O Rapper Xamã decola a carreira com a gravadora Bagua Records e encerra o ano com 3 parcerias inesperadas

‘Quem te viu, quem te vê’. O jovem Geizon Fernandes, de 29 anos, ‘cria’ da Zona Oeste do Rio, até ontem vendia amendoim nos trens da Supervia e descolava uns trocados que lhe garantiam uma única refeição por dia. Mas como o mundo dá voltas, hoje se tornou um dos principais expoentes da nova geração do rap e despertou a atenção da gravadora Bagua Records, a qual assinou contrato em 2017 e de lá pra cá tem lançado composições que ganharam videoclipes no Youtube e acumulam mais de 100 milhões de views e downloads nas plataformas digitais, tais como ‘Bela e a Fera’, ‘Seu Rei’ e ‘Luxuria”.

Rapper Xamã – Geizón Fernandes

Com traços indígenas, foi batizado de Xamã, o rapper Xamã. A voz erguida e marcante que fez história nas batalhas de rap do Rio de Janeiro. O artista acaba de estrear na cena eletrônica com o single ‘Doce Veneno’, fruto da parceria com a DJ e produtora paulistana Mary Mesk, nova promessa da cena eletrônica brasileira.

A track cujo o videoclipe vai ao ar, hoje, dia 14 dezembro, às 18h, conta a história dos dois artistas que resolvem experimentar o “Doce Veneno” e saem para curtir com os amigos e desbravar as ruas da cidade, criando assim seu “mundo particular”.

No mesmo dia, a Bagua Records também fará o lançamento de mais uma parceria do Xamã com o rapper paranaense e tambem companheiro de gravadora, Mano Fler , com a musica “Liberdade Mano Fler “, cujo videoclipe já está no ar – https://www.youtube.com/watch?v=RIy9HzmT89A gravado nos 5 dias de liberdade que Mano Fler teve enquanto cumpria pena. Hoje Mano Fler está em prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica.

Como o bom filho a casa torna, a previsão é que no dia 21 de dezembro o artista lançou mais um videoclipe intitulado de 1964 com o grupo underground carioca, Cartel Mc’s sob nova formação ( Ber, Funkero, Ghetto, Erik Skratch e Xamã).

Anterior O mundo secreto dos Black Diamonds  no L´Apogée Courchevel
Próximo Tico Canato imprime sua arte fora das telas e dos muros