Quando o coração transborda


Escrito e encenado pela filha de Ary Pára-Raios, Maíra Oliveira, “Quando o coração transborda” fica em cartaz de 29 a 31 de janeiro

Monólogo intimista escrito, dirigido e encenado por Maíra Oliveira, filha de Ary Pára-Raios, criador do grupo Esquadrão da Vida, o espetáculo Quando o coração transborda chega à CAIXA Cultural Brasília para curta temporada. Em cartaz de 29 a 31 de janeiro, a montagem reconstrói a trajetória da trupe e a própria relação com o pai, falecido em 2003, a partir de textos, músicas, cartas e lembranças da atriz. Os ingressos, a R$ 20 e R$ 10 (meia), começam a ser vendidos neste sábado (23).

A inquietação criativa, o experimento, o trabalho diário que costumam acompanhar o ofício do ator/atriz trazem também consigo questionamentos sobre a relevância da arte no mundo atual. Por que fazer teatro? Para quem? Quais as consequências para a vida de quem escolhe o teatro como profissão? Essas foram algumas das perguntas que a atriz e diretora Maíra Oliveira se fez há dois anos e a levaram a criar o espetáculo.

O monólogo aborda ainda temas intimamente ligados à sociedade brasileira contemporânea e reconstrói a trajetória de Maíra como atriz, relembrando um pouco da história do grupo Esquadrão da Vida, dirigido por ela desde a morte de Ary. Desde o final da década de 1970 a trupe coloriu espaços urbanos com acrobacias, músicas e a adaptação, para o teatro de rua, de clássicos da dramaturgia universal, como Romeu e Julieta, de William Shakespeare. Ao lançar um novo olhar sobre o trabalho da trupe, a artista percebeu como sua relação com seu pai e mestre influenciou seu fazer artístico e o trabalho do grupo, e decidiu contar essa história.

Em seu primeiro monólogo, a atriz conta com codireção do experiente ator, diretor e professor de teatro João Antonio de Lima Esteves e direção musical do violeiro e pesquisador Roberto Corrêa. Em cena, um emaranhado de histórias e depoimentos que, juntos, compõem uma análise poética sobre a escolha profissional da art ista. Durante o espetáculo, Maíra toca viola caipira e violão, canta e deixa seu coração transbordar.

Sobre a atriz

Formada em Artes Cênicas pela Universidade de Brasília, Maíra Oliveira trabalhou com Hugo Rodas, Sílvia Davini, Murilo Grossi e outros nomes do teatro candango. Dirigiu o espetáculo O bicho homem e outros bichos com a companhia Farândola Troupe, de São Paulo, e fez teatro para bebês com a companhia hispano-brasileira La Casa Incierta.

Esquadrão da Vida

Ary Pára-Raios e seu Esquadrão da Vida foram pioneiros na abordagem de temas como o resgate e a valorização da cultura popular, a denúncia de exclusão de uma parte importante da sociedade dos espaços culturais tradicionais, a conscientização ecológica, e vários outros temas que ainda hoje são temas de debates no mundo. Em sua linguagem, a trupe incorpora elementos expressivos das festas populares e de saltimbancos, como acrobacia, música e dança.

Serviço

Teatro – Quando o coração transborda
Local: Teatro da CAIXA (SBS Quadra 4, Lotes 3/4)
Data: 29 a 31 de janeiro
Horário: sexta-feira e sábado, às 20h; domingo, às 19h
Classificação Indicativa: não recomendado para menores de 12 anos
Duração: 80 minutos
Ingressos: à venda a partir de 23 de janeiro | R$ 20 e R$ 10 (meia)
Meia-entrada: estudantes, professores, funcionários e clientes CAIXA, pessoas acima de 60 anos e doadores de livro.
Bilheteria: de terça a sexta e domingo, das 13h às 21h, e sábado, das 9h às 21h. Contato: (61) 3206-6456

Ficha técnica

Direção: Maíra Oliveira e João Antonio de Lima Esteves
Direção Musical: Roberto Corrêa
Roteiro: Maíra Oliveira
Atuação: Maíra Oliveira
Preparação Corporal: Daniel Lacourt
Produção: Carvalhedo Produções
Direção de Produção: Tatiana Carvalhedo
Figurino: Maria Carmen
Iluminação: Dalton Camargos
Programação Visual: Ico Oliveira
Contra-regra: Marcelo Nenevê

Anterior Zito avalia sua cerveja
Próximo Programação do Pátio Brasil