Espetáculo O Rinoceronte, com direção de Hugo Rodas, apresenta discussão sobre a cultura do ódio. Espetáculo fica em cartaz no Espaço Cultural Renato Russo de 29 de novembro a 8 de dezembro

Após o sucesso do musical “Os Saltimbancos”, a Agrupação Teatral Amacaca (ATA) estreia o espetáculo “O Rinoceronte”, que fica em cartaz de 29 de novembro a 8 de dezembro, no Espaço Cultural Renato Russo. A peça, com direção de Hugo Rodas, o macaco-mor da companhia, tem sessões às 20 horas, nos dias 29 e 30 de novembro e 6 e 7 de dezembro e às 16 e 19 horas nos dias 1º e 8 de dezembro.

Baseado na peça de Eugène Ionesco, de 1956, o espetáculo da ATA traz a trama de uma pacata cidade que passa a ser perturbada pela estranha aparição de um rinoceronte em suas ruas. Logo, os bichos aparecem aos montes, frutos da metamorfose de seus habitantes.

Marcante e atual

Ícone do Teatro do Absurdo, o texto lançado no pós-guerra adaptado por Hugo Rodas faz com que o público, inevitavelmente, trace um paralelo com a atualidade. “Absurdo é o tempo em que a gente vive. O Ionesco escolheu o rinoceronte para fazer metáfora com os neo-fascistas por ser um animal míope, que não enxerga bem o que tá acontecendo, além de ser um bicho grande, grotesco, violento e com muita força”, detalha Rosanna Viegas, atriz que integra o elenco desta que é a segunda montagem da peça feita por Hugo Rodas, – a primeira foi feita em 2003.

“O Rinoceronte”, na adaptação de Rodas, navega na metáfora, que o autor da peça desenvolveu de uma atmosfera cínica, grotesca e inquietante, que remete ao efeito manada visto em muitas sociedades diante de poderes autoritários. A comédia é uma ode à liberdade de pensamento e busca reflexão sobre a cultura do ódio tão presente em nossa sociedade atualmente.

A atualidade do texto é uma das características que impulsiona o elenco. “Falamos da loucura que é o fascismo e da iminência dele. O texto é da época do pós-guerra e aponta para um período pré-guerra, como o que vemos nesse momento em muitos países da América Latina”, analisa a atriz Camila Guerra.

Coletivo artístico

Orquestra de atores regida pelo diretor uruguaio Hugo Rodas, a ATA concentra-se na experimentação em dramaturgias do corpo e desenvolve trabalho transversal, explorando a música, dança, circo e teatro, tendência que é uma marca no trabalho do diretor que tem seis décadas de carreira. A linguagem experimental do grupo, desenvolvida desde 2009, é apresentada ao público com imagens poéticas, intenso trabalho corporal, coreografias, musicalidade, manifestos e narrativas. No elenco da ATA estão os artistas Abaetê Queiroz, André Araújo, Camila Guerra, Dani Neri, Gabriela Correa, Iano Fazio, Juliana Drummond, Luiz Felipe Ferreira, Nobu Kahi, Pedro Tupã e Rosanna Viegas.

Serviço

“Rinoceronte”, com direção de Hugo Rodas
29 e 30 de novembro, às 20 horas; e 1º de dezembro, às 16 e 19 horas
6 e 7 de dezembro, às 20 horas; e 8 de dezembro, às 16 e 19 horas
No Espaço Cultural Renato Russo (508 Sul)
Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia), à venda no Sympla (bit.ly/RinoceronteBSB)
Duração: 70 minutos
Classificação etária:
Informações: (61) 99606-5615

Anterior Espetáculos infantis natalinos com Cia Teatral Néia e Nando
Próximo Ensaios fotográficos de Natal com Vivi & Luiz farão