Serão exibidos 12 filmes estrelados por um dos mais célebres atores americanos das últimas décadas, Robert De Niro. Debate discutirá com o público a fortuna crítica e artística do astro

O Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB Brasília apresenta entre 25 de junho e 7 de julho a mostra de cinema “De Niro”, uma homenagem a um dos mais célebres atores norte-americanos das últimas décadas. Serão exibidos 12 filmes estrelados pelo astro Robert De Niro, cuidadosamente selecionados pelo curador Paulo Santos Lima. A mostra inclui um debate para discutir a fortuna artística e estética presentes no trabalho desse artista que esteve com os melhores cineastas americanos de sua geração.

Nascido em Nova Iorque no ano de 1943, Robert De Niro é dos expoentes máximos da chamada Nova Hollywood. Formado nas renomadas escolas de atuação moderna de Stella Adler e do Actors Studio de Lee Strasberg, desempenhou papeis que exigiam uma performance mais física, marcada e de alta intensidade, e outros que pediam registros mais introspectivos. “Assim como Greta Garbo foi o símbolo dos anos 1930 e Marlon Brando e James Dean, o da rebeldia dos anos 1950, Robert De Niro é a grande marca da renovação pela qual o cinema americano passou a partir da segunda metade anos 1960”, afirma o curador Paulo Santos Lima.

Versátil, De Niro esteve em diferentes projetos e seu grande diferencial foi o de trabalhar com diretores do calibre de Martin Scorsese, Bernardo Bertolucci, Brian De Palma, Sergio Leone e Quentin Tarantino, e de atuar com atrizes como Meryl Streep e Jane Fonda ou atores como Al Pacino e Samuel L. Jackson. Por decorrência, isso faz de Robert De Niro uma fatura estética nas mais importantes experiências cinematográficas dos últimos 50 anos”, acrescenta o curador.

Para extrair a nata da extensa e diversa filmografia de De Niro em pouco mais de 10 filmes, a curadoria propôs evidenciar o ator como o mais significativo de sua geração. Segundo o curador, o recorte procura mostrar a atuação de De Niro encaixando-se em diferentes estilos cinematográficos, num espectro que inclui desde um filme autoral europeu como 1900, do italiano Bernardo Bertolucci, a uma obra-prima do típico cinema de gênero norte-americano, como Fogo contra Fogo, passando por Touro Indomável, que exigiu uma maior entrega física do ator. “A premissa era escolher obras de forte valor artístico, como O Franco Atirador, Era Uma Vez na América e Jackie Brown, mas sem deixar de lado exemplos que mostrassem um De Niro em excelência criativa em projetos esteticamente menos memoráveis. Outra ideia foi a de localizar historicamente o artista, como na experiência da contracultura, em Olá, Mamãe, explica.

Por fim, a mostra promove no dia 29 de junho, sábado, um debate com a participação da atriz e preparadora de elenco Raissa Gregori e do curador Paulo Santos Lima.

25/06 – terça

14h30 Era Uma Vez na América (1984), de Sergio Leone, 229’, digital – 18 anos
19h Olá, Mamãe! (1970), de Brian De Palma, 87’, digital – 14 anos

26/06 – quarta

15h Desafio no Bronx (1993), de Robert De Niro, 121’, digital – 16 anos *
17h30 O Franco Atirador (1978), de Michael Cimino, 183’, 35mm – 18 anos
· sessão com acessibilidade (legendagem descritiva e audiodescrição)

27/06 – quinta

15h30 Fuga à Meia-Noite (1988), de Martin Brest, 126’, digital – 16 anos
18h Fogo contra Fogo (1995), de Michael Mann, 170’, digital – 14 anos

28/06 – sexta

14h30 O Bom Pastor (2006), de Robert De Niro, 167’, digital – 14 anos
18h Jackie Brown (1997), de Quentin Tarantino, 154’, 35mm – 14 anos

29/06 – sábado

13h30 Fuga à Meia-Noite (1988), de Martin Brest, 126’, digital – 16 anos
16h30 Touro Indomável (1980), de Martin Scorsese, 129’, 35mm – 16 anos
19h DEBATE*
· com o curador Paulo Lima Santos e a atriz e preparadora de elenco Raissa Gregori

