O Terceiro Ambiente lança clipe sobre a liberdade de dançar. Banda brasiliense continua turnê e passa por Ceilândia e Planaltina

Foi no carnaval de 2021, que Gabriel dos Santos, vocalista da banda O Terceiro Ambiente teve a inspiração para a música “Joelhos”, que acaba de ganhar clipe. “Eu tive uma catarse ao observar o joelho brilhante e dançante do baixista da banda Divinas Tetas. Assim a composição foi nascendo, e percebi que eu gostaria que a música falasse principalmente sobre o som e como reagimos ao som. Por isso me refiro a círculos, ciclos, movimentos, ar”, explica o artista.

O clipe reuniu amigos, dançarinos e artistas para dançar ao lado da banda, deixando a música guiar esse processo, dialogando com a inspiração da própria composição. O vídeo foi dirigido por Brendon Hoffman, e contou com direção de arte de Lua Pereira, direção de fotografia de Adele de Fé, além da captação e edição de imagens de Alice Lira e Leomon Ribeiro da Cinese Audiovisual. O clipe tem muito a ver com o conceito da banda, que tem esse nome justamente por presar pela educação em um terceiro espaço.

“O terceiro ambiente é um conceito que li na faculdade sobre espaços de aprendizagem. O primeiro ambiente é o lar, os segundos ambientes são escolas e instituições. O terceiro ambiente é o espaço aberto sem supervisão. É a rua! Este foi o eixo temático que mais colou para nos representar nos assuntos que queremos retratar: sociedade, negritude, existência, propósito, consciência e também um pouco de religião fora do terreiro”, explica Gabriel.

Pensando nisso o grupo apresenta o projeto “Povo Preto na Cena” que leva a turnê da banda para o Teatro SESC Newton Rossi (Ceilândia Norte QNN 27 Área Especial Lote B), nos dias 16 e 17 de setembro; e, ao Complexo Cultural de Planaltina (Avenida Uberdan Cardoso, St. Administrativo Lote 02), nos dias 22 e 23 de setembro. Todas as apresentações são gratuitas e tem classificação livre.

Em especial, a produção teve a preocupação de ter em sua composição 85% de pessoas pardas ou negras participando e sendo protagonistas em sua área de atuação. Seja no palco, na produção ou na técnica.

“Esse projeto significa muito para nós, porque é empoderamento e emancipação. Porque durante a nossa trajetória como artistas, houve um momento de busca por identificação com a própria raiz étnica e cultural. Nessa busca, eu mesmo fui me instruir mais e mais sobre a negritude no Brasil e fora. Isso traz para nós um grande orgulho e prazer, porque nós amamos e queremos ver outros pretxs se sentindo bem representados pela nossa música”, comenta o vocalista.

Nos dias 17 e 23 de setembro, às 19h e às 17h, respectivamente teremos transmissão virtual que será feita pelo canal oficial da banda no Youtube (@oterceiroambiente). Além disso, nos dias 22 e 23 de setembro, a banda abre espaço para o brasiliense Venusto abrir os shows e apresentar o recém lançado EP “Atravessa Pele”, dando assim mais força ao conceito do projeto.

Será a hora de finalmente poder ter contato com O Terceiro Ambiente. Um local de vivência, resistência e existência dos jovens da cidade, resgatando a ancestralidade, potência e força do povo preto na cena cultural. Não por acaso, escolheram cidades que têm uma maior densidade democrática de pessoas pardas e negras no Distrito Federal.

Povo Preto em Cena tem produção de Mariana Camargo, Nathan Nascimento nas fotos, Cyntia Carla na cenografia e figurino, transmissão online por Marley Medeiros, Nzinga intérprete de libras, VJs Drisana Alarcão e Luciano Czar e músicos convidados: Lucas Ramalho na percussão e Pedro Moura nos teclados. O projeto circula pela primeira vez com apoio do Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura do Governo do Distrito Federal (FAC/DF).

Serviço:

O Terceiro Ambiente apresenta “Povo preto na cena”

Datas e locais:

Teatro Sesc Newton Rossi, Ceilândia – 16 e 17 de setembro, sempre às 19h (16/09 com libras)
Complexo Cultural de Planaltina – 22 e 23 de setembro, sempre às 17h (23/09 com libras) e abertura: Venusto.
Entrada gratuita, sem necessidade de retirada antecipada de ingressos.
Classificação livre

Conheça mais sobre o projeto e sobre as datas no Instagram @oterceiroambiente