Galeria de Brasília, Referência Galeria de Arte, há 23 anos atuando no mercado de arte, apresenta sua programação para o ano, com mostras, participação em feiras, parcerias, ocupações e apresentação de novos artistas

A Referência Galeria de Arte apresenta sua agenda de exposições para 2019. A programação traz mostras individuais de artistas brasileiros e brasilienses de renome nacional e mundial e novos talentos, o que reforça o caráter de inovação dos galeristas Onice Moraes e Paulo de Oliveira em apresentar ao público a produção de artistas visuais.

A programação para o ano responde ainda a uma demanda de colecionadores, arquitetos, estudantes e artistas por uma maior troca de informações sobre a produção, formas e processos criativos. Ao longo do ano, serão realizadas palestras, encontros com artistas e curadores, além de levar artistas de renome para feiras como a SP-ARTE e a Feira BArCa, a Feira Brasília de Arte Contemporânea, que deve acontecer no segundo semestre, e a inauguração de uma “store in store” dentro do prédio da Artefacto, na QI 21 do Lago Sul, Brasília.

A programação de exposições e eventos da Referência Galeria de Arte leva em consideração a produção dos artistas que acompanha e representa bem como dos novos talentos, que podem ser jovens artistas bem como artistas que têm uma trajetória iniciada recentemente, mas ao longo de suas vidas exerceram outras profissões. “Trabalhamos com diversos artistas brasilienses e nacionais. Periodicamente, realizamos exposições com esses artistas para que todos possam acompanhar o que o artista está produzindo e quais são suas novas pesquisas e propostas”, afirma Onice Moraes.

Este ano, continua a galerista, “trazemos a Brasília o artista Carlos Vergara, que já realizou exposição individual na Referência em 2010. Passados nove anos é importante que o artista retorne à Galeria para apresentar seu trabalho ao público.

E assim acontece com outros artistas como Ralph Gehre, Luiz Mauro, Gê Orthof e David Almeida que já realizaram exposições há algum tempo e agora retornam. Outros artistas, como o jovem Pedro Gandra que iniciou sua parceria com a Referência há menos de dois anos participando de coletivas, este ano vai realizar sua primeira individual com a Referência.

Em 2019, alguns desafios se apresentam. “O mercado de arte, como outros do segmento produtivo, está sempre muito suscetível às mudanças na economia, seja no Brasil ou no mundo, e como estamos em época de mudanças torna-se cada vez mais indefinido”, ressalta a galerista.

Assim, o trabalho para o ano será ainda mais desafiador e contará com oferta ao público de exposições de alta qualidade, de forma a que ajude a ampliar o público que visita as mostras de arte, tanto na Referência como em outras instituições, públicas ou privadas.

A galeria, segundo Onice, é também um agente responsável por formar público e oferecer informações que ajudem a criar não apenas o gosto pela arte, mas especialmente, a consciência crítica.

Abre a temporada 2019 de exposições da Referência a mostra individual da artista carioca Ursula Tautz, com a série “O som do tempo”. Com obras em fotografia, vídeo e objeto, a exposição acontece de 4 a 9 de fevereiro, com a presença da artista ao longo de todo o período da mostra para encontros com o público.

Em março, a Referência ocupará as duas galerias – a Principal e a Acervo – com uma mostra de acervo de obras dos artistas que representa. De 4 a 7 de abril, a equipe da galeria segue para São Paulo onde participa da 15ª edição da SP-Arte. Para mais importante feira de galerias de arte da América Latina, a Referência levará obras de artistas de Brasília e do Brasil em pintura, fotografia e objetos.

Marcarão presença no estande da Referência na SP-Arte os artistas Adriana Vignoli, Alice Lara, Alex Cerveny, André Santangelo, Carlos Vergara, Christus Nóbrega, Claudio Tozzi, David Almeida, Evandro Soares, Gê Orthof, Helô Sanvoy, João Angelini, José Roberto Bassul, Luiz Áquila, Luiz Mauro, Matias Mesquita, Pedro Gandra, Ralph Gehre, Rogério Ghomes, Virgílio Neto e Walter Goldfarb.

Ainda em abril, no dia 13, sábado, a Referência Galeria de Arte abre a mostra “Natureza inventada”, com pinturas e desenhos de Carlos Vergara, um dos mais importantes nomes das artes visuais do Brasil. Como esta série tem desdobramento em outras linguagens e suportes, parte dela será exibida no Centro Cultural Banco do Brasil – Brasília (CCBB-Brasília).