30/06 – domingo

14h Jackie Brown (1997), de Quentin Tarantino, 154’, 35mm – 14 anos
17h30 O Franco Atirador (1978), de Michael Cimino, 183’, 35mm – 18 anos

02/07 – terça

15h Touro Indomável (1980), de Martin Scorsese, 129’, 35mm – 16 anos
17h30 O Bom Pastor (2006), de Robert de Niro, 167’, digital – 14 anos

03/07 – quarta

15h A Família Flynn (2012), de Paul Weitz, 102’, digital – 16 anos
17h O Poderoso Chefão 2 (1974), de Francis Ford Coppola, 202’, digital – 14 anos

04/07 – quinta

13h Olá, Mamãe! (1970), de Brian De Palma, 87’, digital – 14 anos
15h 1900 (1976), de Bernardo Bertolucci, 317’, digital – 18 anos

05/07 – sexta

13h O Poderoso Chefão 2 (1974), de Francis Ford Coppola, 202’, digital – 14 anos
16h45 Desafio no Bronx (1993), de Robert De Niro, 121’, digital – 16 anos
19h15 A Família Flynn (2012), de Paul Weitz, 102’, digital – 16 anos

06/07 – sábado

13h45 Fogo contra Fogo (1995), de Michael Mann, 170’, digital – 14 anos
17h Era Uma Vez na América (1984), de Sergio Leone, 229’, digital – 18 anos

07/07 – domingo

13h30 1900 (1976), de Bernardo Bertolucci, 317’, digital – 18 anos

Sinopses

Olá, Mamãe! (Hi, Mom!)
EUA, 1970, 87 min
Direção: Brian De Palma. Com Robert De Niro, Jennifer Salt, Lara Parker, Gerrit Graham.

Jon Rubin (De Niro) volta da Guerra do Vietnã e mantém como hábito observar, voyeuristicamente, os moradores do prédio em frente. A experiência faz com que conheça de casais consumistas a uma moça com a qual ele pretende fazer um filme pornô. Mais tarde, Rubin se engaja numa ação política que inclui guerrilha urbana, numa releitura irreverente dos movimentos sociais dos anos 1960. Continuação de Saudações (1968), e mais outro exemplo de um jovem De Palma dialogando com o cinema de Jean-Luc Godard.

O Poderoso Chefão II (The Godfather: Part II)
EUA, 1974, 202 min
Direção: Francis Ford Coppola. Com Al Pacino, Robert De Niro, Robert Duvall, Diane Keaton.
Início do século XX. Após a máfia local matar sua família, o jovem Vito (Robert De Niro) foge da sua cidade na Sicília e vai para a América. Já adulto em Little Italy, Vito luta para ganhar a vida (legal ou ilegalmente) e manter sua esposa e filhos. O poder de Vito vai crescendo, mas sua família é o que mais lhe importa. Nos anos 1950, com o patriarca morto, é o caçula Michael (Al Pacino) quem mantém o legado da família Corleone. Buscando excelência e melhor autenticidade, De Niro morou três meses na Sicília e gastou quatro meses para aprender o dialeto da terra natal de Vito Corleone.

1900 (Novecento)
Itália/França/Alemanha, 1976, 317 min
Direção: Bernardo Bertolucci. Com Robert De Niro, Gérard Depardieu, Dominique Sanda, Francesca Bertini.

Alfredo (De Niro) e Olmo (Gérard Depardieu) são dois amigos de infância que, por conta de suas origens sociais diferentes, tornam-se inimigos quando adultos, no conturbado cenário político da Itália do início do século 20, que pôs em confronto as lutas trabalhistas e o fascismo. Versão integral do filme, conforme o pretendido pelo diretor.

O Franco Atirador (The Deer Hunter)
EUA, 1978, 183 min
Direção: Michael Cimino. Com Robert De Niro, Christopher Walken, Meryl Streep, John Savage.

