“O que você acha de assar uma carne e tomar uma cerveja enquanto cantamos umas modas?” O convite seria um chamado social tipicamente brasileiro se o cantor em questão não fosse um dos maiores artistas do país. Pois esse é justamente o desenho do novo projeto de Michel Teló, que chega ao lançamento de seu segundo EP com seis faixas inéditas em “Churrasco do Teló – Vol. 2”, pela Som Livre – ouça aqui.

O cantor também libera o clipe da faixa “Quem falou mentiu” em seu canal do YouTube – assista aquiO projeto foi gravado no interior de São Paulo.

Com a agenda lotada, o sertanejo equilibra programas de TV – um quadro no Fantástico e The Voice -, suas turnês e a alma de compositor. Para além do trabalho, ele é dedicado à família e sempre se faz presente nos dias de folga entre gravações e shows marcados.

O “Churrasco do Teló” é justamente o que ele mais gostava de fazer nos momentos em que não estava na estrada nesses 27 anos de carreira – juntar os amigos para celebrarem a música com comida e bebida boas. O clique veio exatamente dos caminhos diversos que seguiu durante os anos.

Com o “Bem Sertanejo”, que nasceu como um quadro do dominical Fantástico, em homenagem à raiz da música sertaneja, Teló conquistou a devida vitrine para o gênero. Era algo que sentia falta, já que sua produção musical e a dimensão do sucesso que alcançou foram de proporção tão grande que o sertanejo acabou se confundindo um pouco com o pop nessa presença musical massiva.

Após a visita às origens, ele agora pegou o clima intimista dos encontros caseiros ao som de modas e levou para o palco, em 18 canções que são lançadas em três EPs de seis cada. Neste segundo volume, as modas são divididas como ele bem as apelida entre sofrências (mais românticas), músicas de festa (mais agitadas) e modões (quando as conduz como uma bachata dançante).

O grito de guerra do modão veio no primeiro EP “No Quintal”, quando o single foi a grudenta “Casal Modão”. Se naquele registro, o cenário era noturno, neste a gravação acontece em final de tarde, com aquela luz solar característica a energizar um trabalho mais dançante do que o primeiro.

Logo de cara, “Print” abre como uma certa sofrência mas rapidamente corre para um modão, principalmente no refrão onde explica o termo em inglês do título: “Vou apagar o contato dela/ Cheguei no meu limite/ Mas só para garantir vou dar um print”.

“B” (de “Só eu sou seu B/ Besta demais por gostar de você”) vai direto para a sofrência em seu romantismo escancarado em letra, melodia e harmonia, enquanto “Fome de Amor” segue no que Teló caracteriza como música de festa, bem agitada na sanfona, levada de violão e batida dançante.

“Quem Falou Mentiu” mantém o astral lá em cima e a alternância da mistura do arrocha com bachata tem sua vez de novo em “GPS”. É bom explicar que bachata é um tipo de bolero com chá-chá-chá criado na República Dominicana enquanto o arrocha é produto tipicamente brasileiro na mescla da moda (seresta) com forró.

“O Choro é Livre” fecha o combo deste segundo EP da série “Churrasco…” calcado no romantismo e em marcação particular de bateria e percussão com a sanfona.

A turnê tem rodado os resorts do país. Já passou por Atibaia (SP), Itu (SP) e Caeté (MG) desde o final do ano passado. O próximo destino é o Costão do Santinho, em Florianópolis (SC), dia 2 de maio. O Churrasco do Teló já tem passagem confirmada por Araxá (MG), dia 30 de maio, Caeté (MG), dia 08 de agosto, Atibaia, dia 09 de setembro e Alexânia (GO), no dia 07 de novembro. Até que a turnê passe pela sua cidade, pode manter o carvão em brasa, pois a música da festa está garantida.

“Churrasco do Teló – Vol. 2” – Michel Teló

6 faixas

1. Print
2. B (Deixar Eu Ser Seu B)
3. Fome de Amor
4. Quem Falou Mentiu
5. Desobediente (GPS)
6. O Choro É Livre

Sobre a Som Livre

De 1969 para cá o mercado fonográfico mudou, assim como a forma de se consumir música. Hoje, 50 anos depois de sua criação, a Som Livre é muito mais do que uma gravadora, é o espelho musical do país. Uma empresa 100% nacional voltada para a música, seja qual for a sua plataforma e que reflete, através de seus lançamentos, o gosto e o hábito de consumo do brasileiro.

A Som Livre possui diversas frentes de negócios: venda física, digital, shows, licenciamento e editora. Em seu time são mais de 100 artistas e sua editora é uma das mais importantes do país, representando os direitos de compositores nacionais e internacionais. Na linha de shows, a empresa aposta em festivais de música, que acontecem por todo o país, com as marcas Festeja, Viva Mais Música e Arena Pop.

somlivre.com
facebook.com/somlivre
instagram.com/somlivre
twitter.com/somlivre

Anterior Série de filmes de terror no especial “Vai ficar tudo bem?”
Próximo Estão abertas as inscrições para o Prêmio Jabuti 2020