O quarto disco de Saulo Duarte está lançado em todas as plataformas digitais. Álbum este que tem gosto de estreia, com o frescor de um primeiro disco. É o quarto, porque o cantor e compositor já lançou três junto com a banda A Unidade. Mas é o seu primeiro disco 100% solo. É o álbum que desnuda Saulo Duarte como cantor, compositor e também produtor. E é sob o título Avante Delírio que ele deságua em onze canções suas ideias mais íntimas, que não cabiam nos repertórios anteriores.

Mas é claro que Saulo Duarte não está sozinho! E nunca estará, já que ele é um guitarrista onipresente na música popular brasileira. (Ele toca nas bandas de Céu, Russo Passapusso, Curumin, Anelis Assumpção e por aí vai…)

Durante a produção de Avante Delírio, ele se muniu muito bem: Marcelo Jeneci, Negro Leo, Curumin, Zé Nigro são alguns nomes envolvidos no disco. Os dois últimos assinam parte da produção junto com Saulo.

Avante Delírio (que sai pela gravadora independente YB Music) é uma referência a esse coletivo de músicos ultra talentosos. É uma convocação para seguir avante com o delírio de fazer música independente no Brasil. Num país que é a cara de Saulo Duarte. Um jovem que nasceu em Belém (PA), cresceu em Fortaleza (CE) e há dez anos vive em São Paulo (SP).

O primeiro single lançado em julho, “Flor do Sonho” veio com influência das músicas paraense e baiana. A faixa contém um ar de mistério e possui poucos agudos por conta da característica amadeirada do violão de nylon. A batida dançante se completa com os sintetizadores.

É música brasileira com influência de música brasileira: um aceno para a sonoridade do primeiro disco de Jards Macalé, “Só Morto” (1970) e ao “Tábua de Esmeralda” (1974), onde Jorge Ben.

“As levadas rítmicas mudam constantemente: o samba rock torto que vira um baião no meio de “Ela Foi Ver a Lua”, o jazz livre do início de “Tapume” logo bate continência a uma marchinha pós-apocalíptica, a levada suave de “Praça de Guerra” que se desdobra em uma bad trip de discos tocados de trás pra frente, o refrão delicado de “Estrela D’Água” é recriado como um arrastão lek lóki puxado por Negro Leo.

Primeiro disco solo de Saulo Duarte, ‘Avante Delírio’ é um deleite musical – por vezes bucólico, por outras festeiro – que visa dissipar o clima pesado que paira sobre o Brasil no ano de seu lançamento. É um disco solar, animado, feliz, em que Saulo assume o violão como principal parceiro, disposto a atravessar as piores intempéries para trazer boas novas em forma de canção”,
Alexandre Matias, curador musical e jornalista.

** Escute Avante Delírio **

Spotify
Deezer
Apple Music
Napster
Google Play
Tidal

Singles em .wav e mp3

https://goo.gl/kE18bB

Ficha Técnica

Saulo Duarte: voz, violão, vocais
Pepe Cisneros: piano elétrico
João Leão: sintetizador
Betão Aguiar: baixo
Curumin: bateria, MPC, vocais
Igor Caracas: congas
Ze Nigro: vocais

Produzido por Saulo Duarte, Curumin e Ze Nigro
Gravado no estúdio Navegas Cantareira em dezembro de 2017 por Ze Nigro e Lenis Rino, no YB estúdio em janeiro de 2018 por Fernando Rischbieter, no Red Bull studio em julho de 2017 por Rodrigo ‘Funai’ Costa e Alejandra Luciani, no Klaus Haus studio em fevereiro de 2018 por Klaus Sena e no Matraca Records em março de 2018 por Pedro Vinci
Mixado por Fernando Rischbieter e Pedro Vinci no YB estúdio
Masterizado por Carlos ‘Caca’ Lima no YB estúdio
A&R: Mauricio Tagliari
Label Manager: Benoni Hubmaier
Produção Executiva: Renata Franchini
Capa e foto do encarte por Paola Alfamor
Designer gráfico: Geraldo Yang
Gravadora: YB music

aqui_tem_diversao_saulo_duarte2
Capa Avante Delírio”

 

Anterior Confira a dica da Castelo Alimentos: Suflê de couve-flor
Próximo Veja o primeiro teaser de O Mundo Sombrio de Sabrina