Noites de Luz – Brasilidades Concertos da Orquestra de Câmara de Brasília sob a regência do Maestro Cláudio Cohen 22 e 23 de dezembro, em 4 apresentações

A orquestra executa clássicos da música brasileira com arranjos renovados para a música erudita.

*A entrada é gratuita mediante doação de alimentos não-perecíveis para campanha solidária a pessoas em situação de rua*

O Centro Cultural Banco do Brasil e a Orquestra de Câmara de Brasília sob a regência do Maestro Cláudio Cohen têm o prazer de oferecer um conjunto de concertos, que percorrem o popular e o erudito, o festivo e o reflexivo.

Toda música é reflexo de uma época. Porém, há músicas que são atemporais. Nos emocionam, nos enternecem e nos remetem as raízes da formação musical e cultural brasileiras.

Em sua segunda edição, o projeto Noites de Luz traz ao público clássicos das 5 regiões brasileiras, em um amplo e diversificado panorama que apresentará a riqueza e a peculiaridade da música produzida em todo o país.

O final do ano é um momento de alegria e confraternização. Nada melhor do que a música para iluminar nossos sonhos de um ano melhor, mais sereno, afetivo e inclusivo.

Noites de Luz РBrasilidades prepara para o p̼blico uma experi̻ncia ̼nica, onde
a luz e a música criam um ambiente de emoção e acolhimento, em apresentações que contam com as participações especiais de bailarina, DJ e percussionistas.

Na cenografia, Noites de Luz prepara iluminação cênica e desenho de luz especialmente concebido para o projeto, em sintonia com os temas e o roteiro musical proposto. O projeto tem concepção artística e regência do Maestro Cláudio Cohen, que, em sua curadoria, priorizou como fio condutor a linguagem clássica, trazendo à luz a temática de obras criadas por intérpretes que permeiam os ritmos e gêneros musicais das raízes musicais brasileiras.

O repertório inclui clássicos que vão desde os tradicionais temas em celebração ao Natal, passando por clássicos regionalistas e célebres composições, além de um mergulho no imaginário musical do violeiro caipira e do Brasil do interior.

As músicas Vem Morena, de Luiz Gonzaga, e Milonga para As Missões, de Renato Borghetti, serão acompanhadas pela bailarina Thuany Campbell, formada pelo Ballet de Brasília, do Teatro Nacional Claudio Santoro, tendo como mestres e professoras as bailarinas e coreógrafas Gisèle Santoro, mãe e filha. Thuany frequentou o National Theatre de Praga em 2011 e desde 2007 realiza ricas trocas com renomados profissionais de dança de diversos países.

No Noites de Luz Brasilidades, a interferência cênica de Thuany nas obras musicais de grandes artistas brasileiros traz notas das culturas populares dos extremos do país. Do Nordeste ao Sul, vem demonstrar através de composições de Renato Borghetti e do saudoso Luiz Gonzaga, ora o gingado e alegria, ora a elegância impressa nas coreografias folclóricas de cada região do país.

Já a composição Milonga para As Missões contará com uma versão do DJ Raffa Santoro, com participação especial de Fred Magalhães, do Patubatê, na percussão. Representando a Região Norte do Brasil, A Orquestra de Câmara de Brasília apresenta Pinduca – Sinhá Pureza e Suíte de Danças Concertantes para Violão e Orquestra Carimbó, com arranjos de Raffa Santoro, reconhecido produtor da cena rap brasileira, filho do Maestro Claudio Santoro, ícone da música erudita.

Os concertos terão duração aproximada de 1h15, contemplando um repertório de 16 composições que serão apresentadas ao público em 4 concertos, que acontecerão nos dias 22/12 (quinta) em sessão dupla às 18h e 20h e no dia 23/12 (sexta) às 16h e 18h.

A entrada é gratuita, mediante retirada prévia de ingressos na bilheteria do CCBB ou no site bb.com.br/cultura a partir das 9h de terça, 20/12. A entrada também é doação de 1 quilo de alimento não-perecível. As doações serão destinadas ao Instituto Barba na Rua, que atende pessoas em situação de vulnerabilidade.

Além de formar plateia para a música instrumental e realizar campanha para coleta de alimentos, o projeto atua na modalidade slow paper, dedicado 100% sob as prerrogativas de sustentabilidade, realizando a produção e divulgação exclusivamente por meios digitais.

