Espetáculos premiados, shows e oficinas ocupam um dos mais inventivos teatros da cidade entre os meses de janeiro e março

Um dos mais charmosos e ativos teatros de bolso da capital brasileira preparou para os meses de férias intensa programação composta de espetáculos teatrais, shows musicais e oficinas. É a TEMPORADA DE VERÃO 2020 DO ESPAÇO CENA, iniciativa que se associa ao Projeto Ocupação Espaço Cena, visando oferecer a espectadores de todas as idades atrações de qualidade indiscutível. Será uma excelente oportunidade para ver ou rever alguns dos espetáculos que atualmente têm circulado por diversas cidades do país.

Ao longo de três meses, o Espaço Cena (SCLN 205) irá acolher espetáculos, muitos deles solos, dirigidos ou interpretados por nomes consagrados do teatro do Distrito Federal, como Similião Aurélio, Luciana Martuchelli, Ana Flávia Garcia, Jonathan Andrade, José Regino, Ana Luiza Bellacosta e jovens talentos como João Ricken, Elisa Carneiro, Guilherme Carvalho.

A programação ainda reserva duas oficinas que se distinguem pela singularidade. A primeira será ministrada por Delson Antunes, um dos diretores teatrais mais requisitados como coach de atores no Rio de Janeiro. A partir dos textos da grande Clarice Lispector – que em 2020 faria 100 anos – Delson Antunes irá trabalhar a palavra na cena, abrindo espaço para atores com experiência – e também para iniciantes – e para público em geral que queira viver a aventura transformadora do palco. E a segunda oficina promete emocionar, ao oferecer a possibilidade de crianças portadoras da Síndrome de Down e seus amigos participarem de jogos lúdicos, unindo movimento, música e dança, no que promete ser um gostoso bailinho de Carnaval.

Além de teatro e das oficinas, haverá shows do cantor, compositor e instrumentista Wilson Duarte e da cantora e compositora Ana Luísa Brown, que fará sua homenagem a David Bowie.

O Projeto Ocupação Espaço Cena tem o patrocínio do FAC – Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Estado da Cultura e Economia Criativa do Governo do Distrito Federal.

O Espaço Cena fica situado na comercial da 205 norte, bloco C e está aberto sempre de terça a domingo, das 9h às 21h. Mais informações através do telefone (61) 3349.3937 das 14h às 18h. As inscrições para as oficinas serão feitas pelo e-mail espacocena@gmail.com.

PROGRAMAÇÃO

Ocupação Espaço Cena
Temporada de Verão 2020

16/01, às 21h
Show: Wilson Duarte e Banda

17, 18 e 19/01, às 20h30
Espetáculo “O Prestigitador”, com Similião Aurélio

24/01, às 20h30
Show: “Homenagem a David Bowie”, com Ana Luísa Brown

31/01, 01 e 02/02, às 20h30
Espetáculo “Tsunami”, com Ana Flávia Garcia

3 a 7/02, das 14h30 às 17h

Oficina: “A Palavra como Ação”, com Delson Antunes (RJ)

8/02, das 9h30 às 12h
Oficina: “Folia Inclusiva”, brincadeiras de carnaval para crianças portadoras de Síndrome de Down e seus amigos, com Melina Sales

29/02, às 16h00 e 17h30 e 01/03, às 17h00
“Quero ser Igual a eles”, espetáculo infantil com o palhaço Zambelê (Zé Regino, Celeiro das Antas)

6, 7 e 8/03, às 20h30
“Cabaré da Nega”, com Ana Luiza Bellacosta e convidados

13, 14 e 15/03, às 20h30
“Dentro“, texto e direção de João Ricken

SINOPSES

O PRESTIDIGITADOR, UMA COMÉDIA SOBRENATURAL

De Nicolás Vergara Grey

Dois amigos viajam para consultar o grande mago e aprendem a se tornar invisíveis, enquanto treinam sua capacidade de ressuscitar os mortos. Em verdade, a história que Billy tem para contar é milagrosa, cheia de jornadas notáveis, magia, curas, kung fu, reanimações de cadáveres, demônios e gostosuras. Até mesmo as consideráveis artimanhas e devoções do amigo do salvador podem não ser suficientes para desviar a atenção de Josué de seu destino trágico. Premiada como a comédia do ano em Londres, O Prestidigitador, consegue nos colocar em estado de graça por uma hora. Emocionante, engraçada, e absurdamente respeitoso… Aplaudida de pé em mais de 20 países, agora no Brasil.

