As atrizes Felícia Johansson e Clarisse Johansson interpretam e dublam todas as personagens desta  bem humorada ficção científica ambientada em planeta habitado só por mulheres

Um pequeno planeta habitado apenas por mulheres e à beira do apocalipse. Esse é o cenário da websérie PLANETELLE, criada e realizada por Felícia Johansson, reconhecida diretora de teatro em Brasília, que estréia no dia 30 de setembro na Internet. Com patrocínio do FAC – Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria Estado de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal, a websérie será apresentada gratuitamente em quatro capítulos de 10 minutos no Youtube (1 por semana). Além disso, terá apoio do Instagram (@planetelle.serie), responsável por criar o “Universo Plantelle”, com conteúdos, curiosidades, making of, lives e temáticas tratadas na obra.

A própria Felícia e sua filha, a atriz Clarisse Johansson, interpretam e dublam as cinco personagens da série de ficção científica em forma de comédia, que aborda a relação entre mães e filhas em um universo futurista e exclusivamente feminino.

Planetelle foi concebido como video-teatro, com música ao vivo e as duas atrizes dublando suas personagens, simultaneamente à projeção do vídeo em tela. Devido à pandemia, somente a versão para web será lançada, graças a uma pesquisa sobre o uso do cromaqui (chroma-key), ou fundo verde, técnica de efeito visual extensivamente utilizada em produções áudio-visuais como filmes, séries, telenovelas, telejornais e propagandas.

O vídeo também explora a dublagem enquanto recurso técnico e artístico que permeia diferentes formas de narrativa visual: cinema, televisão, vídeos para internet.

Com trilha composta por Alex Queiroz, contrabaixista da OSTNCS e músico de jazz, com longa trajetória na criação de músicas para cinema, dança e teatro, PLANETELLE se inspirou em séries americanas de TV da década de 70, satirizando o futurismo clean, o fascínio pelas viagens interplanetárias e os efeitos especiais utilizados na época. O tom de paródia e as habitantes desse pequeno planeta também vivenciam nossos problemas mundanos e bastante atuais: o poder das grandes corporações e da mídia, governantes estúpidos, crises ambientais e fake news.

Sinopse:

Em um laboratório espacial, uma cientista farsante explora sua assistente-cobaia fazendo-a crer que ela é uma andróide, criada em laboratório. Por sua vez, a assistente sonha em salvar o planeta, enquanto procura por sua verdadeira origem. Ela também planeja conhecer pessoalmente sua estrela favorita de TV, uma apresentadora gananciosa que deseja dominar os parcos recursos hídricos do planeta para vendê-los como refrigerante.Em comum, as duas têm o desejo de encontrar as suas verdadeiras mães. Uma jornalista comunica os problemas do planeta em um telejornal e uma robô, que mais se parece com uma boneca sem cabeça, promove e/ou resolve conflitos entre as personagens.

Serviço:

PLANETELLE

Websérie dirigida por Felícia Johansson
Elenco: Felícia Johansson e Clarisse Johansson
Trilha sonora: Alex Queiroz
Disponível a partir de 30 de setembro no Youtube (link) e no Instagram @planetelle )

Outras informações:

Felícia Johansson é professora adjunta de teatro do Depto. de Artes Cênicas da Universidade de Brasília, atriz, autora e diretora teatral. Coordena o projeto de extensão “Teatro de Mentira” que celebra o diálogo entre formas tradicionais de teatro (máscaras, clowns, commedia dell’arte) e artefatos criados a partir de novas tecnologias digitais (videos para internet, fotonovelas, power point presentations, web series). Como diretora, realizou inúmeras montagens com estudantes do CEN, que por vezes saíram da sala de aula para serem encenadas nos teatros da cidade, como “A Porca FazAnos”(2010), “Piscina sem Água” (2011), “Cabeça sem Mente”(2014) e “Decadenta” (2017). Em 2019, o Teatro de Mentira contou com a colaboração do Grupo de Pesquisa “Cinema expandido” vinculado ao PPGCOM- Universidade Anhembi Morumbi, (S.P) sob supervisão da Profa. Dra. Laura Canepa, para desenvolver um projeto de pesquisa em composição cênica para cromaqui. Um dos recursos dessa pesquisa é a websérie Planetelle, realizada com patrocínio do FAC/DF.

Clarisse Johansson é atriz formada pelo Depto. de Artes Cênicas da Universidade de Brasília. Em 2015, se mudou para São Paulo e integrou a companhia do Teatro Oficina Uzyna Uzona em suas últimas montagens ‘Mistérios Gozosos’ (2015/16), ‘Bacantes’ (2016/17) ‘Macumba Antropófoga’ (2017) e ‘Roda Vida’(2018/19/20)- dirigidas por José Celso Martinez Corrêa. Em Roda viva, foi indicada a ‘Atriz Revelação’ (2018) e entrou pra lista ’50 melhores artistas do ano’ (2019) de Miguel Arcanjo Prado. Clarisse trabalha com teatro, cinema e vídeo, tendo participado de montagens com diretores como Eliana Carneiro, Simone Reis, Felícia Johansson e Hugo Rodas, sempre transitando entre o drama e a comédia.

FICHA TÉCNICA

Roteiro e Direção: Felícia Johansson
Interpretação e Dublagem:
Clarisse Johansson: Kali-X e Auri-L
Felícia Johansson: Dra. Poly-100, Kate Nills e Robô-K
Música Original: Alex Queiroz
Contrabaixo: Alex Queiroz
Bateria: André Togni
Edição: Vinícius Moreira
Câmera: Matheus Bacellar
Desenho Sonoro e Mixagem: Diogo Vanelli
Captação de Áudio (Dublagem): Daniel Pitanga
Figurinos: Teatro de Mentira e Eliana Carneiro
Supervisão Artística: Eliana Carneiro
Cabelo e Make: Jane Santiago
Peluquero: Peluquero
Contra-regra: Guian Larrea
Direção de Fotografia Episódio 1: Erick “Nesca” Oliveira e Victor Ekstrom – V2
Edição Episódio 1: Victor Ekstrom – V2 e Vinícius Moreira
Produção Episódio 1:Isabela Frami
Projeto Gráfico: Nara Oliveira
Tradução e legendas: Maria Bitarello
Gestão do Projeto: Márcia Gomes e Hugo Gomes
Produção: Teatro de Mentira – Felicia Johansson e Clarisse Johansson
Assistente de Produção: Naira Carneiro
Making Of: Nilo Santos
Assessoria de Imprensa: Panorama

Parceria institucional e extensão acadêmica

Projeto de Extensão “Teatro de Mentira”-Depto.de Artes Cênicas da Universidade de Brasília (CEN-IdA-UnB); coordenação: Profa. Dra. Felícia Johansson Grupo de Pesquisa “Cinema expandido” PPGCOM- Universidade Anhembi Morumbi, S.P; Supervisão: Profa. Dra. Laura Cánepa

Anterior NALAH faz sua estreia na música com videoclipe de "7 Horas"
Próximo BRASÍLIA EM LINHAS REABRE O ESPAÇO OSCAR NIEMEYER