PROJETO ARRECADARÁ ALIMENTOS NÃO-PERECÍVEIS

O projeto Noites de Luz tem forte componente humanitário. É solicitada a doação de alimentos não-perecíveis como ingresso para o concerto, que serão distribuídos pelo Instituto Barba na Rua que atua fornecendo alimentação para população em situação de rua / vulnerabilidade social. Os alimentos arrecadados serão preparados e as quentinhas distribuídas no período natalino aos moradores de rua do Distrito Federal. Contamos com o envolvimento do nosso público.

Cláudio Cohen
Regente titular da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro

Cidadão Honorário de Brasília, o maestro e violonista Cláudio Cohen é um grande criador contemporâneo da música clássica, durante a pandemia adaptou-se e topou o desafio de criar atividades inovadoras junto com a orquestra, que vem movimentando a cena erudita por meio de iniciativas inéditas. Por sua grande influência no cenário da música clássica brasiliense, a trajetória artística do maestro está fortemente conectada à história da música erudita contemporânea na região, nacional e internacionalmente. O Maestro já atuou como artista convidado em mais de 30 países dentre os quais: EUA, México, Áustria, Alemanha, Portugal, Espanha, Polônia, Finlândia, Hungria, Itália, China, Japão, Argentina, Chile, Moçambique, Catar e em todo o território brasileiro.

Orquestra de Câmara de Brasília
Formada por músicos com o mais alto grau de excelência e performance, a Orquestra de Câmara de Brasília vem atuando no cenário da Música Clássica e de eventos desde a década de 1990. Neste período dezenas de concertos foram realizados e a qualidade da Orquestra e de seus músicos foi sempre reconhecida pelo público e crítica.

Ficha técnica Orquestra:

Maestro Cláudio Cohen
Piano – Ligia Moreno
Violinos – Lilian Raiol e Marcos Bastos
Viola – Daniel Marques
Cello – Rodolpho Borges
Contrabaixo – Larissa Coutrim
Percusṣo РLeonardo Sousa
Bailarina – Thuany Campbell
DJ – Raffa Santoro
Percusṣo РFred Magalḥes (Patubat̻)
Produção – Michele Milani

PROGRAMA – ROTEIRO MUSICAL

O Brasil Clássico Caipira – Maestro Joaquim França
Série de interpretações das mais significativas músicas do cancioneiro caipira de todos os tempos.

Mouṛo РC̩sar Guerra-Peixe
Mourão faz parte das contribuições composicionais de Guerra Peixe ao Movimento Armorial e é considerada o hino do Movimento. A peça foi inspirada no som das rabecas do folclore nordestino, com as quais Guerra-Peixe teve contato nos anos 1950 em viagens ao Nordeste do país. César Guerra-Peixe foi um dos principais compositores brasileiros do século XX.

A prole do Beb̻ (Branquinha, Moreninha, Polichinelo) РHeitor Villa-Lobos
A Prole do bebê No 1 foi executada pela primeira vez em 1922 por Arthur Rubenstein, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Trata-se de uma coleção de peças de personagens de Heitor Villa-Lobos para piano. Villa-Lobos foi um compositor, regente, violoncelista e violonista brasileiro descrito como “a figura criativa mais significativa da música artística brasileira do século XX”. Tornou-se o compositor sul-americano mais conhecido de todos os tempos.

Chega de Saudade – Tom Jobim
Também conhecida como ” No More Blues “, é um standard do jazz da bossa nova . Muitas vezes é considerada a primeira música de bossa nova a ser gravada. Assim como ” Garota de Ipanema “, a música “Chega de Saudade” foi composta por Antônio Carlos Jobim , com letra de Vinícius de Moraes. A canção foi gravada pela primeira vez em 1957 pela cantora brasileira Elizete Cardoso. Lançada como single, a música se tornou um sucesso e consolidaria a bossa nova como um gênero permanente no léxico da música latina.

Água de beber – Tom Jobim
Outra canção do movimento chamado Bossa nova, composta por Antonio Carlos Jobim, com letra de Vinicius de Moraes. Um dos engenheiros que ajudaram na construção de Brasília, Kléber Farias Pinto, relatou que em 1959, época da construção da nova capital do Brasil, Juscelino Kubitschek, o presidente do país, convidou Tom Jobim e Vinicius de Moraes para passar uma temporada no Catetinho (palácio provisório, feito de madeira) para compor uma sinfonia que deveria ser executada no dia da inauguração de Brasília. Uma certa noite Vinicius e Tom caminhavam perto do Palácio de Madeira quando ouviram o barulho de água atrás do Catetinho e perguntaram ao vigia “mas que barulho de água é esse aqui?”. “Você não sabe não? É aqui que tem água de beber, camará”, respondeu o guarda. Assim conheceram a fonte de água e da inspiração para a primeira música composta em Brasília.

