AQUI TEM DIVERSÃO

Negra Palavra, 🎭 espetáculo no teatro Dulcina em agosto

Negra Palavra

Negra Palavra | Foto: Divulgação

Espetáculo Negra Palavra celebração da obra do poeta Solano Trindade faz nova temporada no Centro do Rio

“Negra Palavra I Solano Trindade” ficará em cartaz no Teatro Dulcina às quintas e sextas.

Para festejar um primeiro semestre movimentado, o espetáculo Negra Palavra I Solano Trindade, que celebra a obra do poeta pernambucano, ativista político, ator de cinema, artista plástico, pesquisador de culturas populares e homem de teatro, ficará em cartaz durante todas as quintas e sextas de agosto, às 19h30, no Teatro Dulcina, no Centro do Rio. Após uma premiada temporada online, a peça voltou ao seu formato presencial em março, rendendo muitos frutos.

A trupe inaugurou o Teatro Chica Xavier, circulou pelo interior do Estado do Rio de Janeiro, participou do Viradão Cultural paulistano, além de apresentações na capital, e, recentemente, terminou uma bem-sucedida temporada na Sede Cia dos Atores. Neste período ainda surgiram o Samba do Negra, roda de samba criada pelo elenco, e o Podcast Negra Palavra, que conta, em sua primeira temporada, com sete episódios. Após o mês no Dulcina, o elenco se prepara para extrapolar fronteiras com apresentações em um festival cultural em Angola.

O artista, reconhecido por uma vida de luta contra a opressão de negros e pobres, ganhou justa homenagem na peça criada pelo Coletivo Preto e pela Companhia de Teatro Íntimo, em 2019. Após temporadas com plateia lotada nos teatros Sesc Tijuca, Poeira e Casa de Cultura Laura Alvim, em 2020 foi adaptada para o formato online, sendo exibida em festivais digitais pelo mundo. Por essa versão foi premiada no 15º Prêmio APTR na categoria Jovem Talento (Prêmio Manoela Pinto Guimarães) pelo elenco, além de ter sido indicado por Espetáculo Adaptado ao Vivo.

A construção da narrativa da peça é fruto de uma ampla pesquisa da poesia como base dramatúrgica e contempla a representatividade negra na criação, propondo um olhar sofisticado sobre o corpo dos artistas em cena. Na contramão dos estereótipos criados para objetificar e discriminar pessoas negras, Negra Palavra | Solano Trindade, recupera a trajetória do poeta, trazendo para a cena suas múltiplas vivências. Sua infância em Pernambuco, colorida pela sonoridade das feiras populares e pela ancestralidade do maracatu. Sua militância em diversas cidades do Brasil, como cidadão negro em um país racista, lutando pela paz e contra a fome. E sua experiência como homem, entregue ao amor e ao cuidado da família. O espetáculo redimensiona a poesia de Solano, dando um basta a seu apagamento histórico. Corpo, música e poesia se entrelaçam para representar uma só história: tanto a do poeta, em seu tempo, como a dos homens negros contemporâneos, aqui e agora.

“O maior desafio e creio que, também, a grande força desse trabalho, veio da percepção de que as poesias de Solano são profundamente atuais”, afirma Renato Farias, roteirista e um dos diretores do espetáculo. Ele roteirizou a peça usando somente poemas de Solano. André Muato acrescentou a musicalidade e as outras expressões artísticas que fazem parte da obra do “Poeta do Povo”. Orlando Caldeira, também responsável pela direção de movimento, assina a direção geral junto com Renato. Drayson Menezzes assina a direção de atores.

Encenada originalmente por 10 atores, todos homens negros, desta vez, na nova versão presencial do espetáculo, o elenco também traz uma nova adaptação. Desta vez, a peça é encenada por oito atores e uma atriz, representando ainda mais as múltiplas faces de Solano. Adriano Torres, André Américo, Eudes Veloso, Jorge Oliveira, Leá Cunha, Lucas Sampaio, Raphael Elias, Rodrigo Átila e Thiago Hypólito formam o elenco atual.

Solano Trindade é uma referência fundamental na luta por igualdade no país, tendo fundado vários movimentos negros entre os anos 30 e 60. Levou sua arte e militância de Pernambuco para o Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e, finalmente, para a cidade de Embu, no interior de São Paulo, hoje conhecida como Embu das Artes.

FICHA TÉCNICA

Poesias: Solano Trindade
Direção Geral: Orlando Caldeira e Renato Farias
Roteiro: Renato Farias
Elenco: Adriano Torres, André Américo, Eudes Veloso, Jorge Oliveira, Leá Cunha, Lucas Sampaio, Raphael Elias, Rodrigo Átila e Thiago Hypólito
Direção Musical e Percussão Corporal: André Muato
Direção de Movimento: Orlando Caldeira
Direção de Atores: Drayson Menezzes
Assistente de Direção: Thati Moreira
Direção de Arte: Raphael Elias
Assistente de Arte: Julia Marques
Iluminação: Rafael Sieg
Designer: Vitor Moniz
Gerenciamento de Redes Sociais: Caroline Frizeiro
Figurino: Julia Marques
Direção de Produção e Produção de Conteúdo: Eudes Veloso
Produção Executiva: Jorge Oliveira e Ândrea Cordeiro
Idealização: Renato Farias
Produção: Saideira Produções
Realização: Coletivo Preto e Companhia de Teatro Íntimo

NEGRA PALAVRA – SOLANO TRINDADE

Teatro Dulcina – Rua Alcindo Guanabara 17 – Centro
De 04 a 26 de agosto
Quintas e sextas às 19h30
Ingressos na bilheteria ou via Sympla
R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada)
Duração: 60 min
Classificação: 12 anos

Sair da versão mobile