“As esculturas em aço serão instaladas no jardim do CCBB-Brasília, o que permitirá ao público conhecer mais sobre a obra de Vergara em diversas mídias e suportes”, afirma Onice. A inauguração da mostra de esculturas acontece no dia 14, domingo. Antes, porém, na sexta-feira, Carlos Vergará participará de um bate-papo com o público, no CCBB-Brasília.

No dia 25 de maio, sábado, será inaugurada a mostra de pinturas do artista visual Ralph Gehre, na Galeria Principal. Na Galeria Acervo, acontece a mostra coletiva de artistas de Brasília em conversa com a obra de Gehre, um dos mais importantes artistas de Brasília com cerca de quatro décadas de produção.

Em julho, 27, a Referência inaugura as mostras dos artistas Pedro Gandra – Pintura -, e Márcio Borsoi – Fotografia da Amazônia. No dia 6 de setembro, abre a mostra de desenhos de Gê Orthof e de obras do acervo que giram em torno ao desenho. Em outubro, dois artistas expõem simultaneamente.

No dia 10, Luiz Mauro e suas pinturas de ateliês de artistas e o fotógrafo Kazuo Okubo apresentam suas mais recentes produções nas galerias Principal e Acervo, respectivamente. No dia 23 de novembro, David Almeida, jovem artista de Brasília que atualmente mora e produz em São Paulo apresentará obras inéditas em pintura sobre tela.

Extra-galeria

Desde o início deste ano, a Referência está presente no prédio da Artefacto, na QI 21 do Lago Sul, com obras de artistas importantes que fazem parte de seu acervo. O convite partiu da empresária e designer de interiores Denise Zuba.

Com conceito de “store in store”, o acervo conta com gravuras, desenhos, pinturas e objetos. “Para os clientes que querem conhecer mais obras de um dos artistas do elenco, dispomos de um catálogo eletrônico atualizado contendo informações sobre técnicas, dimensões e biografia do artista”, afirma a galerista.

No segundo semestre, a Referência participa do projeto Galeria Casa, com a ocupação em agosto do espaço cultural do CasaPark, onde realizará uma mostra e mediará encontros com artistas e o público. Além disso, levará ao Centro Cultural Renato Russo, na 508 Sul, a Feira BArCa – Feira Brasília de Arte Contemporânea – que em sua 2ª edição reunirá 14 galerias, estandes dedicados a publicações, oficinas e encontros com colecionadores, curadores e diretores de instituições. “Este será um ano especial, de muito trabalho”, completa a galerista.

Sobre os artistas

Nascido na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, em 1941, Carlos Vergara iniciou sua trajetória nos anos 60, quando a resistência à ditadura militar foi incorporada ao trabalho de jovens artistas. Em 1965, participou da mostra Opinião 65, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, um marco na história da arte brasileira, ao evidenciar essa postura crítica dos novos artistas diante da realidade social e política da época.

A partir dessa exposição se formou a Nova Figuração Brasileira, movimento que Vergara integrou junto com outros artistas, como Antônio Dias, Rubens Gerchman e Roberto Magalhães, que produziram obras de forte conteúdo político.

Nos anos 70, seu trabalho passou por grandes transformações e começou a conquistar espaço próprio na história da arte brasileira, principalmente com fotografias e instalações.

Desde os anos 80, pinturas e monotipias tem sido o cerne de um percurso de experimentação. Novas técnicas, materiais e pensamentos resultam em obras contemporâneas, caracterizadas pela inovação, mas sem perder a identidade e a certeza de que o campo da pintura pode ser expandido. Em sua trajetória, Vergara realizou mais de 180 exposições individuais e coletivas de seu trabalho.

David Almeida é Bacharel em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília, sua pesquisa se desenvolve por meio de múltiplas linguagens como desenho, objeto, fotografia, instalações, performance e, sobretudo, a pintura. Sua produção tem como eixo as problemáticas do espaço e do corpo em percurso, explorando a visualidade do espaço íntimo, do ateliê, da cidade e da paisagem natural.

Investiga os limites entre presença e ausência, o espaço pictórico, elementos da pintura e sua semântica narrativa engendrando conceitos de clausura, fantasmagoria, rigidez social da arquitetura dos grandes centros e deriva como método de estudo de lugares marginais e da paisagem.

Nascido em Petrópolis (RJ), Gê Orthof é artista e professor do Instituto de Artes da Universidade de Brasília. Em sua trajetória, participou de inúmeras exposições coletivas e realizou mostras individuais no Brasil e em vários países.

