Space Rock da Pollares


O Space Rock da Pollares abre pro Fresno

Depois de abrir para a Supercombo e chamar a atenção no 1º Festival Rock de Arena, em Brasília, a banda promete provar mais uma vez seu valor em show com a Fresno.

Uma coisa aprendemos com a história do rock nacional: é sempre bom estar atento ao cenário musical brasiliense. Opção para os amantes do gênero da capital federal do País é a banda Pollares, que estará no 2º Festival Rock de Arena, no dia 23 de abril, na Arena Futebol Club, em Brasília.

Após o surpreendente show no festival Rock de Arena (no dia 16 de janeiro, também em Brasília) – quando abriram para a Supercombo e a Dona Cislene – o trio Pedro, Ugo e Walter abrirá o show da Fresno.

“É novamente incrível fazer parte de um festival tão bacana e com bandas que já tem reputação na cena nacional. Estamos ansiosos para sentir a mesma vibração que sentimos do público na primeira edição”, comenta Walter. “A Pollares está pronta para brilhar!”, diz.

Serviço

Data | 23/04/2016
Horário| 19hrs
Local | ARENA FUTEBOL CLUBE (SCES trecho 03, lote 01)

INGRESSOS |BERLIN DISCOS (CONIC) | ABRIU PRO ROCK (PÁTIO BRASIL SHOPPING) | LIVE TATTOO (312 SUL) | A Loja .COM (306/7 sul) | CHILLI BEANS : TAGUATINGA SHOPPING, PARK SHOPPING e BRASÍLIA SHOPPING

2º Lote | R$ 60 – Pista Única

Ingresso FULL EXPERIENCE | (foto/autógrafos com a Fresno + entrada na passagem de som + show) – R$ 150

Space Rock

Fascinados por astronomia e astrofísica, os fundadores Pedro Senna (bateria, synths, percussão, loops e backing vocals) e Ugo Fonseca (guitarra, baixo, violão, synths e backing vocals) denominam o som que fazem como algo insólito: um Space Rock. “Nossa atitude, o visual dos shows e nossa sonoridade estão inseridos na temática espacial. Tanto que o nome da banda é inspirado na estrela Polaris, também conhecida como estrela Polar”, conta Pedro. “Mas transcendemos a aparência romântica e suave para riffs mais pesados, que expõe bastante nossa personalidade”, completa.

O Space Rock, aliás, é um subgênero musical que recria formas mais melódicas e ambientais das bandas do final dos anos 70, mas que também possui expoentes no século XXI. “Nossas influências são mais modernas, como Muse, Twenty One Pilots, Thirty Seconds To Mars, The Killers, entre outros”, diz Ugo.

Em janeiro de 2013, a banda gravou seu primeiro EP, em Brasília, e em agosto do mesmo ano iniciaram a produção do disco “Indestrutível”, no estúdio Norcal, em São Paulo, que contou com a produção de Adriano Daga (Malta) e Brendan Duffey. O disco tem a participação de Lucas Lima, Moisés Lima (Família Lima) e Elliot Reis (Gloria).

Em 2014, Walter Mourão (voz, baixo, guitarra e piano) – participante do Fama 4, Cia. e da Filarmônica de São Paulo – entrou para a banda e finalizou os vocais e composições do disco.

Anterior Loca Como Tu Madre
Próximo “É o Tchan” revive clássicos do axé