Despertar, de Rod Krieger, ex-baixista da Cachorro Grande, é o novo lançamento do projeto The Quarantine Experience. Vídeo foi filmado em Lisboa, depois do fim do Estado de Emergência em Portugal e tem direção do cineasta Raul Machado

Devido a pandemia da Covid-19, Rod Krieger não chegou a realizar a turnê de lançamento do seu disco de estreia, A Elasticidade do Tempo, lançado em 20 de Março. E, depois do fim do Estado de Emergência em Portugal, no começo de Maio, com a possibilidade de circulação pelas ruas de Lisboa, o artista brasileiro registrou seu primeiro caminhar pela cidade, depois de mais de 50 dias em casa, para gravar o clipe de Despertar, terceira faixa do álbum. Assista aqui.

O lançamento faz parte do projeto The Quarantine Experience, criado durante a pandemia pelo cineasta Raul Machado, que já dirigiu clipes de artistas como Planet Hemp e Nação Zumbi. Semanalmente dois videoclipes de artistas de diferentes gêneros, regiões e países estão sendo lançados no canal do youtube do projeto. Riviera Gaz, Orquestra Jabaquara, Luvbites, Autoramas, Sam Spiegel, Tropkillaz, Cigarras, Under the Knife, Romero Ferro, Rod Krieger, Cloé du Trefle, Marília Calderón e quem mais vier. A ideia é os artistas captarem as imagens e Raul edita e finaliza.

Despertar

Algumas canções de A Elasticidade do Tempo já estavam em processo de composição, e Krieger começou a sentir falta de um rock com pegada British sixties. A batida de Despertar era muito mais lenta e tinha uma dinâmica próxima ao psicodelismo folk, vertente que o artista tem apostado neste período de reabertura de Portugal, a fim de realizar pequenos concertos, como foi na VALSA, no início de Junho, em Lisboa. “Um dia liguei os drives da guitarra e criei o riff inicial que acabou virando característica da música, que antes era uma balada de violão e sitar. Hoje, inclusive, devido a uma necessidade de reinvenção, apesar das músicas terem diversos elementos, sinto que ao vivo elas voltaram às origens”, conta o artista.

Com uma letra direta, na canção Krieger fala da sua rotina e do momento de despertar que está vivendo, desde que mergulhou em questões sobre a sua relação com a espiritualidade. “Tenho costume de acordar muito cedo e na época em que compus a faixa estava lendo o livro ‘Um Novo Mundo: O Despertar de uma nova consciência’, do Eckhart Tolle, que até estou relendo durante a pandemia. Acredito que subconscientemente a palavra tenha ficado na minha cabeça, assim, surgindo não só o nome da música, mas, talvez toda a letra, que pode até se dizer que está relacionada ao livro. Com certeza é a música mais rock n roll do álbum, e para quebrar o clima, coloquei alguns inserts eletrônicos no refrão e retirei a voz para dar um momento de reflexão ao ouvinte”.

Bandcamp
Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

SOBRE ROD KRIEGER

Radicado em Lisboa desde o início de 2019, no Brasil, Rod Krieger foi baixista durante 15 anos na banda Cachorro Grande, com a qual gravou cinco discos de estúdio e um DVD ao vivo, além de ter percorrido as principais cidades do país com uma intensa agenda de shows.

Além disso, devido a uma performance explosiva nos palcos, a Cachorro Grande conquistou o prêmio de melhor show na extinta premiação Video Music Brasil, da MTV, e ao longo dos anos, dividiu o palco com bandas como Oasis, Supergrass, Primal Scream, Iggy Pop, Aerosmith e abriu o show dos Rolling Stones em Porto Alegre durante a turnê Olé, em 2016. Em 2018, a banda lançou um disco ao vivo com a participação de Samuel Rosa (Skank) e no final daquele ano, foi anunciado o fim do grupo.

Neste período, Rod trocou cartas com seu grande ídolo, Arnaldo Baptista, com quem nutriu uma verdadeira amizade. Foi aí que o músico criou um projeto de homenagem a Arnaldo, que contou com o próprio na primeira fila na estreia que aconteceu no Teatro da CAIXA Cultural, em São Paulo, em 2018. O projeto já reuniu nomes como Karina Buhr, Thunderbird, Tatá Aeroplano, Hélio Flanders, Charly Coombes (ex-Supergrass que mora no Brasil), entre outros.

Atualmente, ele está com a turnê do seu disco de estreia, A Elasticidade do Tempo (Março/2020), em suspenso, tendo realizado até o momento, somente um concerto de pré-lançamento, no Sabotage, em Lisboa, no início do ano. Porém, com a reabertura de Portugal, pós-Estado de Emergência, se apresentou na VALSA, em Junho, com show no formato de guitarra acústica e harmónica, e as canções em uma versão “folk psicadélicas”.

Anterior Polo & Pan lança single inédito; ouça “Feel Good”
Próximo Com licença, você tem um minuto para refletir?