Em “O cérebro que diz sim”, Daniel Siegel e Tina Payne mostram como ajudar as crianças

Quase todos os pais e educadores já passaram por situações difíceis ao lidar com as crianças, seja em momentos nos quais elas se recusam a conversar, apresentam um descontrole emocional ao serem contrariadas ou então demonstram muita reatividade. Com base na ciência e abordando conceitos da educação, o maior especialista em comportamento infantil, Daniel J. Siegel, se uniu à parceira Tina Payne para mostrar como ajudar as crianças a serem mais flexíveis, dispostas a arriscar e explorar, menos teimosas e mais resilientes diante das adversidades, características típicas da mentalidade que eles chamam de “cérebro que diz sim”, tema abordado neste lançamento da Editora Planeta.

De acordo com os especialistas, o “cérebro que diz sim” emerge de diferentes circuitos no cérebro que se ativam e provocam receptividade em vez de reatividade, característica do “cérebro que diz não”. Os cientistas usam a expressão “sistema de engajamento social” para se referir ao conjunto de circuitos neurais que ajudam nossa conexão com os outros. Em razão da receptividade e da ativação do sistema de engajamento social, é possível se sentir mais capaz de enfrentar desafios com força, clareza e flexibilidade.

Partindo do princípio que o cérebro das crianças é influenciado significativamente por suas experiências, inclusive pela maneira como se comunicam e se relacionam com seus pais, eles explicam a importância de promover a integração no cérebro dos filhos, de modo que diferentes regiões se tornem mais conectadas, tanto estruturalmente quanto funcionalmente. Na obra os autores exploram os quatro fundamentos do “cérebro que diz sim”: empatia, resiliência, equilíbrio e percepção, trazendo exemplos práticos de como ajudar as crianças a reforçarem essas capacidades, que são a base para uma vida feliz, saudável e autêntica.

Ao final de cada capítulo do livro, o leitor encontra duas partes concebidas para aumentar as maneiras de colocar as ideias apresentadas em prática: uma delas é uma tirinha em quadrinhos criada para servir como base de discussão do tema com as crianças e a outra, “meu cérebro que diz sim”, conteúdo que tem como objetivo levar o leitor a questionar as ideias pensando em seu próprio desenvolvimento. Afinal, os adultos dão exemplo de como estar no mundo para as crianças. Alinhados à ciência, mas sem deixar o quesito humano e as individualidades de lado, os autores oferecem um ensaio comprometido em criar, com respeito e carinho, seres humanos mais abertos ao mundo, empáticos e felizes.

Sobre os autores 

Daniel J. Siegel é professor de Psiquiatria Clínica na Faculdade de Medicina e codiretor fundador do Centro de Pesquisas sobre Consciência e Atenção Plena da Universidade da Califórnia (UCLA), além de diretor-executivo do Instituto Mindsight. Formado pela Universidade Harvard, ele é autor de vários livros, entre eles os best sellers O cérebro da criança, Cérebro do adolescente e Disciplina sem drama. O Dr. Siegel ajuda pais do mundo inteiro por meio de palestras e workshops. Para saber mais, acesse: www.drdansiegel.com.

Tina Payne Bryson é psicoterapeuta de crianças e adolescentes, diretora no setor de Educação de Filhos do Instituto Mindsight, palestrante e especialista em desenvolvimento infantil. Com Daniel J. Siegel, é autora dos livros Disciplina sem drama e O cérebro da criança. Ela vive na Califórnia com o marido e os três filhos. Para conhecer mais do seu trabalho, acesse: www.tinabryson.com.

Ficha Técnica 

Título: O cérebro que diz sim
Autores: Daniel J. Siegel e Tina Payne Bryson
Tradução: Eliana Rocha
Páginas: 208
Preço: R$ 46,90
Editora Planeta

Anterior Sesc acolhe projeto que estimula processo de criação
Próximo Homenagem a Ayrton Senna no autódromo de Imola na Itália