Operários de fábrica numa pequena cidade na Pensilvânia, os amigos Michael (Robert De Niro), Steven (John Savage) e Nick (Christopher Walken) alistam-se nas forças armadas para lutar na Guerra do Vietnã. Eles se despedem da família e dos amigos na festa de casamento de Steven, e partem para a batalha. Infernal, a experiência separa os amigos e será um trauma na vida de todos, um deles desaparecendo no Vietnã e os outros dois retornando psicologicamente devastados aos EUA. Além do Oscar de melhor filme, Michael Cimino ganhou o Oscar de melhor direção.

Touro Indomável (Raging Bull)
EUA, 1980, 129 min
Direção: Martin Scorsese. Com Robert De Niro, Cathy Moriarty, Joe Pesci, Frank Vincent.

Neste longa baseado na vida real do peso-médio Jake La Motta, De Niro faz o papel do pugilista, que inclusive lhe rendeu o Oscar de Melhor Ator. Conhecido como “o touro do Bronx”, Jake sobe na carreira com a mesma rapidez com que sua vida particular se degrada, graças ao seu temperamento violento e possessivo, que afeta a esposa, Vickie (Cathy Moriarty), e seu irmão Joey (Joe Pesci). De Niro treinou boxe por meses e passou outros dois engordando 25 quilos para fazer o personagem em decadência física.

Era Uma Vez na América (Once Upon a Time in America)
EUA/Itália, 1984, 229 min
Direção: Sergio Leone. Com Robert De Niro, James Woods, Elizabeth McGovern, Tuesday Weld.

Na década de 1920, Noodles (Robert De Niro), Max (James Woods), Cockeye (William Forsythe) e Jimmy (Treat Williams) crescem juntos cometendo pequenos crimes nas ruas do Lower East Side, em Nova York. Seus feitos vão tomando vulto ao passo que incomodam os violentos rivais. Essas passagens serão relembradas por um já idoso Noodles, que retorna ao bairro para desvendar um enigma. Misturando poesia e violência, o italiano Sergio Leone (Por Um Punhado de Dólares) assina aqui sua última direção.

Fuga à Meia-Noite (Midnight Run)
EUA, 1988, 126 min
Direção: Martin Brest. Com Robert De Niro, Charles Grodin, Yaphet Kotto, Denis Farina.

Nesta comédia policial, De Niro é Jack Walsh, um caçador de recompensas contratado para levar de Nova York à cadeia em Los Angeles um contador, Jonathan Mardukas (Charles Grodin), que roubou dinheiro da máfia. O trajeto será tumultuado porque, além dos bandidos, o FBI e um outro caçador de recompensas também estão no rastro de Jonathan. De Niro mostra-se aqui um hábil ator de cinema de ação.

Desafio no Bronx (A Bronx Tale)
EUA, 1993, 121 min
Direção: Robert De Niro. Com Robert De Niro, Chazz Palminteri, Lillo Brancato, Francis Capra.

Lorenzo (De Niro) é um motorista de ônibus corretíssimo que assiste, preocupado, à amizade entre seu filho, Calogero (Francis Capra, aos 9 anos, e Lillo Brancato, aos 17) e o gângster do bairro, Sonny (Chazz Palminteri), num laço que vai ganhando mais força com o passar do tempo. Primeira direção de De Niro, mesclando uma sensível gramática de conto ao tom dos filmes de gângster de Martin Scorsese.

Fogo contra Fogo (Heat)
EUA, 1995, 170 min
Direção: Michael Mann. Com Al Pacino, Robert De Niro, Val Kilmer, Jon Voight.

Vincent Hanna (Al Pacino) é um obstinado policial que coloca o trabalho acima de tudo. Neil McCauley (Robert De Niro) é um fora-da-lei igualmente profissional que pretende fazer seu último grande roubo a fim de se aposentar da criminalidade. Sendo os melhores no que fazem, ocorre logo uma mútua identificação entre esses dois homens solitários e éticos. Na caçada, Vincent verá seu casamento ruir ao passo que Neil começará um forte romance. Clássico do cinema policial que possui algumas sequências memoráveis. Uma delas é um espetacular tiroteio que faz as ruas de Los Angeles parecerem o cenário de uma guerra civil. A outra, a conhecida “cena do café”, uma das mais célebres da história do cinema, é o primeiro encontro em cena entre os dois maiores atores de sua geração, Robert De Niro e Al Pacino.

