CineSesc estreia mostra Futuros Presentes: Cinemas Europeus com filmes que convidam a uma leitura atenta do mundo contemporâneo

A partir da próxima quarta-feira, 24 de fevereiro, produções recentes da Alemanha, Dinamarca, Espanha, França, Itália, Reino Unido e Suíça chegam à plataforma do Sesc Digital, numa parceria do Sesc São Paulo com a Eunic (European Union National Institutes for Culture)

Para assistir, acesse: sescsp.org.br/futurospresentes

De 24 de fevereiro a 17 de março, o CineSesc recebe uma programação especial de títulos que fazem parte da Mostra Futuros Presentes: Cinemas Europeus, parceira do Sesc São Paulo com a Eunic (European Union National Institutes for Culture), rede de institutos culturais europeus no mundo, que visa fortalecer a colaboração entre instituições europeias e intensificar a cooperação e o diálogo com as realidades culturais locais nos países nos quais atua.

Instituições de sete países participantes do projeto – Alemanha, Reino Unido, Suíça, Espanha, Dinamarca, Itália e França – disponibilizarão um filme cada, a ser exibido na mostra online, cuja proposta curatorial é, para além de entreter, refletir sobre assuntos relevantes do debate global contemporâneo. O polo EUNIC São Paulo reúne Aliança Francesa, British Council, Consulado Geral de França, Consulado Geral da Suíça, Instituto Cervantes, Instituto Cultural da Dinamarca, Instituto Italiano de Cultura e Goethe-Institut.

No dia 24/02 estreiam na plataforma do Sesc Digital os filmes “Música e Apocalipse” e “A Grande Muralha Verde”. Em 03/03 é a vez dos títulos “Cidadão Nobel” e “Antártida: Uma Mensagem de Outro Mundo”. No dia 10/02, “Vênus: Vamos Falar de Sexo” e “Selfie”. E encerrando a programação da mostra Futuros Presentes: Cinemas Europeus, no dia 17/03, entra em cartaz a obra “O que nos Move?”. Os filmes serão exibidos em sescsp.org.br/futurospresentes. Para saber mais sobre todas as obras, a disponibilidade e a quantidade de visualizações de cada uma delas, consulte a programação abaixo.

A obra de ficção alemã “Música e Apocalipse”, de Max Linz, abre a programação da mostra no Sesc Digital. A cientista climática Phoebe Phaidon é contratada pelo Instituto de Cibernética da Universidade de Berlim para assumir o seminário “Introdução a Estudos de Simulação”, de Brenda Berger, chefe do instituto. Brenda precisa se dedicar ao seu projeto que é financiado externamente, na esperança de evitar a ameaça de paralisação de seu instituto pelo conselho universitário.

Phoebe é obrigada a trabalhar no projeto e um consultor corporativo é contratado como coach motivacional para os funcionários do instituto. Enquanto isso, o professor Alfons Abstract-Wege ganha atenção com um projeto sobre controle nutricional. Os alunos de Phoebe suspeitam de um interesse corporativo por trás da pesquisa de Abstract-Wege e interrompem as operações diárias, ocupando a biblioteca da universidade. Phoebe viaja para uma conferência na Polônia com seu colega Julius Kelp para decifrar o segredo por trás do apocalipse iminente. O tempo está se esgotando.
Classificação indicativa: 14 anos.

Já o documentário do Reino Unido “A Grande Muralha Verde”, de Jared P. Scott, com produção-executiva do brasileiro Fernando Meirelles, acompanha Inna Modja, cantora e ativista do Mali, em uma jornada épica pela Grande Muralha Verde da África – uma ambiciosa iniciativa para fazer crescer um “muro” de oito mil quilômetros de árvores, que se estende por toda a largura do continente para restaurar a terra e fornecer um futuro para milhões de pessoas. Atravessando Senegal, Mali, Nigéria, Níger e Etiópia, Modja segue a crescente Grande Muralha Verde pela região do Sahel, revelando as graves consequências da degradação severa do solo e da aceleração da mudança climática. A muralha visa combater o aumento da desertificação, da seca, da escassez de recursos, da radicalização, dos conflitos e da migração. O documentário foi exibido na 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em 2019. Classificação indicativa: 12 anos.

PROGRAMAÇÃO MOSTRA FUTUROS PRESENTES: CINEMAS EUROPEUS

ESTREIAS 24/02

MÚSICA E APOCALIPSE

Weitermachen Sanssouci | Dir.: Max Linz | Alemanha | 2019 | 80 minutos | Ficção | 14 anos
A cientista climática Phoebe Phaidon é contratada pelo Instituto de Cibernética da Universidade de Berlim para assumir o seminário “Introdução a Estudos de Simulação” de Brenda Berger, chefe do instituto. Brenda precisa se dedicar ao seu projeto que é financiado externamente – uma simulação virtual das mudanças climáticas – na esperança de evitar a ameaça de paralisação de seu instituto pelo conselho universitário. Tudo depende de uma avaliação bem-sucedida no final do semestre. Phoebe é obrigada a trabalhar na simulação, e um consultor corporativo é contratado como coach motivacional para os funcionários do instituto. Enquanto isso, o professor Alfons Abstract-Wege ganha atenção com um projeto sobre controle nutricional. Os alunos de Phoebe suspeitam de um interesse corporativo por trás da pesquisa de Abstract-Wege e interrompem as operações diárias ocupando a biblioteca da universidade. Phoebe viaja para uma conferência em Gdańsk, Polônia com seu colega Julius Kelp para decifrar o segredo por trás do apocalipse iminente. O tempo está se esgotando. O Dia do Julgamento está amanhecendo.

[Disponível por 30 dias]

A GRANDE MURALHA VERDE

The Great Green Wall | Dir.: Jared P. Scott | Reino Unido | 2019 | 92 minutos | Documentário | 12 anos
Com produção-executiva de Fernando Meirelles, o filme acompanha Inna Modja, cantora e ativista do Mali, em uma jornada épica pela Grande Muralha Verde da África – uma ambiciosa iniciativa para fazer crescer um “muro” de oito mil quilômetros de árvores que se estende por toda a largura do continente para restaurar a terra e fornecer um futuro para milhões de pessoas. Atravessando Senegal, Mali, Nigéria, Níger e Etiópia, Modja segue a crescente Grande Muralha Verde pela região do Sahel -um dos lugares mais vulneráveis da Terra, onde as temperaturas estão subindo 1,5 vezes mais rápido que a média global-, revelando as graves consequências da degradação severa do solo e da aceleração da mudança climática. A muralha visa combater o aumento da desertificação, da seca, da escassez de recursos, da radicalização, dos conflitos e da migração.

[Disponível até 600 visualizações]

ESTREIAS 03/03 Mostra Futuros Presentes: Cinemas Europeus

CIDADÃO NOBEL

Citoyen Nobel | Dir.: Stéphane Goël | Suíça | 2019 | 76 minutos | Documentário | Livre
O Prêmio Nobel de Química de 2017 transforma a vida de Jacques Dubochet. Passando das sombras para a luz ele é solicitado de todos os lados. O que ele pode fazer com essa voz, que agora está sendo ouvida por todos? Como definir as lutas a serem travadas? Como se tornar um “Cidadão Nobel” com o objetivo de assumir responsabilidades como pesquisador e membro da comunidade humana? Um discurso de Greta Thunberg vira tudo de cabeça para baixo.

[Disponível por 7 dias]

ANTÁRTIDA: UMA MENSAGEM DE OUTRO MUNDO

Antártida: Un Mensage de Otro Planeta | Dir.: Mario Cuesta Hernando | Espanha | 2019 | 85 minutos | Documentário | 12 anos
Podemos salvar a Antártida sem nos salvar primeiro? A Antártida é o único território do mundo onde todos os países concordaram em promover a paz, a ciência e o meio ambiente. Esse espírito é real ou é hipocrisia? E se é real, por que não podemos extrapolar para o resto do planeta? Este documentário nos torna parceiros de uma aventura emocionante na Antártida onde, com uma mistura de humor, sensibilidade e realismo, conhecemos a região e as características que a tornam um lugar tão particular. Um olhar crítico do nosso mundo para a Antártida.

[Disponível por 30 dias]

ESTREIAS 10/03 Mostra Futuros Presentes: Cinemas Europeus

VÊNUS: VAMOS FALAR DE SEXO

Venus – Let’s Talk About Sex | Dir.:Lea Glob, Mette Carla Albrechtsen | Dinamarca | 2017 | 83 min | Documentário | 14 anos
Duas diretoras estão em busca de mulheres para participar de um filme erótico baseado em suas próprias experiências sexuais. Cem mulheres aparecem para a pesquisa de elenco, mas a audição toma um rumo inesperado. Aos poucos, as personagens passam a controlar as entrevistas com suas histórias pessoais e a honestidade delas revela potencial para criar uma linguagem para a sexualidade feminina. Todas elas mostram vulnerabilidade e coragem e, por meio de cada relato, tentam compreender seus desejos sexuais em uma sociedade civilizada e esclarecida.

[Disponível até 1000 visualizações]

SELFIE

Selfie | Dir.: Agostino Ferrente | Itália | 2020 | 89 minutos | Documentário | 12 anos
Nápoles, Rione Traiano. No verão de 2014, um rapaz de 16 anos, Davide, é confundido com um fugitivo, e é morto por engano. Alessandro e Pietro também têm 16 anos, são amigos fraternos, muito diferentes e complementares, e moram a poucos metros do sítio onde Davide foi morto. Filmado sempre com o celular em modo selfie, o filme retrata a vida destes jovens, a amizade que os une, o bairro, e a tragédia de Davide.

[Disponível até 1000 visualizações]

ESTREIA 17/03 Mostra Futuros Presentes: Cinemas Europeus

O QUE NOS MOVE?

Qu’est-ce Qu’on Attend? | Dir.: Marie-Monique Robin | França | 2016 | 119 minutos | Documentário | 14 anos
Quem diria que a campeã internacional das Cidades em Transição – movimento criado pelo inglês Rob Hopkins que incentiva o desenvolvimento sustentável – é uma pequena comunidade francesa? ”O Que Nos Move?” conta a história de múltiplas iniciativas que permitiram com que Ungersheim, uma pequena cidade na Alsácia, reduzisse sua “pegada ecológica”, ou seja, o consumo da população humana sobre os recursos naturais.

[Disponível por 14 dias]

CINESESC

Um dos cinemas de rua mais queridos da cidade, o CineSesc iniciou seu funcionamento em 21 de setembro de 1979, no número 2075 da rua Augusta, na cidade de São Paulo, e se dedica à missão de fomentar a difusão do cinema de qualidade, exibindo obras que muitas vezes ficam fora do circuito comercial nas salas de cinema e plataformas online. Sua programação inclui grandes e pequenas produções do mundo todo.

Além de integrar o corpo de curadores em mostras especiais, o CineSesc também recebe festivais importantes do calendário cinematográfico paulistano, como a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Festival Mix Brasil e o Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, entre outros. O cuidado com a programação tem reconhecimento do público e da crítica, que o elegeu, por diversas vezes, a melhor sala especial de cinema na cidade de São Paulo.

SIGA O CINESESC NAS REDES:

Facebook Twitter Instagram

Fase Beta

As versões da plataforma do Sesc Digital encontram-se em fase beta, ou seja, novidades e melhorias serão implementadas a partir das interações que se desenvolverem entre o público e os recursos. Além disso, o catálogo será expandido periodicamente, englobando novas temáticas e linguagens.

+ SESC DIGITAL

A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado. Por essa razão, o Sesc apresenta o Sesc Digital, sua plataforma de conteúdo!

Saiba+: https://www.sescsp.org.br/sescdigital

CLIQUE ABAIXO E ACESSE + CONTEÚDOS SOBRE  👇
  #MÚSICA   #TEATRO&DANÇA   #GASTRONOMIANODF   #RECEITAS  
#ARTESVISUAIS   #FILMES   #SÉRIES   #TVABERTA&ASSINADA
 #LITERATURA   #TURISMO   #EVENTOS

SIGA E CURTA AS NOSSAS REDES SOCIAIS
  FACEBOOK/DIVERSAOAQUITEM   INSTAGRAM/DIVERSAOAQUITEM
TWITTER/DIVERSAOAQUITEM

Anterior Durante, abre convocatória para inscrições para artistas
Próximo Monkey Jhayam feat. Enme e Terra Treme em: “Kolapso”