Grupo pretende realizar exposição e publicar um livro com o acervo

Pesquisadores da Universidade de Brasília se debruçam sobre estudos na busca de entender e ajudar na batalha contra o coronavírus, mas além disso, as pesquisas buscam também entender os impactos subjetivos provocados por essa pandemia mundial, como é o caso do grupo de pesquisa GECAE – Espaço, Corpo, Arte e Estética da Pós-graduação em Comunicação da Universidade de Brasília.

Com o projeto “Cartografias do Isolamento”, o grupo pretende reunir um acervo artístico produzido durante a quarentena, são vídeos, fotografias, artigos científicos, poesias, ensaios, poemas, arte gráfica, instalações, performances entre outros. A ideia é entender como a ocupação do espaço urbano se restringe e como isso impacta e reconfigura as trocas de afetos entre as pessoas. O projeto também pretende problematizar a relação entre corpo e cidade.

“É importante fazer memória desse período, a cidade vazia, o confinamento, a falta de mobilidade, tudo isso nos traz implicações grandiosas e toda produção artística realizada nesse período, conta também uma história. É isso que pretendemos reunir” afirma Gabriela Freitas, professora da Pós-Graduação em Comunicação da UnB.

O projeto é aberto para o público, qualquer pessoa pode participar. Com o acervo, o grupo fará uma exposição física e digital pós pandemia. Será publicado também um livro com os principais trabalhos selecionados.

Serviço

Envios de trabalhos para o email: cartografiasdoisolamento@gmail.com
Facebook e Instagram: @cartografiasdoisolamento
Prazo: 15 junho
Informações: (61) 99969- 6825 / (61) 99989 – 1139

Anterior Stéfano Ferraz faz declaração de amor à “Riqueza Caiçara”
Próximo Cinco séries para os amantes de moda e beleza