Jackie Brown (Jackie Brown)
EUA, 1997, 154 min
Direção: Quentin Tarantino. Com Pam Grier, Robert Forster, Samuel L. Jackson, Robert De Niro.

Jackie Brown (Pam Grier) é uma comissária de bordo que contrabandeia dinheiro do México para os Estados Unidos, a mando de Ordell Robbie (Samuel L. Jackson), um traficante de armas. Dois policiais oferecem um acordo para que Jackie entregue o bandido, o que lhe dá a ideia de ficar com o dinheiro e escapar de todos. De Niro interpreta um ex-presidiário amigo de Ordell. Tarantino faz uma homenagem ao blaxploitation, o cinema negro americano dos anos 1970, e celebra sua maior musa, Pam Grier.

O Bom Pastor (The Good Shepherd)
EUA, 2006, 167 min
Direção: Robert De Niro. Com Matt Damon, Angelina Jolie, Alec Baldwin, Robert De Niro.

Baseado na história real de James Jesus Angleton, um dos primeiros chefes da CIA, o filme acompanha Edward Wilson (Matt Damon), sempre discreto e compromissado com a honra. Sua mente afiada e sua crença nos valores americanos o tornam um ideal candidato para o que seria a futura agência de espionagem norte-americana. Mas seu talento não faz dele um marido exemplar e também não o livra de lidar com a tensão política da Guerra Fria, nos anos 1960. Segundo e mais recente filme dirigido por De Niro, que constrói com habilidade uma espécie de thriller político-psicológico.

A Família Flynn (Being Flynn)
EUA, 2012, 102 min
Direção: Paul Weitz. Com Robert De Niro, Paul Dano, Julianne Moore, Olivia Thirlby.

Nick (Paul Dano) é um aspirante a escritor que passa por uma situação instável, inclusive psicologicamente. Ele lida com um passado que conta com ausência paterna e morte de sua mãe. Não só ressentido, Nick também rejeita semelhanças com o pai, Jonathan (Robert De Niro), que também é escritor e, irreverente e mordaz, jura ter concluído uma obra-prima da literatura. Após anos, o pai reaparece, sem teto e mendigando. A relação entre os dois, irredutíveis, não será fácil. O filme ilustra um certo tipo de papel que De Niro passa a fazer a partir dos anos 2000, e aqui trabalhando com Paul Dano, ator típico do cinema indie americano.

RIO DE JANEIRO

Os Intocáveis (The Untouchables)
EUA, 1987, 119 min
Direção: Brian De Palma. Com Kevin Costner, Sean Connery, Robert De Niro, Andy Garcia.

Na Chicago dos anos 1930, o jovem agente federal Eliot Ness (Kevin Costner) tenta acabar com o reinado do gângster Al Capone (Robert De Niro). Ele recruta um pequeno time de corajosos e incorruptíveis homens, entre eles um experiente policial, Jim Malone (Sean Connery). Baseado no lendário seriado produzido entre 1959 e 1963, estrelado por Robert Stack, este filme é mais outra oportunidade para De Palma depurar seu estilo, como na marcante sequência inicial que apresenta o Al Capone de De Niro.

Stanley & Iris (Stanley & Iris)
EUA, 1990, 104min.
Direção: Martin Ritt. Com Jane Fonda, Robert De Niro, Martha Plimpton, Feodor Chaliapin Jr.

Stanley Cox (De Niro) é um tímido empregado que, analfabeto, faz de tudo para esconder sua falta de conhecimento. Iris King (Jane Fonda) perdeu o marido há pouco tempo e trabalha numa fábrica alimentícia para cuidar de seus dois filhos. Juntos, um ajudará o outro a superar seus medos e dificuldades, e ambos se soltando para o amor. Drama romântico sensível, com especial aposta nos atores, e também último filme de Martin Ritt (O Espião que Saiu do Frio).

