Cerca de 200 dançarinos chegam a Ceilândia entre 23 e 25 de agosto para animar o Distrito Federal com muito breaking. A quinta edição do festival Quando as Ruas Chamam volta a fazer da nona região administrativa do Distrito Federal a capital de dança de rua do país. No decorrer dos três dias, a ordem se inverte e o Plano Piloto parte para Ceilândia em busca de arte. A periferia pauta o centro.

Além do breaking, o evento conta com a participação de DJ’s, MC’s e exposições abertas ao público, dentre elas, neste ano, se destaca a de jaquetas grafitadas e de fotografias, que é novidade nesta edição. Workshops de graffiti também fazem parte da programação. O evento busca gerar visibilidade aos artistas participantes e, acima de tudo, aproximar o breaking da comunidade. Nas outras edições, o festival contou com forte participação popular, contabilizando cerca de mil pessoas por dia de evento. Além disso, o Quando as Ruas Chamam foi duas vezes campeão do prêmio de Breaking Latino Americano como melhor evento, tanto pela curadoria quanto pelo voto popular.

Competição

Durante o festival, acontecerão as finais do concurso nacional de dança de rua, com participantes classificados a partir de seletivas realizadas em seis estados brasileiros. Os cerca de 200 dançarinos classificados para as finais estão distribuídos em nove modalidades diferentes da competição. Para os vencedores, serão distribuídos 10mil reais em prêmios. Em 10 de agosto será a seletiva do Distrito Federal e em 18 de agosto a seletiva do Nordeste, que acontecerá em Capibaribe, Pernambuco.

Neste ano, o evento em Ceilândia conta com a presença do dançarino Pivet, o Bboy possui deficiência física e dança em diversos eventos pelo mundo. Outro Bboy que marca presença na competição é o Ratin, brasileiro que mora na Europa e vem ganhando competições em diversos locais pelo mundo. A banca de jurados do festival também será formada por dançarinos que se destacam em competições nacionais e internacionais, se tornando, junto com o Bboy Pivet, as personalidades mais esperadas do evento.

Os artistas que têm a oportunidade de participar das finais do festival conseguem alcançar novos patamares na carreira como dançarinos. “Hoje o projeto é como uma catapulta. Os dançarinos que participam acabam ganhando certa projeção e recebendo convites para participar de outras plataformas, de outros festivais”, falou Alan Jhone, idealizador do festival.

Serviço

Festival Nacional de Breaking “Quando as Ruas Chamam” 5ª edição

Data: 23,24 e 25 de agosto

Local: Sesc Ceilândia
Endereço: QNN 27 Área Especial Lote B – Ceilândia Norte
www.quandoasruaschamam.com.br

23/08 – 14h30

Exibição dos vídeos “Quando as Ruas Chamam” e bate papo com artistas convidados

24 e 25/08 – 13h

Batalhas Nacionais em 09 modalidades
Exposição de Jaquetas Grafitadas “Jackart” – A Time to Speak de Wagner Wagz – Santa Catarina – SC
Workshops de Grafitti e Breaking
Exposição Fotográfica das edições anteriores

Jurados

Ratin – Killa Rockers – SP
Onnurb – Funk Fockers- SP
Nathana – We Can do It – MG

DJ’s

Pow – SP
Conrado – SP
Flip Jay – CE

MC

Rodrigo – OKZ – GO

Show

Groove Attak
Entrada Gratuita
Classificação Livre

Anterior Haynna e os Verdes lança clipe-selfie de “Você”
Próximo Entre Espelhos e Fumaça de Vinicius Gomes Melo