Mulher é destaque em mostra


O papel da mulher é destaque em mostra de curtas. “Directoras” celebra o exercício feminino na direção de filmes

Nos dias 15 e 16 de julho, Brasília recebe mostra itinerante de curtas para celebrar o papel da mulher no exercício da profissão de diretora. “Dire©toras – Mulheres no Cinema” é organizado pelo Goethe-Institut e realizado na capital federal pelo Goethe-Zentrum Brasília, em parceria com a Embaixada da Alemanha e o Cine Brasília. A curadoria é de Paulo Carvalho.

“O objetivo é dar visibilidade ao trabalho, além de apresentar a diversidade contemporânea realizada por mulheres de diferentes países. Drama, comédia, ensaio, experimental e até um flerte com o horror ganham espaço neste conjunto”, afirma o curador.

Ao todo são 16 filmes de diretoras da Alemanha, Argentina, Brasil e Uruguai. No dia 15 de julho, após exibição dos curtas, haverá uma mesa-redonda composta por profissionais de renome da cidade, entre os quais o curador do evento, a professora da Universidade de Brasília (UnB) Erika Bauer e o coordenador do curso de cinema do Instituto de Ensino Superior de Brasília (IESB), Paulo Duro de Moraes.

“Com essa mostra, pretendemos continuar os nossos esforços para promover a cultura numa verdadeira via de mão dupla, em interação estreita entre artistas alemães, brasileiros e de outras nacionalidades”, destaca Sabine Plattner, diretora do Goethe-Zentrum Brasília.

O projeto passará ainda por cidades como Porto Alegre, Buenos Aires, Montevidéu e Belém. As exibições serão sempre acompanhadas de conversas e discussões paralelas.

Programação

Dia 15 de julho (sexta-feira), às 18h30

Após a exibição de filmes, Paulo de Carvalho participa de um bate-papo com a professora da FAC-UnB, Erika Bauer, e o professor e coordenador do curso de Cinema do IESB, Paulo Duro de Moraes.

  • Starring Helen of Troy, de Miriam Gossing e Stephanie Glauber (Alemanha, 2014, 7 min)
  • Um Ramo, de Juliana Rojas e Marcos Dutra (Brasil, 2007, 15 min)
  • O Fio, de Alicia Cano (Uruguai, 2012, 6 min)
  • Videogames, de Cecilia Kang (Argentina, 2014, 17 min)
  • Papelada Soberana, de Lala Severi (Uruguai, 2015, 3 min)
  • A Cidade, de Liliana Sulzbach (Brasil, 2012, 15 min)
  • Os Animais, de Paola Buontempo (Argentina, 2012, 9 min)
  • Die Ballade von Ella Plummhoff, de Barbara Kronenberg (Alemanha, 2015, 28 min)

Dia 16 de julho (sábado), às 18h30

  • Praça Walt Disney, de Renata Pinheiro e Sergio Oliveira (Brasil, 2011, 21 min)
  • Rosa, de Mónica Lairana (Argentina, 2010, 10 min)Corredores de Verão, de Ana Guevara e Leticia Jorge (Uruguai, 2009, 11 min)
  • Noelia, de María Alché (Argentina, 2012, 15 min)
  • A mão que afaga, de Gabriela Amaral Almeida (Brasil, 2012, 19 min)
  • Contrast, de Carmen Büchner (Alemanha, 2013, 4 min)
  • Chá às cinco, de Virginia Anderson (Uruguai, 2009, 6 min)
  • Masha Natasha, de Marie Losier, Cécile Tollu-Polonowski, Janin Halish e Fred Burle (Alemanha, 2015, 15 min)

S­­­­­­inopses

Um Ramo Juliana Rojas, Marco Dutra
Brasil, 2007, 15 min

A jovem dona de casa Clarisse descobre que uma folha está crescendo em seu braço. Ela arranca a folha e não conta para ninguém o ocorrido. No entanto, as folhas continuam a crescer em várias partes de seu corpo. Embora Clarisse tente esconder a transformação que ocorre em seu corpo, sua família e amigos começam a perceber mudanças em seu comportamento.

A mão que afaga Gabriela Amaral
Almeida Brasil, 2012, 19 min

No aniversário de nove anos de seu único filho, Lucas, a operadora de telemarketing Estela planeja uma festa que tem poucas chances de dar certo.

Praça Walt Disney Renata Pinheiro
Sergio Oliveira Brasil, 2011, 21 min

Praça Walt Disney é um documentário reflexivo sobre uma praça, um bairro, uma cidade, um país. Uma “quase música” sobre uma cultura de ocupação urbana que reflete a sociedade brasileira e mundial. O documentário envereda por uma visão subjetiva, não disciplinada, da realidade de um bairro, de um mundo. Praça Walt Disney privilegia a acuidade sensorial que o audiovisual propicia para a percepção/construção de uma realidade que se passa à nossa frente e que muitas vezes não é percebida.

A Cidade Liliana Sulzbach
Brasil, 2012, 15 min

Distante de outros centros urbanos, Itapuã (RS) é uma comunidade com hábitos bem característicos. A localidade, que já abrigou 1454 pessoas durante mais de 70 anos de existência, conta com apenas 35 moradores, todos acima de 60 anos. Ninguém gosta de lembrar o que o lugar foi no passado, mesmo que para muitos a lembrança inscreva-se no próprio corpo.