Cabo do Medo (Cape Fear)
EUA, 1991, 128 min
Direção: Martin Scorsese. Com Robert De Niro, Nick Nolte, Jessica Lane, Juliette Lewis.

Max Cady (Robert De Niro) sai da cadeia após cumprir anos de pena por estupro. Ele descobre, ainda preso, que seu advogado, Sam Bowden (Nick Nolte), omitiu informações que teriam atenuado ou mudado o veredito, e por isso pretende se vingar. A onipresença de Max é ameaçadora e também deixa mais latente a crise familiar da família Bowden, entre Sam, sua esposa (Jessica Lange) e filha (Juliette Lewis). Refilmagem de longa homônimo de 1962, com Robert Mitchum e Gregory Peck nos respectivos papeis.

Mera coincidência (Wag the Dog)
EUA, 1997, 97 min
Direção: Barry Levinson. Com Dustin Hoffman, Robert De Niro, Anne Heche, Dennis Leary.

O presidente dos Estados Unidos (Michael Belson), a poucos dias da eleição, se vê envolvido em um escândalo quando molesta uma jovem. Ele recorre a um especialista em salvar políticos, Conrad Bean (Robert De Niro), que contrata um renomado produtor de Hollywood, Stanley Motss (Dustin Hoffman). A ideia é veicular em TV uma falsa guerra contra a Albânia, o que permitirá que o presidente recupere a sua imagem como herói da nação. O filme é uma crítica mordaz à política americana e também faz ecos ao escândalo entre o presidente Bill Clinton e a estagiária Mônica Lewinsky.

Máfia no Divã (Analyze This)
EUA/Austrália, 1999, 103 min
Direção: Harold Ramis. Com Robert De Niro, Billy Crystal, Lisa Kudrow, Chazz Palminteri.

O mafioso Paul Vitti (Robert De Niro) é acometido repentinamente por ataques de ansiedade, graças a problemas do passado. Assim, decide consultar secretamente um psiquiatra, Ben Sobel (Billy Crystal). E Vitti deseja estar curado em apenas duas semanas, quando acontecerá um grande reunião da Máfia. Já tenso com o atípico paciente, Sobel tem viagem marcada para se casar com Laura (Lisa Kudrow). O encontro entre De Niro e Crystal rendeu-lhes uma de suas melhores atuações, nesta comédia que foi um grande sucesso de público.

Machete (Machete)
EUA, 2010, 105 min
Direção: Robert Rodriguez e Ethan Maniquis. Com Danny Trejo, Jessica Alba, Michelle Rodriguez, Robert De Niro.

Machete (Danny Trejo) é um ex-agente federal que agora é imigrante ilegal nos EUA, após ter sua família assassinada por um poderoso narcotraficante no México. Ele é contratado para assassinar um senador do Texas (Robert De Niro) cujo programa de governo é segregar mexicanos e construir um muro na fronteira. A missão, contudo, é uma armadilha, mas agora Machete quer vingança e mobilizará o povo mexicano. Robert Rodriguez relê os filmes de exploração dos anos 1970 que apostavam na nudez e violência para fazer uma ode política sobre os “Tex-Mex”, os imigrantes mexicanos nos EUA.

Serviço

De Niro
Data: 25/06 a 07/07
Ingressos: R$ 5,00 (valor da meia-entrada)
Entrada franca na sessão com audiodescrição e no debate
Local: Centro Cultural Banco do Brasil
Endereço: SCES Trecho 2 – Brasília/DF
Tel: (61) 3108-7600
Funcionamento: Aberto de terça a domingo, das 9h às 21h
Confira a classificação indicativa da sessão

CCBB Brasília

Aberto de terça-feira a domingo das 9h às 21h
SCES Trecho 2 – Brasília/DF Tel: (61) 3108-7600
E-mail: ccbbdf@bb.com.br Site: bb.com.br/cultura

Trailers

Era uma vez na América

Olá Mamãe

Touro Indomável

O Poderoso Chefão 2

1900

O Franco Atirador

Jackie Brown

Anterior Maria Vai Casoutras, Salve Jorge e Choro Delas no Bar Brahma
Próximo Restaurante Taypá celebra nove anos com novo menu