A premiada peça já foi sucesso em West End, famosa rua com os melhores teatros em Londres e em 2015 estreou na Broadway, sendo sucesso de público e crítica. “Nicolás e Similião brindam o público oferecendo esta farsa inovadora com precisão absoluta, perícia cômica especializada e energia implacável.”

Rainer Cadete

FICHA TÉCNICA

Com Similião Aurélio
Direção: Luciana Martuchelli
Dramaturgia: João Victor Rocha e Matheus Dias
Criação Artística: Maria Eduarda Esteves
DURAÇÃO: 59 MIN
CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 12 ANOS

Mais informações: 61.98411-6949

TSUNAMI

com Ana Flávia Garcia

Uma refugiada, sem lugar, sem destino, mas sobrevivente. Alguém que carrega, mesmo ao fim de tudo, uma ancestralidade e afetos. Uma personagem abraçada ao silêncio, revirando as memórias do próprio corpo, imersa ou submersa na delicadeza da própria existência. Há solidão e há encontro na solidão. A dramaturgia do espetáculo Tsunami é atravessada pelas transformações políticas, econômicas e sociais mundiais, relativizando a precariedade relacional humana, em uma iniciativa poética de reinvenção da realidade. Uma narrativa que nos situa em diversos tempos da vida e do cotidiano de uma personagem, um ser humano em sua tentativa de existir, sobreviver e dialogar com o mundo em uma sociedade pós-guerra, pós-enchente, pós-terremoto, pósdesapropriação, pós-holocausto. Tsunami tece a narrativa pelas ações, gestos e imagens poéticas não verbais, dando lugar à criação de um dialeto próprio da personagem, convidando o espectador a uma compressão por meio dos sentidos e das emoções.

Protagonizado pela atriz e professora Ana Flávia Garcia, o espetáculo foi desenvolvido dentro de um programa de ensino de artes no Centro Educacional Stella dos Cherubins, em Planaltina, a partir de um convite do professor de artes do local, Wellington Oliveira. Semanalmente, os alunos assistiam aos ensaios e eram convidados a fazer comentários e dar depoimentos pessoais, colaborando na dramaturgia.

FICHA TÉCNICA

Direção e dramaturgia: Jonathan Andrade
Atriz Criadora: Ana Flávia Garcia
Coordenação Pedagógica e de produção: Wellington Oliveira
Design e programação visual: Henrique Macedo
Cenografia, figurino e adereços: Jonathan Andrade
Sonoplastia: Tomás Seferin
Iluminação: Diego Bresani
Vídeo Mapping: Fernando Gutierrez
Concepção de maquiagem: Jonathan Andrade e Roberto Dagô
Fotógrafo: Diego Bresani
Operador de som: Edberg Tavares
Execução de maquiagem: Roberto Dagô
Execução de cenário: Bernardo Ouro Preto
Costureira: Neide Oliveira ateliê de costura
Confecção de Máscara de Rinoceronte: Paulo Amaro
Produção Executiva: Naná Maris Produções.

DURAÇÃO: 70 MINUTOS
CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 14 anos.

OFICINA A PALAVRA COMO AÇÃO

com Delson Antunes sob textos de Clarice Lispector

A Palavra Como Ação irá promover uma imersão no universo da palavra. O objetivo é dar aosparticipantes a experiência vívida com o texto num ambiente de experimentação e exercícios. Há anos,Delson Antunes vem conduzindo atores profissionais e amadores (predominantemente no Rio de Janeiro) no burilar da palavra em cena e, para esta oficina, traz textos de Clarice Lispector, em seu centenário, para uma intensa experiência de contaminação entre autora e ator.Os participantes irão passar pela experiência da transposição da palavra literária em ação cênica. Através de um encontro com suas próprias vivências, irão desenvolver individualmente um delicado trabalho de interpretação a partir de crônicas de autora. Ao se apropriar da palavra, o ator transforma-a em ação, dá a ela significado, força emocional e magnetismo cênico, exercícios que serão conduzidos e explorados nessa oficina.

As aulas serão eminentemente práticas, mas trarão aporte teórico quando necessário.

Serão abordados ainda temas como ‘A palavra como veículo de imagem’; ‘A palavra e a situação’; ‘A alma das palavras (o subtexto e as ações internas)’; ‘A música das palavras’; ‘A palavra de valor’; ‘Inflexões’; ‘Tônicas’; ‘O ritmo’; ‘A respiração’; ‘O silêncio expressivo’.

Serviço

OFICINA: A Palavra como Ação (baseado em textos de Clarice Lispector)
Ministrante: Delson Antunes
Carga-horária: 5 encontros

Público alvo: Atores e não atorese estudantes com ou sem experiência, maiores de 15 anos./ Interessados em geral na palavra como meio de expressão.

