Mostra filmes da República Dominicana


Mostra exibe filmes recentes e premiados da República Dominicana, programação inclui títulos que estão entre os melhores filmes do país caribenho, duas sessões diárias no Cine Brasília, com entrada franca, exibições também no Instituto Cervantes, no sábado, dia 2 de abril

A relação entre a República Dominicana e o cinema é antiga: foi iniciada em agosto de 1900, na cidade de Puerto Plata, com a primeira exibição cinematográfica dos irmãos Lumière na América Latina. Desde então, o país caribenho vem produzindo excelentes títulos, com presença marcante em festivais internacionais. Agora, o brasiliense terá oportunidade de ver, em primeira mão no Brasil, uma seleção de filmes recentes e premiados, alguns deles constando na lista dos melhores de todos os tempos no país. Trata-se da mostra NOVO CINEMA DOMINICANO, uma realização da Embaixada da República Dominicana no Brasil e da Direção Geral do Cinema Dominicano, que acontece no Cine Brasília, de 31 de março a 3 de abril – exibições também no Instituto Cervantes, na tarde e noite do sábado, 2 de abril. O melhor: entrada franca.

NOVO CINEMA DOMINICANO inclui 11 títulos, entre ficções e documentários de curtas e longas-metragens, produzidos a partir de 2014. São filmes como a comédia de humor negro La Gunguna (2015), um sucesso estrondoso de público e crítica na República Dominicana, recordista de indicações ao Prêmio La Silla, outorgado pela Associação Dominicana de Profissionais da Indústria do Cinema, com 23 indicações. E o documentário Você e Eu, sobre a relação de poder e solidão entre uma patroa e uma empregada, que conquistou prêmios como o Especial do Júri em Cartagena de Índias e o de melhor longa documentário do Nuevo Cine Latinoamericano de La Habana.

A mostra será inaugurada na quinta-feira, dia 31, com Dólares de Areia, escolhido para representar o país no Oscar 2016 e premiado como Melhor filme no Festival do Cairo. O filme é protagonizado por Geraldine Chaplin, que recebeu três premiações como melhor atriz por seu desempenho, nos festivais de Chicago, Havana e Nashville. Mas há ainda o juvenil Algum Lugar, indicado como melhor filme pelo público dos festivais de Miami e San Diego, que mostra um retrato contemporâneo da sociedade dominicana através da história de três adolescentes que percorrem o país; a comédia De Pez em Cuando, considerada uma obra-prima de Francisco Valdez, premiada em festivais tão diversos quanto Costa Rica e Romênia; e o pungente documentário Branco, que marca a estreia do cineasta Melvin Durán, premiado como melhor filme no Festival de Cine Documental de República Dominicano y el Caribe, e que apresenta a vida de seis pessoas albinas habitantes de Constanza, a cidade mais alta do país.

CINEMA DOMINICANO – A produção cinematográfica da República Dominicana foi intensificada a partir de 2000, com a criação de mecanismos de incentivo. Hoje, é um dos instrumentos mais férteis de divulgação do país e importante veículo de construção da identidade cultural do povo dominicano. O cinema da ilha – que integra o arquipélago das Grandes Antilhas, no Caribe -, é caracterizado por ser independente e tratar com frequência de temas sociais. Embora o país tenha pouco mais 48.400 quilômetros quadrados e 10 milhões de habitantes, o ambiente cinematográfico conta com oito grandes festivais. São eventos como o Cine Global Dominicano, a Mostra Internacional de Cine de Santo Domingo, o Festival Internacional de Cine de Fine Arts e o Festival Internacional de Cine Independente de Santiago.

PROGRAMAÇÃO

CINE BRASÍLIA

31/03 (Quinta-Feira) – Abertura
20h30 – Dólares de Areia (Dólares de Arena), de Laura Amelia Gusmán e Israel Cárdenas
(Drama/República Dominicana/México/Argentina/85min/2014) ( Sessão aberta ao público)

01/04 (Sexta-Feira)
19h – Você e Eu (Tu y Yo), de Natalia Cabral (doc/comédia/drama/R. Dominicana/85min/2014)
Curtas: Tetos Quebrados (Techos Rotos) (17min), de Yanillys Péres, e Colheita (Cosecha) (6’50”), de Wendy Espinal
21h – Branco (Blanco), de Melvin Durán (Doc/Biografia/R. Dominicana/62min/2014)
Curta: Tetos Quebrados (Techos Rotos) (17min), de Yanillys Peres

