OBACH-DE BRASÍLIA PARA NOVA YORK


Orquestra se apresentará na Catedral Metropolitana de Brasília e seguirá para seminário em Nova York neste fim de ano

Fundada em 2016, a OBACH (Orquestra Brasileira de Arte, Cultura e História), encerrará o seu primeiro ano de atividade em grande estilo. A temporada 2017, que brindou o público apreciador da música erudita com três apresentações no Santuário Dom Bosco, fará sua última performance como uma Ação de Graças em 26 de novembro, na Catedral Metropolitana de Brasília.

Já em dezembro, a OBACH embarcará para Nova York, onde executará peças que poderão ser apreciadas neste domingo na capital do país. “Uma das partes do concerto será em homenagem a compositores brasileiros como José Maur&iacut e;cio Nunes Garcia, personalidade que dá nome ao evento para o qual fomos convidados a participar nos Estados Unidos, o José Maurício Nunes Garcia Tribute”, explica o maestro e cravista Airan D’Sousa, um dos fundadores da OBACH.

Aberta ao público, a performance na Catedral também terá peças barrocas e natalinas: Sinfonia em B menor de CPE Bach, Concerto Grosso N# 4 de Corelli, Sonata para Cordas n1 de Carlos Gomes, Abertura em Ré Maior de José Maurício, Canções Natalinas com Totus Tuus, Gaudete- Tradicional, Le Ruisseau, de Fauré e Carol of the bells – Tradicional. Pela primeira vez, a orquestra será acompanhada de um coro, com a participação especial do coro infanto-juvenil Totus Tuss.

Como já se tornou tradição da jovem orquestra, o programa se iniciará com a execução de um dos Movimentos de As Quatro Estações de Vivaldi, correspondente à estação do ano. Neste caso, a Primavera.

Jose Maurício Nunes Garcia Tribute

A OBACH irá a Nova York a convite da Intercultural Art and Healing Project, instituição sem fins lucrativos que tem como objetivo promover a paz e o entendimento mundiais através de intercâmbios artísticos e culturais entre países. O Tributo especial para José Maurício Nunes Garcia acontecerá entre 11 e 14 de maio de 2017, e festejará os 250 anos de nascimento deste que foi um religioso e compositor brasileiro, um dos expoentes do classicismo nas Américas. Na programação, concertos didáticos, palestras, programas multimídia, seminários e painéis conduzidos por convidados especiais, entre eles a OBACH.

“Estamos encerrando com grande sucesso nossa temporada 2017 em Brasília e agora seguimos para este evento tão especial. É um presente para nós poder participar. Isso nos sinaliza que estamos no caminho certo”, comemora Káthia Pinheiro, violinista e também idealizadora da Obach.

O programa principal, que acontecerá no Dimenna Centeer for Classical Music, será composto por peças solo de Garcia para cravo tocadas pelo professor Mário Trilha e o concerto multimídia: José Maurício: Epiphany 250, escrito pela compositora Angelica Faria, e apresentado pela OBACH. José Maurício: Epiphany 250 também incluirá projeção de vídeos criados pelos artistas brasileiros Bianca Rezende, Fernando Gonçalves e Giulia Donato. “O grupo apresentará peças b rasileiras em paralelo a produções europeias em palestras que demonstrarão o diferencial do processo criativo brasileiro dentro da arte, educação e ciência”, revela Airan.

Sobre a OBACH

Formada a partir dos músicos integrantes da Toccata Produções e Locações, que tem a violinista Kathia Pinheiro (Kathia foi spalla da OSTCNCS por 22 anos), como fundadora, a OBACH surgiu com a proposta de resgatar a música erudita em sua forma mais original possível, através da performance histórica.

Há tempos que músicos da Toccata manifestavam interesse em se aprofundar na música antiga, então foi organizado uma orquestra de câmara com 14 instrumentistas que ensaiam desde meados de 2016. “Me aposentei em 2016 depois de 36 anos de OSTNCS e, confesso, fui grande entusiasta da criação da OBACH até para continuar tocando em orquestra, algo que me realiza muito”, declara Kathia.

A orquestra é composta por seis violinos, três violas, três violoncelos, um contra-baixo e um cravo. O diferencial, porém, vai além da execução da música antiga europeia com interpretação o mais fidedigna ao cenário de cada época. “Nosso movimento busca o resgate do ambiente musical euro-brasileiro que tem perdido cada vez mais espaço, ficando fora dos holofotes e, consequentemente, distanciando-se do público. Investimos em um perfil internacional para trabalhar com as conexões culturais do Brasil com o continente europeu para enriquecer essa experiência”, explica a fundadora.

“Em nosso primeiro ano conseguimos reunir elementos sonoros que estão na base da música brasileira. Tudo o que a OBACH tocou vem ao encontro das influências que a música antiga ocidental exerceu no processo de formação de identidade musical do Brasil. Nossa expectativa para 2018 é que consigamos desmitificar a complexidade da música erudita, que o público brasiliense perceba que a música acústica orquestral é um benefício não apenas para a alma, mas também para o corpo. É uma música que privilegia a nossa reflexão existencial e nos traz a paz necessária para vencermos os desafios do trabalho cotidiano”, afirma Airan.

Serviço

Concerto de Ação de Graças OBACH– temporada 2017
Catedral Metropolitana de Brasília
26 de novembro
15h30
Entrada Franca

Anterior FESTIVAL GEEK PRIME
Próximo UÓ ANUNCIA PAUSA NA CARREIA