Novo projeto solo do cantor, guitarrista e compositor brasiliense Carlos Pinduca, RoliMan ex-Maskavo Roots e Prot(o), apresenta “Queria Ser Lô Borges (Mas Sou Só Lo-Fi)”, álbum com cinco músicas já disponíveis em várias plataformas

RoliMan é a nova empreitada musical de Carlos Pinduca, cantor, guitarrista e compositor atuante na cena independente nacional há mais de 30 anos, tendo passado pelas bandas brasilienses Anticorpos Corrosivos (1989/91), Maskavo Roots (1992/96) – com a qual lançou o álbum “Maskavo Roots” (1995) -, Prot(o) (1999/2007) – com dois álbuns, em 2003 e 2006 – e Brasil Cibernético (2013/16).

Ao contrário do que possa parecer, o nome RoliMan não deriva apenas do carrinho artesanal de madeira usado por crianças para descer ladeiras, mas principalmente da junção do sobrenome do artista (Rolim) adicionado da tradução inglesa da palavra homem (Man). O resultado desse jogo de palavras parece servir bem à proposta do projeto sonoro, formado por “um homem só”, que aproveitou o isolamento provocado pela pandemia para aprender a mexer no software Pro-Tools e gravar suas composições sozinho, munido apenas de baixo, guitarra, violão, teclados e uma bateria eletrônica Boss DR 550, datada de 1992, que acabou ajudando a dar o toque rústico à gravação.

E é dessa rusticidade que surge o título do EP de estreia, “Queria Ser Lô Borges (Mas Sou Só Lo-Fi)”, formado por cinco músicas de autoria de Carlos Pinduca. Para quem não conhece, lo-fi é uma abreviação da palavra low fidelity (baixa fidelidade, em português), que denomina não só as gravações musicais que não são de alta qualidade (hi-fi), mas também um estilo adotado conscientemente por bandas indies a partir dos anos 1990, que apostaram na força das composições como forma de compensar o orçamento limitado para o aluguel de estúdios. Embora tenha se mantido ativo nesse período, compondo singles com a banda Brasil Cibernético e com o projeto RoliMan, esse é o primeiro disco que Carlos Pinduca lança após 15 anos. Todas as cinco músicas têm vídeos registrados no canal oficial do artista www.youtube.com/CarlosPinduca

Quanto à presença do cantor e compositor mineiro Lô Borges no título, trata-se de uma das influências que permeiam o trabalho, junto com Mutantes, The Clash, Beatles, Led Zeppelin e muitas outras coisas que fizeram parte da formação musical de Carlos Pinduca. Até a capa do EP do RoliMan faz brincadeira com o chamado “Disco do Tênis” (1972) de Lô Borges: no lugar do surrado Adidas branco, tem a foto de um par de sandálias de dedo. Mais lo-fi impossível…

SERVIÇO

Disco: “Queria Ser Lô Borges (Mas Sou Só Lo-Fi)”
Artista: RoliMan
Data de lançamento: 29 de maio de 2021 nas principais plataformas digitais
Sobre o álbum: EP com cinco músicas compostas e tocadas por Carlos Pinduca (duas delas foram gravadas na Sala Fumarte, antes da pandemia, e três na casa do próprio artista, entre outubro de 2020 e abril de 2021)

Músicas

1. Feng Shui
2. Cabo de Guerra
3. Fuga das Palavras
4. Pra Cego Ver
5. Gritar

OUÇA E SAIBA MAIS

https://linktr.ee/RoliMan_Pinduca

CLIQUE ABAIXO E ACESSE + CONTEÚDOS SOBRE 👇
  #MÚSICA   #TEATRO&DANÇA   #GASTRONOMIANODF   #RECEITAS  
#ARTESVISUAIS   #FILMES   #SÉRIES   #TVABERTA&ASSINADA
 #LITERATURA   #TURISMO   #EVENTOS

SIGA E CURTA AS NOSSAS REDES SOCIAIS
  FACEBOOK/DIVERSAOAQUITEM   INSTAGRAM/DIVERSAOAQUITEM
TWITTER/DIVERSAOAQUITEM

Anterior Patética, espetáculo no Festival São Paulo Sem Censura
Próximo Blindspotting é o destaque na programação da STARZPLAY