Delson Antunes é premiado diretor teatral com ampla atuação em adaptação de obras não teatrais para a cena.Mestre em Teatro na Uni-Rio, é um dos mais requisitados coaches de atores no Rio de Janeiro. Professor da Escola Wolf Maya, é autor da obra de referência Fora do Sério – Um Panorama do Teatro de Revista Brasileiro.Com Camila Amado co-dirigiuas montagens A Cantora Careca & A Lição (2011) e A mais Forte (2008). Em 2007, dois de seus espetáculos foram indicados ao Prêmio Shell: O Homem Vivo, com indicação de melhor atriz (Camilla Amado) e melhor iluminação (Luís Paulo Neném); e Anjo Malaquias, indicado a melhor roteiro (de sua autoria). Em 2008, Anjo Malaquias recebeu, ainda, os diversos prêmios no Festival de Teatro do Rio, como Melhor direção, roteiro, iluminação, ator coadjuvante e melhor espetáculo pelo por júri popular.

Preto, O Homem que Sabia Javanês,Mulheres de Caio, Homens e Se Eu Fosse Eu , Cemitério das Delícias, A Peça ao Lado e Se eu fosse Nelson.

QUERO SER IGUAL A ELES

com José Regino

Após ser abandonado por todos do circo – os artistas que ele tanto admirava – o palhaço Zambelê, que trabalha como contra regra e assistente de picadeiro, se vê desempregado, obrigado a sair de cena e seguir seu caminho solitário. Com a ajuda de voluntários da plateia, ele descobre novas possibilidades de manter o espetáculo, reconhecendo que não precisa ser igual a eles. Ele tem apenas que ser ele mesmo. O espetáculo é resultado da pesquisa de mestrado do ator, diretor e palhaço José Regino sobre ‘A Dramaturgia de uma Atuação Cômica’.

No espetáculo, José Regino faz uma homenagem aos palhaços e grupos que influenciaram a sua trajetória nos últimos anos, recriando gags e idéias utilizadas por profissionais como Tortel Poltrona, Luiz Carlos Vasconcelos, Leris Colombaione, Márcio Libar, Lis Nobre, Teatro de Anônimos, entre tantos que compõem a sua galeria de admiráveis e alimentam o seu sonho de um dia ser igual a eles. Na montagem, o artista desconstrói a ideia de espetacularidade que envolve a realização dos números circenses e brinca com a necessidade que o mundo contemporâneo impõe às pessoas de serem originais. Dando continuidade ao trabalho iniciado em “Nobre Arte do Palhaço”, Quero Ser Igual a Eles utiliza o erro como fonte de criação de situações inusitadas.

FICHA TÉCNICA

Criação, direção, atuação e figurinos: José Regino
Luz e som: Pedro Gabriel
Fotos: Telmo Ximenes e Lainha Loyola
DURAÇÃO: 60 MIN
CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: LIVRE
Produção: Celeiro das Antas

CABARÉ DA NEGA

com Ana Luiza Bellacosta e convidados

Um grupo de palhaços se encontra para um espetáculo, uma sinfonia de besteiras, afinadas em riri sem dó. Um cabaré irreverente, excêntrico, para toda a família, orquestrado por Madame Froda.

FICHA TÉCNICA

Direção: Ana Luiza Bellacosta
Direção musical: Julia Ferrari
Elenco: Ana Luiza Bellacosta, Lelê Marins, Guilherme Carvalho e Elisa Carneiro
Banda: Família Ferrari
Produção: Lelê Marins
DURAÇÃO: 60 MIN
CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: LIVRE

DENTRO

com João Ricken

Um relógio para. O tempo parece estar fora de ordem. Micael acredita estar preso e começa a receber indesejadas visitas de criaturas que o chamam por outro nome e o confrontam com perguntas que parecem não ter sentido. Real e imaginário se misturam trazendo à tona uma conturbada relação entre Micael e sua irmã e, por mais que Micael tente escapar, as criaturas se mostram determinadas a continuar perturbando sua mente até que ele entenda o que de fato aconteceu.

FICHA TÉCNICA

Texto e direção: João Ricken
Elenco: Carol Franklin, Eduardo Görck, Julia Tempesta, Marianne Marinho, Matheus Dias
Iluminação: Larissa Souza
Figurino: Deni Moreira
Cenografia: A Equipe

Anterior Lee Ranaldo e Raül Refree lançam “Light Years Out”
Próximo Bob’s lança milk shakes e sundaes com frutas vermelhas e amarelas