Grupo “Os Inclusos e os Sisos”, criado pela atriz Tatá Werneck, aborda com humor temas como discriminação e preconceito. A peça, que conta conta com total acessibilidade, está na programação do Reconecta dia 4 de dezembro, às 20h.

A ONG Escola de Gente – Comunicação em Inclusão, referência internacional em inclusão, tem participação dupla no Reconecta 2020 – Conferência e Exposição Nacional de Inclusão e Acessibilidade das Pessoas com Deficiência. O evento é promovido pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), parceiro da ONG desde 2002. A primeira participação acontece na próxima sexta-feira (4), às 10h, com a jornalista e fundadora da Escola de Gente, Claudia Werneck, apresentando a palestra “Informação e Comunicação Simples e Acessível”.

À noite, às 20h, o espetáculo virtual “Ninguém Mais Vai Ser Bonzinho”, do grupo “Os Inclusos e os Sisos” entra em cena, ao vivo, com todos os recursos de acessibilidade. O Reconecta é gratuito e a programação completa está disponível no seu site oficial.

Para garantir a participação de todas as pessoas, que é lei, mas tão pouco cumprida, a Escola de Gente inova, mais uma vez, ao trazer o teatro acessível, ao vivo, para o mundo virtual. Será disponibilizado intérprete da língua de sinais brasileira (Libras), legendagem e audiodescrição (AD) durante todo o espetáculo.

Já é a segunda apresentação virtual da Escola de Gente com plena acessibilidade, usando metodologia criada e aperfeiçoada ao longo da pandemia. Seu primeiro desafio aconteceu no Dia Nacional do Teatro Acessível, em 19 de setembro. Vale destacar que cada ator e atriz estão em lugares – estado e até País – diferentes. A metodologia permite que softwares gratuitos ou muito baratos sejam usados em conjunto, permitindo que transmissões em geral tenham, ao mesmo tempo, os três recursos de acessibilidade listados acima.

Com texto de própria autoria, “Os Inclusos e os Sisos” trazem, com muito humor, questões atuais e cotidianas de preconceito e discriminação. O público certamente se reconhece em pelo menos uma das cinco esquetes apresentadas pelo grupo, que se reveza em personagens, com figurinos diferentes, distribuindo diversão para todas as pessoas, sejam elas com ou sem deficiência.

Os Inclusos e os Sisos – O grupo fundado por Tatá Werneck foi assistido nos últimos 17 anos por mais de 100 mil pessoas nas cinco regiões do Brasil. Suas apresentações presenciais eram sempre gratuitas e com plena acessibilidade – o que não mudou no ambiente virtual. O espetáculo traz esquetes bem-humoradas, abordando problemas em andamento no mundo, como a situação global referente ao Covid-19. “A pandemia trouxe novas situações de discriminação sobre as quais precisamos refletir. Assim como acontece em nossos espetáculos presenciais, tenho certeza que o público vai se divertir e se reconhecer nos esquetes”, defende Carolina Godinho, diretora do grupo Os Inclusos e os Sisos.

Claudia Werneck – jornalista, fundadora e superintendente da Escola de Gente, além de referência internacional em inclusão e acessibilidade. Sua palestra terá duração de duas horas e contará também com participação da produção do espetáculo teatral. Num formato de mesa redonda, Claudia e sua equipe vão compartilhar as experiências e desafios para montar e apresentar uma peça acessível, inteiramente virtual, abordando ainda questões como diferenças entre o presencial e o online, com as devidas adaptações.

Ficha técnica do espetáculo

Realização: Escola de Gente – Comunicação em Inclusão
Grupo: Os Inclusos e os Sisos – Teatro de Mobilização pela Diversidade
Espetáculo: “Ninguém mais vai ser bonzinho”
Texto: Os Inclusos e os Sisos – Teatro de Mobilização pela Diversidade
Direção: Carol Godinho
Orientação do Grupo: Diego Molina
Elenco: Diogo Fujimura, Fabio Nunes, Fabíola Godoi, Leandro Lamas, Mariana Rebello, Victor Albuquerque
Audiodescrição: Nara Monteiro
Canal de Audiodescrição: Beplay
Língua de Sinais: JDL Traduções
Legendas: Grupo Steno
Operação de Vídeo: Marcio Freitas
Comunicação: Luana Rodrigues, Alan Thomas
Design: Pedro Bezerra
Produção: Ricardo Kazuza, Alan Thomas
Administração: Luciana Gomes

Sinopse 

O espetáculo aborda, com muito humor, questões cotidianas de preconceito e discriminação. São esquetes em que atores e atrizes se revezam em personagens em que o público se reconhece com facilidade, permitindo que todas as pessoas – com e sem deficiência – participem e se divirtam juntas no teatro virtual.
Duração: 40 minutos
Classificação etária: Livre
Gratuito e acessível
Link para assistir ao espetáculo: https://bit.ly/33Exv2J

Anterior Emicida participa do Metrópolis desta sexta-feira
Próximo Paulo André Tavares e Oswaldo Amorim em live