02/04 (Sábado)
17h20 – Sob as Tendas (Bajo las Carpas), de Johanné Gómez (Doc/R. Dominicana/52min/2014)
Curta: Colheita (Cosecha) (6’50”), de Wendy Espinal
19h00 – De Pez en Cuando, de Francisco Valdez (comédia/R. dominicana/80min/2014)
Curta: Rollout (10min), de Andrés Farías

03/04 (Domingo)
17h20 – Algum Lugar (Algún Lugar), de Guillermo Zouain (aventura/drama/72’/2015)
Curta: Sexta Santa (Viernes Santo) (16min), de Carlos Reyes
19h00 – La Gunguna, de Ernesto Alemany (ação/comédia/crime/87min/2015)
Curta: Sexta Santa (Viernes Santo) (16min), de Carlos Reyes

INSTITUTO CERVANTES

02/04 (Sábado)
16h30 – Curtas: Tetos Quebrados (Techos Rotos) (17min), de Yanillys Peres, e Colheita (Cosecha) (6’50), de Wendy Espinal

17h – Branco (Blanco), de Melvin Durán (Doc/Biografia/R. Dominicana/62min/2014)

18h – De Pez en Cuando, de Francisco Valdez (comédia/R. dominicana/80min/2014)

20h – Dólares de Areia (Dólares de Arena), de Laura Amelia Gusmán e Israel Cárdenas
(Drama/República Dominicana/México/Argentina/85min/2014)

SINOPSES (POR ORDEM DE EXIBIÇÃO)

– DÓLARES DE AREIA (Dólares de Arena, República Dominicana/México/Argentina, 2014, 85min, Drama)
Direção e roteiro: Israel Cárdenas & Laura Amelia Guzmán
Elenco: Geraldine Chaplin, Yanet Mojica, Ricardo Ariel Toribio
Sinopse: Noelí, uma jovem dominicana, viaja toda tarde para as praias de Las Terrenas, situadas na costa noroeste do país, internacionalmente conhecidas pela beleza e pelo intenso turismo. Lá, junto com o namorado, procura formas de tirar vantagem e ganhar alguns dólares à custa de algum turista, dentre as centenas que circulam pelo local. Entre seus clientes ocasionais, Noelí mantém um fixo: Anne, uma francesa de meia idade que, com o passar do tempo, encontrou na ilha um refúgio ideal para passar seus últimos anos de vida. O noivo de Noelí se faz passar por seu irmão e elabora um plano para que ela vá para a França e de lá envie dinheiro para ele todos os meses. Para Noelí, a relação com Anne é baseada, primordialmente, na conveniência, ainda que os sentimentos se tornem ambíguos à medida que o tempo de partir se aproxima.
Sinopse reduzida: Noelí, uma jovem dominicana, perambula pelas praias de Las Terranas, onde ganha alguns dólares à custa dos turistas. Entre eles, Anne, uma francesa de idade madura. O namorada de Noelí elabora um plano para que ela viaje para Paris com Anne e lhe envie dinheiro periodicamente. O que começa como uma relação de conveniência para Noelí se torna mais ambígua à medida que se aproxima o dia da partida.
Trailer: http://www.dailymotion.com/video/x2e9be7_dolares-de-areia-trailer_shortfilms

– VOCÊ E EU (Tú y Yo, República Dominicana, 2014, 85min, Documentário)
Direção e roteiro: Natalia Cabral y Oriol Estrada
Sinopse: La Doña, uma viúva de uns 70 anos, e Aridia, uma jovem criada, vivem juntas num pequeno apartamento cheio de orquídeas no centro da cidade de Santo Domingo. Aridia limpa a casa, La Doña trabalha em seu jardim e, quando não têm muito trabalho, ficam fofocando com as vizinhas. Mas, às vezes, o ambiente fica tenso: La Doña acorda de mau humor, culpa Aridia e quando Aridia tenta se defender, La Doña lembra a ela “qual é o seu lugar”. As duas brigam e não falam uma com a outra. Mas a horas passam, começa a novela na televisão, acontece alguma coisa na vizinhança e, de uma hora pra outra, La Doña e Aridia se aproximando, terminando o dia com algumas risadas… O filme é um pretexto para observar de perto a relação, perceber o que acontece quando as fronteiras se diluem num lugar onde as diferenças de classe e de raça permanecem arraigadas na cultura.
Sinopse reduzida: A relação entre La Doña, uma viúva de 70 anos, e Aridia, sua jovem criada, é cheia de tensões e ambiguidades. Mas no final do dia, nessa casa do centro de Santo Domingo, onde vivem ilhadas entre trabalhos domésticos, elas sabem que, de alguma maneira, só vivem por que têm uma à outra.
Trailer: https://vimeo.com/91707013 https://vimeo.com/91941244

– TECHOS ROTOS (República Dominicana, 2014, 17min, drama)
Direção: Yanillys Perez
Sinopse: Ana, uma adolescente de 12 anos de idade, está sonhando com um vestido branco para usar quando for fazer a Primeira Comunhão. Mas não tem dinheiro para isso. Ela tem que cuidar dos irmãos mais novos, enquanto sua mãe ausente passa o tempo jogando cartas.
Trailer: https://vimeo.com/82914811

– COSECHA (República Dominicana, 2015, 6min50seg, documentário)
Direção: Wendy Espinal
Sinopse: Rosa Iris, filha de Milena, está no último ano da escola rural. A ponto de deixar o campo para seguir estudando na cidade, a menina começa a se dar conta de todo o trabalho e da motivação de sua mãe para seguir adiante… “Quem planta, colhe”, diz o velho ditado.
https://www.youtube.com/watch?list=PLSLFGc0gDArZprw5rI5XE1j2OygDwXrFI&v=TTebjKYwRyI

– BLANCO (República Dominicana, 2014, 62min, documentário)
Direção: Melvin Durán
Sinopse: O cotidiano e o lado humano da vida de seis albinos de diferentes idades e etapas da vida, que têm em comum sua visível condição. Sem saber muito sobre as características do albinismo, estes seres humanos levam a vida com normalidade, apesar de sua aparência exterior, os problemas de visão e as inevitáveis mudanças que o sol produz em sua pele.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=bvfo_BvUchI
Fotos: http://www.promofest.org/films/blanco

– DE PEZ EN CUANDO (República Dominicana, 2014, 80min, comédia)
Direção: Francisco Váldez
Elenco: Luis José Germán, Camila Santana, Itahisa Machado, Hony Estrella, Manolo Ozuna, Irving Alberti, Phillip Rodríguez, Tony Pascual
Sinopse: Ben, um jovem escritor frustrado, está disposto a se matar, quando é interrompido por seu simpático e amistoso vizinho que lhe pede o favor de levar sua filha à universidade. Na volta, Ben conhece, por acidente, uma aeromoça atraente, que lhe pede outro favor: que cuide de seu peixinho dourado que carrega num aquário. Em sua ingenuidade, Ben aceita, sem saber que a aeromoça está sendo seguida por dois matadores que agora têm ele na mira. Numa briga com os valentões, o peixe morre. Sua vizinha o ajuda a encontrar um substituto, antes que a aeromoça volte para buscar sua mascote e caiam por terra as pretensões românticas de Ben.
Sinopse curta: Ben, um escritor frustrado, decidiu por fim a sua vida. Mas quando sua tentativa de suicídio é interrompida inadvertidamente por seu vizinho que veio lhe pedir um favor, sua vida entrará num caos em meio a uma série de desventuras que trarão a seu mundo o toque de realidade que lhe faltava.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=28gX7AoUjgA

– ROLLOUT (Cuba, 2014, 10min, ficção)
Direção: Andrés Farías
Ao não ser reconhecido por uma atriz com quem trabalhou há 20 anos, um projecionista filma a si mesmo e se introduz no filme para tentar reviver o passado, mas descobre seu fracasso ao final da projeção.

– BAJO LAS CARPAS (República Dominicana, 2014, 52min, documentário)
Direção: Johanné Gómez Terrero
Sinopse: Depois do terremoto ocorrido no Haiti, em 12 de janeiro de 2010, 1,5 milhões de pessoas ficaram sem casa, passando a viver em campos de refugiados, desprovidos dos serviços mais elementais. Cinco anos mais tarde, o povo haitiano ainda precisa de ajuda humanitária.
Trailer https://www.youtube.com/watch?v=nCBsWtxSPVA

