivo à leitura, à criatividade e a uma consciência crítica e cidadã. É composto por poetas, músicos e artistas de outras linguagens artísticas. Atualmente, acontece mensalmente no Espaço Clariô de Teatro, em Taboão da Serra, além ocorrer em escolas públicas, bibliotecas, unidades do Sesc e CEUs. O Sarau do Binho já esteve na Bienal Internacional do Livro de São Paulo (2014, 2015 e 2016) a convite da Secretaria Municipal de Cultura e do Sesc. Esteve também na Feira Internacional do Livro de Buenos Aires (2014), na Feira Internacional do Livro na Cidade do México e na Primavera do Livro em Santiago-Chile. Há cinco anos, organiza a Felizs – Feira literária da Zona Sul, espalhada por diversos equipamentos culturais e educacionais com programação gratuita.

Próximos saraus convidados:

Sarau das Pretas – 11 de setembro. Sábado, às 17h
Sarau Comungar – 25 de setembro. Sábado, às 17h
Sarau do Vale – 30 de outubro. Sábado, às 17h
Sarau da Brasa – 13 de novembro. Sábado, às 17h
Sarau Okupação Coragem – 27 de novembro. Sábado, às 17h

As demais atrações da 2ª Etapa / 2021 serão divulgadas oportunamente.

💬
ACESSE E DIVULGUE NOSSA PÁGINA DE FINANCIAMENTO COLETIVO DA REVISTA E SITE AQUI TEM DIVERSÃO 👇
BOTÃO DE APOIO 👇

Anterior Gabriel Edé 🎤 apresenta show do disco Terror da Terra
Próximo Soros, 📽️ dirigido por Jesse Dylan, filho do músico Bob Dylan