Espetáculo inédito mescla música ao vivo, dança, canto, teatro e poesia em história que tem como foco a relação de uma mulher com o mar

“Onde o céu respira, o dia nasce e traz um novo ciclo / Remos e tarrafas nas mãos / E essa orquestra de lutas / Quem rege é o mar / Acordes de dor e prazer/”. A música Em Algum Lugar do Mar fala sobre a imensidão do mar que banha os diversos litorais do Brasil e povoa o imaginário brasileiro. É este mar e sua relação com uma mulher que inspiraram o espetáculo inédito Maré Cheia.

Oito atores em cena, banda, teatro, dança, música e poesia. Um verdadeiro mix inspirado no rock nacional, com direito, ainda, a elementos fantásticos. Formado por artistas brasilienses e assinado pela autora, diretora geral e atriz Gabriela Abreu, o musical Maré Cheia chega com todos estes ingredientes. A peça estará em cartaz nos dias 14 e 15 de abril, respectivamente sábado, às 20h; e no domingo, às 19h, na Sala Plínio Marcos do Complexo Cultural Funarte (Eixo Monumental).

Do Plano Piloto, Maré Cheia segue para o Gama, com apresentação no dia 29 de abril, às 15h e às 19h, no Espaço Semente (6 SCE Centro Hoteleiro, 1). Logo após, para o Sesc Taguatinga (CNB 12 – Área Especial 2/3 – Taguatinga Norte), onde será apresentado nos dias 5 e 6 de maio, também às 20h e 19h, respectivamente. As últimas apresentações estão marcadas no Sesc Ceilândia (QNN 27 – Área Especial S/N – Ceilândia Norte), nos dias 19 e 20 de maio, também às 20h e 19h.

Maré Cheia é uma apresentação do grupo DeAraque – Iniciativas Teatrais e tem o patrocínio da Secretaria de Cultura do Distrito Federal e do FAC – Fundo de Apoio à Cultura.

É maré cheia

Preconceito, medo do desconhecido, intolerância para com o próximo. Ainda, a missão de se encontrar e honrar quem se é. Todos estes temas permeiam o musical que se enquadra em um drama com pitadas de humor.

Maré Cheia se passa em uma vila de pescadores em algum ponto afastado do litoral brasileiro. “Algum” porque a autora Gabriela Abreu deixa para o público a identificação de seu litoral. Não à toa, os diálogos são encenados sem sotaque. A peça não especifica apenas uma região, representando um pouco dos vários Brasis.

Dentro desta vila mora a jovem Maria (Simone Mariano). Sua história é conduzida e recheada por versos e mitos. Mulher de passado misterioso, a protagonista possui uma forte ligação com o mar e vive as consequências desta relação que permeia o sobrenatural. Tudo começa quando seu companheiro, o pescador Tião (Áquila Silver), desaparece em meio a uma tempestade.

Logo após, ela descobre em si um poder desconhecido que afetará sua vida e a vida da comunidade em que vive. “Temos personagens como uma pessoa de gênero fluido e a religiosa fervorosa. Outra personagem é mais sexualizada.E como não caracterizamos uma região em específico, os habitantes podem ser cariocas, pernambucanos…”, pontua Gabriela Abreu. A dramaturga não se pautou em uma história onde a mulher tem como base a sua relação amorosa. A peça reforça a busca pela própria identidade e pela força interior capaz de transformar e de superar obstáculos.

Também atriz, Abreu interpreta a dona do armazém, Capitu. A personagem, de gênero fluido, é humanizada e retratada sem ser caricata. “É uma pessoa comum, que vive ali como todos os outros, trabalha e se alimenta. Quebramos os estereótipos que a mídia acaba colocando nestes personagens”, destaca.

O musical tem o rock como pano de fundo. No total, serão apresentadas 14 músicas autorais assinadas pelo diretor musical, Rodrigo Karashima. A direção cênica fica nas mãos de Camila Meskell, que dirige o seu terceiro musical profissional e constrói em Maré Cheia uma encenação rica em momentos reflexivos, preenchidos com falas em versos e silêncios pontuais. Já o cenário e figurino realçam elementos da cultura regional brasileira, feitos com materiais recicláveis. A duração de Maré Cheia é de 1h50, com um intervalo de 15 minutos.

Ficha Técnica

Direção Geral: Gabriela Abreu
Direção Musical: Rodrigo Karashima
Direção Cênica: Camila Meskell
Assistente de direção cênica: Renata Bittencourt
Preparador vocal: César Miranda
Coreógrafa: Aleska Ferro
Produção Executiva: Mateus de Medeiros
Coordenação de Produção: Raquel Fernandes
Assistente de Produção: Paula Hesketh
Elenco: Aleska Ferro, Áquila Silver, Gabriela Abreu, Loretta Martins, Ricardo Taveira, Rodrigo Issa, Rômulo Mendes, Simone Mariano, Thammi Oliver
Cenografia e figurinos: Anna Noceti
Iluminação: Ana Quintas
Realização: DeAraque Iniciativas Teatrais
Trilha sonora: Rodrigo Karashima
Assessoria de imprensa: Baú Comunicação Integrada

Serviço

Maré Cheia

14 e 15 de abril – sábado, às 20h, e domingo, às 19h, na Sala Plínio Marcos do Complexo Cultural Funarte (Eixo Monumental). Ingressos: R$ 10 (meia-entrada). Doadores de 1 Kg de alimento pagam meia.

Maré Cheia

29 de abril – domingo, às 15 e às 19h, no Espaço Semente (6 SCE Centro Hoteleiro, 1 – Gama)
5 e 6 de maio – Sábado, às 20h, e domingo, às 19h, no Sesc Taguatinga (CNB 12 – Área Especial 2/3 – Taguatinga Norte)
19 e 20 de maio – Sábado, às 20h, e domingo, às 19h, no Sesc Ceilândia (QNN 27 – Área Especial S/N – Ceilândia Norte)

Entrada franca
Informações: 2099-3080
Não recomendado para menores de 12 anos

Anterior PorkIPA: primeira edição do ano reunirá cervejeiros e gourmets
Próximo Temirzhan Yerzhanov na Casa Thomas Jefferson Hall

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *