“Os homens que eu tive” tem exibição gratuita entre os dias 24 e 26 de setembro. O projeto também tem debate com Amanda Devulsky e Roberta Veiga

Entre os dias 24 e 26 de setembro, a terceira edição das Sessões Verberenas exibe “Os homens que eu tive”, da diretora Tereza Trautman. No domingo, dia 26, o projeto transmite debate sobre o filme e lança mais uma publicação on-line – disponível em verberenas.com. A cada edição, uma nova coletânea sobre cinema, com textos de mulheres de todo país, é disponibilizada para o público. Toda programação é gratuita.

“Os homens que eu tive” conta a história do casal Pity, uma jovem que leva uma vida alegre com seu marido Dode e seu namorado Sílvio. Ela procura entender seus próprios desejos e buscar formas de saciá-los. Lançado em 1973, o filme foi censurado pela ditadura até 1980, quando enfim foi liberado pelo governo. Na época da estreia, Tereza tinha apenas 22 anos.

“A jovem Tereza Trautman e seu filme de estreia destacam-se para nós do Verberenas pela rebeldia em apresentar uma protagonista que insiste em ser quem é de forma corajosa e, ao mesmo tempo, natural. É fundamental refletir sobre a importância da nossa memória, sobretudo em um momento em que, após anos de repetida negligência, a Cinemateca Brasileira – que conta com o maior acervo audiovisual da América do Sul – esteve literalmente em chamas e segue sem funcionários, sem gestão e sem repasses governamentais”, destaca Amanda Devulsky que, ao lado de Glênis Cardoso e Letícia Bispo, integra o Verberenas.

Filme em debate

No domingo, dia 26, às 18h, Amanda, curadora desta edição, conversa com Roberta Veiga sobre “Os homens que eu tive”. Doutora em Comunicação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e professora adjunta na mesma instituição, Roberta é tradutora do livro “Nothing Happens: Chantal Akerman’s Hyperrealist Everyday”m que detalha a obra da diretora belga Chantal Akerman (1950-2015).

Verberenas

Criado em 2015, Verberenas é um projeto independente que reúne mulheres pesquisadoras e atuantes no cinema brasileiro. Incomodadas com a pouca presença feminina nas discussões sobre cinema, Amanda Devulsky, Carol Lucena, Glênis Cardoso e Letícia Bispo decidiram criar um espaço on-line para a discussão cinematográfica com foco nas perspectivas das mulheres.

Em março de 2021, o projeto cresceu com a chegada das Sessões Verberenas. A estreia foi com a exibição de “Porta para o Céu”, da diretora marroquina Farida Benlyazid. Em junho, foi a vez de mostrar ao público o filme “Microhabitat”, de Go-Woon Jeon.

Serviço

Sessão Verberenas 3ª edição
Filme “Os homens que eu tive” disponível para o público do dia 24/09 até o dia 26/09, na plataforma https://todesplay.com.br/.
Não recomendado para menores de 16 anos.
Dia 26 de setembro, domingo, às 18h, debate com Amanda Devulsky e Roberta Veiga no Youtube Verberenas
Toda programação é gratuita.

Verberenas – Redes sociais

Instagram: @verberenas
Twitter: @verberenas

💬
ACESSE E DIVULGUE NOSSA PÁGINA DE APOIO DA REVISTA E SITE
AQUI TEM DIVERSÃO 👇

💬OU APOIE COM QUALQUER VALOR!

Anterior SEMUTSOC, espetáculo questiona hábitos cotidianos
Próximo Vengaboys, ança novo single "1999 (I Wanna Go Back)"