Profissionais explicam como começaram na carreira e dão dicas para quem quer investir na função que é essencial no mercado da moda

Você com certeza já deve ter ouvido falar nos bookers! Mas, o que será que eles fazem? Qual a importância deles no segmento da moda? Há uma formação específica para o trabalho? A profissão é valorizada? Quais são os diferenciais para se tornar um booker de sucesso?

A atuação do profissional é ampla desde à assistência aos modelos, principalmente às new faces que ainda não têm tanta familiaridade com o mercado até a negociação direta com clientes. Todavia, a parte mais importante e a maior responsabilidade do cargo é tornar-se um elo entre o cliente e o modelo, sendo, deste modo, quem negocia e busca clientes para que os modelos possam atuar ou monta castings para a análise do cliente.

Altieres Lopes, booker da Agência Ü Models, de Brasília, conta que possuía uma linha profissional completamente diferente. “Sempre atuei com Direito, tanto que me formei e especializei nesse segmento, mas meu sonho sempre foi seguir carreira no ramo da moda. Eis que surgiu uma vaga de produtor em meados de outubro de 2019 na agência, fui selecionado e tem sido uma experiência incrível. Fui sendo capacitado aos poucos, auxiliando pequenas parcerias, ajudando na carreira de alguns modelos até que me tornei capaz de atuar de maneira mais independente”, explica.

Já Pedro Albuquerque, que trabalha como booker na agência M Models há 7 anos, trabalhou muitos anos como modelo, e conviveu com diversos bookers em vários países. “Aprendi convivendo com os melhores do mercado mundial. No Brasil, a nossa área falta muito para chegar a ser respeitada como outras profissões. Porém, tenho ótimas referências no país, como Diego Giallanza (Ü Models) em Brasília, Sergio Mattos (40 Graus) no Rio de Janeiro, Vanilson Coimbra (Officeim) na Agência Internacional e Giuseppe Ferrante (Independent Model) em Milão.

Outra booker da Ü Models, em Brasília, Thaynara Neves relata que desde mais nova tinha uma certa afinidade com o mercado da moda, e quando criança participou de alguns concursos de modelo, mas nada muito sério. “Porém, anos após me graduar em RH, entrei na Ü Models. De certa forma posso dizer que foi meu primeiro contato com agência de modelos, comecei como auxiliar administrativo, fazia a agenda de novos talentos da agência e uma hora ou outra atacava como olheira, e então com 2 meses tive a oportunidade de me tornar booker, isso foi em 2018. Mais do que ser o elo entre os modelos e clientes, somos responsáveis também pela construção da imagem do modelo, com cursos e workshops para ofertá-los para o mercado “, contextualiza.

Dicas para investir na profissão

Altieres Lopes diz que a carreira é pouco difundida, muitas pessoas não sabem o que esse profissional faz, por isso quando se analisa em uma esfera macro o booker acaba não tendo tanto destaque ou valorização. “A primeira dica que eu dou para quem quer seguir na área e mais importante é se imaginar na carreira e no meio que esse profissional está, se isso te instiga. Ser booker exige muito do seu poder convencimento, criatividade e paixão. É muito importante entrar no mercado, então inicie a sua carreira em um cargo com menos responsabilidade e vá aglutinando o máximo de conhecimento e experiência que puder, um profissional qualificado em qualquer meio é disputado, então estude e se especialize. Ter domínio do inglês também é de grande valia nesse mercado”, afirma.

“Eu aconselho a procurar agências de modelos sérias, onde possa ter a oportunidade de conviver com modelos e clientes, para entender como o mercado funciona de forma objetiva e prática”, esclarece Pedro Albuquerque, da M Models.

Para Thaynara Neves, apesar de não existir uma formação prévia para se tornar um booker, dois cursos são indicados. “Publicidade e Propaganda ou Marketing, por serem cursos mais voltados para o próprio marketing e mídia algo que utilizamos bastante em nossos trabalhos e Produção de Moda, curso técnico que disponibiliza tudo que é preciso para executar e coordenar projetos para a comunicação da moda. Outras dicas que dou são: seja proativo e tenha foco, corra atrás das oportunidades e dê suporte aos seus modelos e tenha um networking, isso facilita bastante seu trabalho ampliando as oportunidades de captação de novos clientes”, finaliza a booker da Ü Models.

Anterior Festa junina em casa com live de Nego Rainner do Vila Velluti
Próximo Turismo do DF avança com auxílio emergencial e crédito