– ALGÚN LUGAR (República Dominicana, 2015, 72min, ficção juvenil)
Direção: Guillermo Zouain,
Elenco: Arnold Martínez González, Javier Grullón, Victor Alfonso
Sinopse: Oliver está prestes a concluir o ensino médio e então organiza uma viagem pela República Dominicana com seus dois melhores amigos, Hemingway e Moisés. Cada um tem a sua própria razão para embarcar na viagem. Oliver quer dizer adeus a sua namorada Veronica antes que ela se mude para Nova York, para isso deve chegar à remota cidade de Pedernales. Hemingway quer escapar da atmosfera opressiva de sua família. Moisés documenta a viagem como um último adeus a sua paixão pela fotografia, antes de se matricular num curso de engenharia. Partem para o noroeste e, no caminho para Montecristi, encontram Agostinho, um haitiano que vai para a fronteira. No segundo dia de viagem, vão a Estero Hondo, onde conhecem um fotógrafo famoso que lhes ensina a importância de seguir aquilo que nos apaixona. No terceiro dia, vão a Cabo Frances, onde dormem na casa de uma artista chamada Martha, que lhes revela as consequências de uma vida livre. No dia seguinte, um desastre após o outro termina por deixá-los com o carro estragado em Samana, em vez de chegar a Santo Domingo. No quinto dia decidem continuar a viagem usando os transportes públicos. Por fim, conseguem chegar a Pedernales. Através de suas conversas engraçadas, discussões e perspectivas sobre cultura popular, identidade nacional e política emerge um retrato icônico da sociedade Dominicana. E a viagem que começa como uma celebração da amizade acaba sendo um último adeus.
Sinopse curta: Depois de concluírem o ensino médio, três amigos adolescentes, Oliver, Moisés e Hemingway partem para uma emotiva viagem através da República Dominicana. O que seria uma viagem de celebração da amizade termina sendo um adeus final.
Trailer: vimeo.com/gzouain/trailer

– VIERNES SANTO (República Dominicana, 2014, 19min, drama)
Direção: Carlos Reyes
Elenco: Julia Luis, Yela Natividad, Miguel Félix Valdez
Eleazar, um descendente haitiano, trabalha durante muitos anos nos canaviais dominicanos. Cansado de sua rotina diária pesada, em plena Páscoa, ele vai lutar contra este destino.

– LA GUNGUNA (República Dominicana, 2015, 87min, comédia de humor negro)
Direção: Ernesto Alemany
Sinopse: Uma minúscula pistola calibre.22 com uma história pesada por trás, La Gunguna passeia pelo submundo caribenho deixando um rastro de desventura e desgraça por onde passa, em episódios narrados com um marcante tom de humor negro. Um desfile de personagens bizarros e pitorescos – mulheres poderosas, credores mesquinhos, traficantes de armas, jogadores profissionais de bilhar e dominó, militares corruptos – que, motivados ou por vingança ou pelo engano, estão interligados em episódios de tensão, violência e reflexão, em meio a uma sociedade caricata e irônica, onde La Gunguna se transforma num presságio de que as maldições vêm disfarçadas em echarpes de ouro.
Sinopse reduzida: La Gunguna é uma pistola lendária, que teria pertencido ao próprio Benito Mussolini, e que deixa um rastro de infortúnios na vida de quem a possui. O filme narra várias histórias que envolvem a pistola e que eventualmente se entrelaçam.
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=Cn7X1csCIyc
Fotos: www.lagunguna.com

DIRETORES

LAURA AMÉLIA GUZMÁN e ISRAEL CÁRDENAS
Laura Guzmán (1980, Santo Domingo, RD) e Israel Cárdenas (1980, Monterrey, México) dirigiram, escreveram, produziram e fotografaram vários filmes, como Cochochi (2007) e Jean Gentil (2010), ambos com estreia mundial na Mostra de Veneza, e o documentário Carmita (2013). O filme mais recente da dupla, Dólares de Areia (2014), estralado por Geraldine Chaplin, foi premiado em vários festivais internacionais e distribuído na França, Alemanha, Brasil, México, Argentina e EUA. Desde 2007, dirigem a empresa de produção Aurora Dominicana, uma plataforma para produzir cinema de autor na República Dominicana e em outros países da América Latina. Atualmente, estão desenvolvendo o longa Beauty Pageant e Meninos de Ouro, este último em fase de pré-produção.

NATÁLIA CABRAL e ORIOL ESTRADA
Natália Cabral (1981, Santo Domingo, RD) é diretora, roteirista e produtora, formada pela Escola Internacional de Cine e TV de San Antonio de Los Baños, Cuba, e com especialização em documentários pela Academy Baden-Württemberg, na Alemanha. Nascido em 1983, na Catalunha, Espanha, Oriol Estrada é reconhecido por seu documentário Roidy… mas a roda está quebrada, de 2007, e por Far (2010). Em 2012, os dois fundaram a Faula Films, empresa de produção, e em 2014, dirigiram o documentário de longa-metragem Você e Eu.

