Particularidades, dores, alegrias e lutas do universo feminino viraram poesia no lançamento da escritora Myriam Scotti

Palavras não escritas, sufocam. Foi o que declarou Myriam Scotti nas primeiras páginas do lançamento Mulheres Chovem. E, para não sufocar, ela escreveu as 58 poesias que recheiam a obra.

Entre os versos que representam a singularidade de cada mulher, Myriam relata a transformação da sensibilidade em força e poder… tal processo é comparado ao arco-íris após a chuva: ele não existe sem que a água escorra. É assim que a escritora empodera a sensibilidade, vista por tantos como algo negativo.

“Como a chuva que cai p’ra limpar
Nuvens carregadas que se espremem
Tantas mulheres chovem p’ra vazar
O que um coração quebrado sente.
Pois que o choro nunca é fraqueza,
É natureza a cuidar do corpo,
Levando os rejeitos para longe,
Devolvendo o sorriso que se esconde.
Chuva que limpa céu torrencial,
Lágrimas que lavam a alma triste,
Aliviam dor exponencial,
Sem levar em conta dor que persiste.
Desafio se há mulher que chova
Sem transbordar angustia qu’insiste.”
(Mulheres Chovem, pág. 26)

“Urgência”, “Desculpe-me”, “Segunda-feira”, “Amor embalado” e “Amor materno” são alguns exemplos dos títulos das poesias de Myriam. Cada palavra-chave dá o tom da produção: vezes mais delicadas e profundas, outras mais ásperas e pulsantes, mas sempre reais.

Mulheres Choram é para todas dispostos à emoção, sem medo de sentir e de se reconhecer entre rimas.

Ficha Técnica:

Título: Mulheres Chovem
Autor: Myriam Scotti
ISBN: 978-65-86139-15-0
Páginas: 77 páginas
Formato: 21 x 14 cm
Preço: R$ 38,00
Link de venda:  https://amzn.to/3fcR9q3

Sinopse

O novo livro de Myriam Scotti, Mulheres Chovem, traz o encantamento típico de toda boa poesia, permitindo ao leitor ser sugado por um torvelinho de palavras que escorrem do papel e, como epifania, passam a deslizar na mente, andando pelas bordas e beiras até transbordar ou desaguar as dores. As poesias de Myriam, cujo tema é o universo feminino, são assim devastadoras. E falam da mulher, esse todo que não se define. A mulher, que não é uma, mas tantas. A mulher, que é feita de fragmentos pulsantes, num desencaixe que não é de fúria, mas furor de resistência e restauro para quem tem coragem de enfrentar os dias. É preciso ser rio, para dissolver toda a experiência humana. É preciso ser água, para escorrer sem reservas. É preciso chover, para que se veja o arco-íris (arremata a poeta!). E nunca esteve tão certa.

Sobre a autora: Myriam Scotti nasceu em Manaus, em 1981. Formou-se em direito pela Universidade Federal do Amazonas e exerceu a advocacia até o nascimento de seu primogênito. Das suas vivências com o filho, surgiram crônicas e histórias infantis, momento em que resolveu dedicar-se totalmente à escrita e publicar seus primeiros livros. Além de “Mulheres Choram”, Myriam é autora de outras obras como “O menino que só queria comer tomate” e “A língua que enlaça também fere”.

Redes Sociais

Anterior Brasil Game Show revela os detalhes do BGS Day em superlive
Próximo "Laive Rodeo Show", de Fiduma e Jeca, acontecerá neste sábado