As mais recentes são “máquinas mínimas”, Galeria Luciana Caravello, Rio de Janeiro 2018; “Pasaquoyanism: The first card” , The John Michael Kohler Arts Center, Sheboygan, Wisconsin, EUA: curadores Jonathan Frederick Walz e Karen Petterson -–2017; “Many-splendoured thing”, The Portico Library, Manchester, United Kingdom: curador Raphael Fonseca -–2016; “Confabulo ] [ matulo me mato”, Alfinete Galeria, Brasília – 2016; “Nov[elos] + Nov[ilhas] = Cowladyboy, Amarelegronegro Arte Contemporânea, Rio de Janeiro: curadora Marilia Panitz -–2015; e “HA-gaz-AH” Referência Galeria de Arte, Brasília: curadora Marilia Panitz -–2014.

O artista também recebeu importantes prêmios como “Best of 2017: Our Top 20 Exhibitions Across the United States, Hyperallergic, NYC -2018 Prêmio CNI – Marcantonio Vilaça, São Paulo – 2015; Artista convidado Prêmio Situações Brasília, Museu Nacional -–2014; Prêmio Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais –2013; Prêmio FUNARTE -–2012; 1º Prêmio da 24th International Artist Competition, Berlin -–2011; e Fulbright Scholar School of Visual Arts, Nova York – 1982.

Nascido em Brasília (1959), Kazuo Okubo é fotógrafo e produtor cultural. Começou na fotografia como assistente de seu pai, Arlindo Okubo, em 1974, e em 1989, começou sua trajetória na fotografa publicitária.

Desde 2003, desenvolve trabalhos autorais. Em 2009, inaugurou em Brasília a primeira galeria de arte dedicada exclusivamente à fotografia no Centro-Oeste, A Casa da Luz Vermelha.

Como fotógrafo de arte, já participou de mostras coletivas e individuais, como: “Paisagens, 2004 – Foto Arte Brasília (Individual)”; “De Todas as Formas”, 2007 – Caixa Cultural em Brasília (Individual); “O Colecionador de Paisagens”, 2009 – A Casa da Luz Vermelha em Brasília (Individual); “11 Photographes Brésiliens”, 2009 – Galeria d’Art François Mansart em Paris (Coletiva); “Eu Te amo”, 2011 – Brasília Shopping (Individual); “Designer for Lovers”, 2012 – Armazém da Decoração em Goiânia (Individual); “West Encounter East, Art America’s, 2012” – Miami (Coletiva); SP-Arte/Foto, 2013 – Shopping Iguatemi JK – São Paulo; SP-Arte, 2014 – Pavilhão da Bienal -São Paulo; SP-Arte/Brasília, 2014; “Brazilian Eyes”, 2015 – Bailey Contemporary Arts, Miami (Coletiva); “Prêmio mObgraphia, 2015” – MIS(Museu da Imagem e do Som) (Coletiva); “Onde Anda a Onda” I e II, 2015 e 2016 – Museu Nacional da República (Coletiva) – Brasília; e “Mostra Tiradentes”, 2017 (Individual), Tiradentes – Minas Gerais. Em 2017, foi laureado com o ArtBrasil Contemporary Art Fair- Juror’s Choice Award Photography – Fort Lauderdale (EUA).

Luiz Mauro nasceu em Goiânia/GO (1968), onde vive e trabalha como artista e professor de desenho e pintura na Escola de Artes Visuais (EAV Seduce). Artista autodidata iniciou sua carreira ainda bem jovem e aos 17 anos recebeu sua primeira premiação.

Durante as três décadas de sua trajetória profissional, produziu desenhos, pinturas e objetos relacionados com as poéticas das memórias afetiva e cultural, com as propriedades dos meios plásticos e com a história da arte, atualmente investiga cruzamentos entre pictórico e fotográfico.

Participou de mostras coletivas por todo o Brasil, como BR 80, em 1991; no Itaú Cultural a III Bienal do Mercosul, em 2003, e realizou onze individuais, dentre as quais se destacam sua primeira mostra no MAC/GO, em 1990; na Galeria Macunaíma R.J, em 1993; duas individuais em Brasília, uma na Funarte em 1996; outra na Referência Galeria de Arte em 2003; uma individual na Maison Européenne de la Photographie, em Paris, em 2015; e no Centro Cultural da UFG. Sua obra é representada pela Referência Galeria de Arte, Brasília.

Márcio Borsoi começou na fotografia na década de 1970, ainda como estudante de arquitetura. Após um longo período de abandono e de graduar-se como administrador, retornou em 2009 para a fotografia, principalmente de arquitetura de interiores. Atualmente, dedica-se à fotografia autoral.

Urbano e um observador do cotidiano, diz que o banal das cidades o atrai, junto com uma pesquisa em fotografia com elementos naturais e orgânicos. “Fotografar é um ato poético e o minimalismo recorrente, “O menos é mais””, ressalta. Sua formação em fotografia resulta da participação em Workshops e cursos de História da Arte, estudos teóricos e das obras de fotógrafos.

Formado em arquitetura pela Universidade de Brasília, Ralph Gehre iniciou sua carreira de artista plástico em 1980, com individual na Galeria B da Fundação Cultural do DF. Tem por formação Desenho e Plástica e Arquitetura e Urbanismo, ambos cursados na UnB no período entre 1972 e 1980. Utiliza diversas mídias gráficas, além da pintura e da fotografia, mas considera o desenho base de trabalho. Trata de questões relativas à construção do processo de leitura, situando sua pesquisa na relação entre a imagem e a palavra.

Participação do stand da Referência Galeria de Arte na SP-Arte Brasília, teve sua obra adquirida para o acervo do Museu Nacional da República, em 2014. Participou da Coletiva Coleções Museu da República, Brasília; Coletiva itinerante Triangulações, Museu da República-DF, Bahia e Pernambuco; Coletiva OBRANOME, galeria do Mosteiro de Alcobaça, Portugal. Em 2016, realizou a mostra Recluso – Oficinas Verso, no Museu Correios Brasília.

Ursula Tautz nasceu, vive e trabalha no Rio de Janeiro. Cursou a ESPM, frequentou oficinas na School of Visual Arts /NY (EUA) e, a partir de 2005, a Escola de Artes Visuais do Parque Lage (RJ). Em 2013 integrou o Programa Projeto de Pesquisa, coordenado por Glória Ferreira e Luiz Ernesto.

Participou Da Siart Bienal 2018 – Bienal Internacional de Arte da Bolívia em La Paz, e de várias exposições coletivas, como “Monumental Arte na Marina da Glória” com curadoria de Marc Pottier na Marina da Glória/; “Intervenções Urbanas Bradesco ArtRio 2015”. Além das individuais “Frestas por onde Muros escoam” reinaugurando o Jardim da Reitoria da Universidade Federal Fluminense/RJ; “Lugar familiar” no projeto Zip’Up na Zipper Galeria/SP e “Fluidostática” na Galeria do Lago – Museu da República/RJ, curadas por Isabel Portella.

Foi também selecionada pelo crítico Fernando Cocchiarale para o “Programa Olheiro da Arte” e finalista do Prêmio Mercosul das Artes Visuais Fundação Nacional de Arte – FUNARTE, com seleção de Luiza Interlenghi, Jorge Luiz Miguel e Izabel Machado da Costa. A artista apresentará a individual “O som do tempo”, no Paço Imperial do Rio de Janeiro.

Sobre a Galeria

Em 1995, a Referência Galeria de Arte foi inaugurada com uma exposição individual de Amilcar de Castro, seguida de uma dedicada a Athos Bulcão e uma coletiva com obras de Arakem, Carlos Vergara, Claudio Tozzi e Rubens Gerchman.

Em 23 anos de atuação, realizou mostras de importantes nomes das artes no Brasil e apresentou ao público novos artistas, sendo que alguns deles de grande relevância no cenário brasileiro de arte contemporânea, participou de inúmeras feiras de artes nacionais e internacionais, como o a ArtRIO, PARTE e SP-Arte.

Além de realizar mostras e apresentar as obras de artistas ao público, ao longo do ano, a Referência realiza atividades formativas. Oficinas, palestras visitas mediadas, encontros com artistas e curadores são oferecidas às pessoas com o objetivo dar maior visibilidade à produção de arte contemporânea no Brasil.

A Referência Galeria de Arte fica na 202 Norte Bloco B Loja 11 – Subsolo, Brasília-DF. Telefone: (61) 3963-3501. A visitação é de segunda a sexta, das 12h às 19h e sábado, das 10h às 15h, a entrada é gratuita e livre para todos os públicos.

Serviço

Referência Galeria de Arte
Endereço: 202 Norte Bloco B Loja 11, Subsolo
Asa Norte – Brasília-DF
Telefone: (61) 3963-3501
Entrada: Gratuita
Classificação indicativa: Livre para todos os públicos
E-mail: referenciagaleria@gmail.com
Facebook / @referenciagaleria
Instagram / @referenciaarte

Anterior Escola da LBV comemora aniversário com ação para arrecadar livros
Próximo Bloco Samba da Mulher Bonita estreia no pré-carnaval