Rosa Mónica Lairana
Argentina, 2010, 10 min

No silêncio absoluto de sua casa, Rosa, uma mulher adulta, se limpa, cozinha, come, assiste televisão, procura companhia e fuma sozinha, junto à janela.

María Alché
Argentina, 2012, 15 min

É verão na cidade. Noelia é adolescente e tem muito tempo livre. Vai para todos os lados com sua câmera, eufórica em conhecer novos lugares e descobrir pessoas, as quais coloca contra a parede com perguntas. Inventa vínculos familiares que grava com sua câmera e constrói ficções, das quais é protagonista, gerando situações confusas que os outros tentam desmentir.

Videogames Cecilia Kang
Argentina, 2014, 17 min

Rocío não consegue aceitar a ideia de se separar de Melina, sua melhor amiga, que está de mudança de bairro e de colégio. A dor e a frustração de Rocío se traduzem em sentimentos de disputa e briga com Melina. A crescente tensão entre as duas amigas se torna irremediável quando elas decidem se enfrentar em um duelo de “Pump it up” no fliperama onde se encontram todas as tardes.

Os Animais Paola Buontempo
Argentina, 2012, 9 min

Os animais desapareceram da vida cotidiana e de nossa vista. Ainda que procuremos, esse olhar que nos comunicava está extinto.

O Fio Alicia Cano
Uruguai, 2012, 6 min

Blanca vive em Cerro Pelado, uma vila de 800 pessoas. Um dia, sua filha vem lhe pedir moedas para comprar doces para a escola e ela não tem nada para dar a ela. No mesmo dia, Blanca vai à Comissão Local para pedir um empréstimo de microcrédito. Com esse dinheiro ela compra uma máquina de costura, uma régua, alguns botões, um espelho e um pedaço de pano. Em uma pequena sala decadente, ela cria um atelier e torna-se a costureira da região. Pessoas de outras vilas vêm para reparar e fazer novas roupas. No entanto, isso não é o suficiente para ela.

Corredores de Verão Ana Guevara, Leticia Jorge
Uruguai, 2009, 11 min

É noite. Faz calor. Ela é tão linda…

Chá às cinco Virginia Anderson
Uruguai, 2009, 6 min

Uma mulher visita sua avó. Uma senhora prepara chá para duas pessoas.

Papelada Soberana Lala Severi
Uruguai, 2015, 3 min

Um funcionário público que passa suas horas arquivando expedientes é surpreendido por um papel em branco que vai lhe mostrar várias possibilidades de caminho. Uma breve história da “burocracia” e uma referência simbólica à falta de liberdade dos seres humanos.

Masha Natasha Marie Losier, Cécile Tollu-Polonowski, Janin Halish, Fred Burle
Alemanha, 2015, 15 min

Um retrato íntimo de duas artistas russas, Masha e Natasha, que têm trabalhado juntas desde que tinham 3 anos de idade. Um inseparável processo de criação e de vida para duas gêmeas idênticas inseparáveis.

Starring Helen of Troy Miriam Gossing, Stephanie Glauber
Alemanha, 2014, 7 min

Starring Helen of Troy trata da encenação misógina de “Helena de Troia” como ideal de beleza e figura feminina mitológica através do cinema. Imagens de 18 diferentes representações de Helena realizadas ao longo de 90 anos de história do cinema estão presentes em “Starring Helen of Troy” e são apresentadas de forma paralela ou justaposta, produzindo em seu arranjo uma nova narrativa. Guiada através de comentários críticos em off e impulsionado pela natureza violenta dos deuses, o filme mostra a Ilíada com base em rostos e emoções de muitas Helenas de Troia.

Die Ballade von Ella Plummhoff Barbara Kronenberg
Alemanha, 2015, 28 min

Ao mesmo tempo em que enfrenta uma prova de matemática decisiva que determina se passará para a próxima série, Ella, na 8ª série, sonha com o último verão: lições de amor de seu grotesco professor de balé, aulas particulares com um “sabe-tudo” da 7ª série, seu primeiro beijo e seus permanentemente irritantes pais. Uma visão interessante sobre o despertar da primavera de Ella Plumhoff.

Contrast Carmen Büchner
Alemanha, 2013, 4 min

Todo mundo sabe disso, todo mundo adora: um prado no verão. Um mar de cores brilhantes e formas delicadas. Um paraíso para os inúmeros animais. Alguns vivem no subsolo, outros na moita de capim. No entanto, o prado é tudo, menos um lugar tranquilo. Se você olhar de perto, pode ver e ouvir a constante batalha furiosa pelo habitat colorido. Um destes moradores pertence a uma das ordens mais diversas de insetos: o besouro. Devido a seus diferentes modos de vida, os besouros estão em diferentes processos de reorganização, de enriquecimento e de decomposição na e sobre a terra. Para o homem, é uma luta invisível pela a existência e manutenção do equilíbrio natural.

Serviço

Dire©toras – Mulheres no Cinema
Dias: 15 e 16 de julho
Horário: 18h30 (Brasília)
Local: Cine Brasília
Endereço: EQS 106/107 Sul
Entrada franca, mediante a retirada de convite no Cine Brasília
Filmes: Som original em alemão/espanhol/português, com legendas

Anterior Série Super Libris no SescTV
Próximo Otávio Vip na Bamboa