YANILLYS PÉREZ
Atriz e diretora de origem dominicana, em 2011 escreveu, produziu e dirigiu Del Outro Lado, curta-metragem filmado na República Dominicana numa coprodução francesa. Em 2014, seu curta de ficção Techos Rotos foi selecionado para participar do Festival de Curtas de Clermont Ferrand, na França.

WENDY ESPINAL
Formada pela Escola de Artes e Comunicação UNAPEC, pela Escola Nacional de Artes Dramáticas e mestre em História e Patrimônio Cultural pela Universidade de Sorbonne. Como produtora, trabalhou em muitos projetos de filmes, como O Rei de Havana, Cosmonauta, The Good Shepherd, The Lost City; e especiais de televisão, como Documenta Madrid, Grammy Latino e MTV Video Music Awards. Atualmente, é diretora de produção do filme Cocote, do renomado diretor Carlo de los Santos Nelson.

MELVIN DURÁN
Formado em cinema pela Universidade Autônoma de Santo Domingo e com mestrado em cinema, televisão e mídia interativa pela Universidad Rey Juan Carlos, de Madri, Espanha. Participou de DocLab 5 e do Festival Internacional de Cinema de Guadalajara, no México, com Blanco.

FRANCISCO VALDEZ
Estreia como diretor com Dez Pez em Cuando. O script foi vencedor da primeira edição do FONPROCINE 2012, concurso promovido pela Direção Geral de Cinema da República Dominicana.

ANDRÉS FARIAS
Nascido em 1985, é licenciado em publicidade, com mestrado em cinema, televisão e mídia interativa pela Universidad Rey Juan Carlos, de Madri, Espanha, com especialização em Roteiro e Direção de Cinema Digital pela Escola de Novas Tecnologias (ICC), da mesma cidade. Está atualmente desenvolvendo sua primeira adaptação para o cinema, com o romance Candela´, do autor dominicano Rey Andújar.

JOHANNE GÓMEZ
Produtora e documentarista, formada pela Escola Internacional de Cine e TV de San Antonio de Los Baños, Cuba, e com mestrado em Marketing e Vendas Cinematográficas pela ESCAC, de Barcelona. Atualmente, faz especialização em Pensamento Complexo, Ciência da Complexidade e Teoria do Caos, com Pedro Sotolongo. Em seus documentários, desigualdade social e descolonização são questões latentes.

GUILLERMO ZOUAIN
Diretor, roteirista e produtor dominicano, cuja estreia no cinema foi com Algum Lugar, considerado por muitos uma obra-prima. O filme participou da competição ibero-americana do Festival Internacional de Cinema de Miami, 2015. Ele e sua esposa Wendy Muñiz escreveram o roteiro de um novo filme, vencedor do fundo nacional para roteiros FONPROCINE de 2014.

CARLOS REYES
Nascido em Santo Domingo (1983), é graduado pela Parsons Escola de Design e se desenvolveu como diretor de arte editorial ao explorar a imagem fixa. Sua busca o levou à fotografia de cinema, vista por ele como oportunidade para contar histórias e levar o espectador a outras realidades. Seu curta Viernes Santo é um pequeno ensaio sobre o trabalho de corte de cana.

ERNESTO ALEMANY
Em 1990, mudou-se para Nova Iorque, onde estudou fotografia, especializando-se nas áreas de criação e produção. Entre 1994 e 1996, trabalhou em várias empresas, com produtores dominicanos nas áreas de produção e assistência. Em 1996, participou, como segundo assistente de direção, do filme Sugar Bitter, de Leon Ichazo, e de Dance with me, de Randhal Hanes. Um ano mais tarde, cria sua primeira empresa de produção, a Gaia Cinematografia. Em 2002, dirigiu o filme Bululu e se estabeleceu na cidade de Buenos Aires. Em 2012, criou e dirigiu a série Web Dale-Play, que teve mais de 312 mil visualizações. Em 2015, estreia sua obra-prima, La Gunguna, obtendo grande sucesso de crítico e público.

SERVIÇO

Data: 31 de março a 03 de abril
Local: Cine Brasília (EQS 106/107)
Horários: ver programação
ENTRADA FRANCA

Anterior “Mãos Nós, entre Nós”
Próximo D’Lurdes lança três sabores de pizzas