Espetáculo “O Silêncio do Mundo”


Jornada de velejadora solitária é tema de espetáculo que chega em fevereiro ao CCBB Brasília, por duas semanas, a peça “O Silêncio do Mundo” conta a história de uma velejadora que larga a vida em terra firme e vai dar uma volta ao mundo, sozinha

“Uma mulher e um barco a vela, juntos decidem dar uma volta ao mundo. Sozinha, preparada com mapas e livros, ela desbrava as águas e seus pensamentos, confrontando ondas e medos”. Assim começa a história idealizada por Juana Miranda e dirigida por Iberê Carvalho e Larissa Mauro. O silêncio do mundo será exibido durante dois finais de semana no CCBB Brasília. Do dia 18 ao dia 20, às 21h, e dia 21, às 20h. No final de semana seguinte, do dia 25 a 27, às 21h, e dia 28, às 17h e 20h. No último sábado do espetáculo (27), o público ainda poderá assistir a um bate papo sobre o processo com a atriz e bailarina Juana Miranda, além da velejadora Christina Amaral e os diretores da peça. Os ingressos custam R$ 10 a inteira e R$ 5 a meia, e podem ser adquiridos no local. Sujeito à lotação.

O espetáculo é um solo onde as linguagens do cinema, do teatro e da dança se juntam para contar a história de uma mulher de classe média que resolve largar uma vida confortável e um bom emprego e velejar sozinha durante meses. Em um misto de medo e coragem, felicidade e melancolia, ela chega a seu limite físico e emocional e decide desistir de tudo. Mas já é tarde. Regressar é o caminho mais longo. Face a face com o seu eu interior, a solidão, o medo e a angústia, a aventura mostra a ela a possibilidade de seguir em uma jornada sem volta ao encontro de si mesma.

O Silêncio do Mundo destaca-se ainda por trazer o protagonismo de uma mulher velejadora. “São pouquíssimas as mulheres, no mundo inteiro, que tomaram a frente de uma aventura como essa e deram uma volta ao mundo em solitário”, conta Juana que não por acaso escolheu o tema da peça. Em 2015, com o projeto já tomando andamento, a equipe teve o conhecimento que a primeira mulher brasileira, Izabel Pimentel, havia finalizado uma volta ao mundo em solitário, em 2014. A equipe então teve contato com outras mulheres velejadoras que fizeram trechos em solitário, como Christina Amaral, que, a convite do projeto, estará em Brasília para participar do debate aberto ao público no último final de semana da temporada.

O espetáculo tem direção de Iberê Carvalho e Larissa Mauro. Iberê é diretor de cinema e fará sua primeira experiência no teatro. Em 2015, ele lançou seu filme “O Último Cine Drive-in”, que foi premiado em vários festivais, com destaque no Rio de Janeiro e em Gramado. Larissa Mauro é integrante da Andaime Cia. de Teatro, acaba de voltar de Londres, onde concluiu mestrado em Interpretação Teatral pela East15 Acting School, Essex University.

O texto da peça é da carioca Renata Mizrahi, vencedora do Prêmio Shell de dramaturgia em 2014 com o texto “Galápagos”. As coreografias são de Jana Marques, diretora da Cia. Azzo Dança e o cenário é assinado por Maíra Carvalho, que também foi diretora de arte do filme “O Último Cine Drive-in”. No dia 24 a montagem será apresentada em escolas públicas do Distrito Federal a partir das 15h.

Como surgiu o espetáculo

Não só de aventura é contada essa história, mas também de muito conhecimento do mar, de navegação, de astronomia, de cartas náuticas, ventos, nós de marinheiros e como montar um barco. Esse estudo foi iniciado por Juana Miranda, em 2010, quando fez as provas da Capitania dos Portos da Marinha e se tornou Arrais Amador. Hoje, ela é Mestre Amador e pode dirigir embarcações de passeio em navegação costeira cruzando estados de qualquer país que esteja. Toda essa aventura começou em 2009 quando Juana conheceu seu atual marido Helio Almeida. Juntos, fizeram pequenas travessias de veleiro no Brasil. De maio a novembro de 2010, Helio viajou por seis meses em um veleiro de 21 pés (71 metros) do capitão Aleixo Belov, que estava dando uma volta ao mundo.

Aleixo Belov é o primeiro brasileiro a dar volta ao mundo em solitário em um barco a vela. Viagem que realizou três vezes sozinho. Juana teve a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente, junto com seu barco, na Polinésia Francesa e em Salvador. O que inspirou ainda mais a montar o espetáculo, além dos livros que já havia lido sobre a Família Schurmann e Amir Klink.

Serviço

Espetáculo “O silêncio do mundo”
Quando: de 18 a 21 de fevereiro e de 25 a 28 de fevereiro
Horários: De quinta a sábado 21h, domingo 20h; sessão também às 17h no dia 28
Bate papo com Juana Miranda, Christina Amaral e diretores: dia 27 de fevereiro, às 17h
Onde: CCBB Brasília – SCES, Trecho 02, lote 22
Valores: R$ 10 a inteira e R$ 5 a meia.
*Sujeito à alteração
Mais informações: (61) 8120 – 0697
Classificação indicativa: 14 anos
Capacidade: 327 pessoas

Anterior Festival Panelas da Casa
Próximo Receitas especiais para o festival