Chegada dos Candangos – Tom Jobim e Vinícius de Moraes
O movimento de constituição da Bossa Nova parecia refletir a urbanização do país. O novo estilo de compor e cantar, apesar de influenciado pelo samba, retirava o foco da música produzida nos morros, lançando os holofotes do cenário musical para a zona sul carioca. Esse movimento revelou diversos cantores e compositores, como Vinicius de Moraes e Tom Jobim, dupla que, em fevereiro de 1958, foi convidada por Juscelino Kubitschek a compor a “Sinfonia da Alvorada”, mais conhecida como “Sinfonia de Brasília”. Chegada dos Candangos é uma das cinco partes da Sinfonia.

Alma Brasileira – Heitor Villa-Lobos
O novo nacionalismo musical que despontou nas Américas a partir do século XX foi mais rico na América Latina do que nos Estados Unidos, devido à sua fonte folclórica inesgotável. Destacou-se, nesse panorama musical, o brasileiro Heitor Villa-Lobos (1887-1959), pela espontaneidade, complexidade e vigor de suas criações. Sua obra, de grande originalidade, representa, essencialmente, um retrato musical do Brasil; entretanto, a marca registrada dele fica evidenciada na fusão entre a música popular brasileira e a música erudita ocidental. Os Choros nº 5, também chamado de Alma Brasileira, é, sem dúvida, uma das peças mais execu¬tadas do repertório pianístico de Villa-Lobos, tendo angariado o carinho de público e de intérpretes desde sua estréia em 1927.

Vem Morena – Luiz Gonzaga
Cantor e compositor brasileiro também conhecido como Rei do Baião. Foi considerado uma das mais completas, importantes e criativas figuras da música popular brasileira. Cantando acompanhado de sua sanfona, zabumba e triângulo (conjunto básico dos cantores de baião, que ele mesmo definiu, levou para todo o país a cultura musical do nordeste, como o baião, o xaxado, o xote e o forró pé de serra. Suas composições também descreviam a pobreza, as tristezas e as injustiças de sua árida terra, o sertão nordestino.

Milonga para As Miss̵es РRenato Borghetti
Versão remix DJ Raffa Santoro com participação especial da Bailarina Thuany Campbell e na percussão Fred Magalhães, do Patubatê

Sinhá Pureza e Suíte de Danças Concertantes para Violão e Orquestra Carimbó Pinduca
Versão remix DJ Raffa Santoro com participação especial na percussão Fred Magalhães, do Patubatê

Além disso, serão apresentadas ainda as seguintes músicas:

2 Prelúdios – Cláudio Santoro
Brejeiro – Ernesto Nazareth
Odeon – Ernesto Nazareth
Tico-tico no Fubá – Zequinha de Abreu
Jovem Guarda – Pot-Pourri
Sele̤̣o de temas natalinos РChristmas Medley

Serviço:

Noites de Luz Brasilidades
Teatro – Centro Cultural Banco do Brasil Brasília
SCES, Trecho 2 – Brasília/DF
Tel: 61 3108 7600

22 e 23 de dezembro de 2022
22/12 – 18h e 20h
23/12 – 16h e 18h

Classificação indicativa: Livre

Ingressos disponíveis a partir de 9h de terça-feira 20/12
Na bilheteria do CCBB Brasília e no site bb.com.br/cultura
Entrada gratuita, mediante doação de 1Kg de alimento
Arrecadação na porta do teatro

Assessoria de imprensa CCBB
Bárbara Burnier – CCBB (61) 3108-7630
CCBB Brasília
Aberto de terça-feira a domingo, das 12h às 20h.
SCES Trecho 2 – Brasília/DF
Tel: (61) 3108-7600
E-mail: [email protected]
Site: bb.com.br/cultura
Site/ bb.com.br/cultura
Facebook/ccbb.brasilia
Twitter/ @ccbb_df
Instagram/ccbbbrasilia
Youtube/ Bancodobrasil