Complexo Cultural do Choro traz Mestrinho em Tributo a Luiz Gonzaga. Projeto quinzenal, oferece uma programação diversificada e para toda família bem no centro da Capital Federal

Gêneros musicais que vão do choro ao forró, palhaçaria, poesia e improviso marcam o final de semana de 22 a 24 de setembro do Complexo Cultural do Choro, que destaca ainda o terceiro show da série “Tributo ao Mestre” com o talentosíssimo sanfoneiro Mestrinho em uma homenagem ao Mestre do Baião, Luiz Gonzaga. A realização do projeto é do Ministério da Cultura e do Instituto Cultural de Educação Musical de Brasília (ICEM), com patrocínio Master da Shell. A programação do projeto é sempre diversificada e inclusiva, pensando em toda família e incluindo todas as faixas etárias.

A Shell entende ser fundamental o fomento à cultura como ponte para o desenvolvimento e a cidadania. O Complexo Cultural do Choro traduz esses valores ao desenvolver atividades que englobam diversas áreas culturais e diferentes públicos, contribuindo para o empreendedorismo e o desenvolvimento da cidadania”, ressalta Glauco Paiva, gerente de Comunicação e Responsabilidade Social da Shell Brasil.

O sergipano Mestrinho fará duas apresentações, nos dias 22 e 23 de setembro, às 20h30. Tendo o forró como marca registrada, o cantor, compositor e instrumentista garante que esse ritmo nacionalmente conhecido abre espaço para o pop e R&B, trazendo toda energia do melhor da Música Brasileira. Em 2021, Mestrinho lançou o álbum “Solitude”, um disco que foi todo concebido durante o período de isolamento da pandemia global, em um momento em que o artista teve como companhia apenas a sua sanfona. São 16 faixas com músicas instrumentais, exceto a canção “Navegando juntos” que contém letra.

No sábado, a programação inicia às 10h com a tradicional Roda de Choro dos Alunos e Professores da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello. Em seguida, a concorrida Feijoada com Samba, evento já conhecido e aguardado pelos frequentadores do Clube do Choro.

“É uma grande honra poder compartilhar o trabalho da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello em um projeto tão importante para a cultura brasileira, como este do Complexo Cultural do Choro. Ao som do choro, os brasilienses têm a oportunidade de apreciar o gênero musical que expressa com tanta riqueza e autenticidade a música instrumental brasileira”, destaca Reco do Bandolim, presidente do Clube do Choro de Brasília.

No domingo, 24, a programação é gratuita e inclui a interpretação em libras, iniciando às 16h com o “Piquenique Chorão”. É chegado o momento de reunir a criançada para assistir ” Isto é Mágica” com a multiartista Manu Castelo Branco, que, com quase 25 anos de profissão, criou e coordena o Encontro de Palhaças de Brasília – Festival Palhaças do Mundo, uma mostra bienal composta essencialmente por palhaças que existe desde 2008. Vale ressaltar também o projeto Pipocando Poesia, uma vitrine viva dos produtos culturais e de poesia da palhaça Matusquella, que também é a criadora e coordenadora da Circa Brasilina, o primeiro picadeiro feminista do Brasil. Na apresentação do Complexo, Matusquella inverte a tradição circense onde o mágico é sempre um homem com poderes mágicos. Às mulheres é dada a participação através da figura da ajudante. Pensando em romper esses estereótipos, apresentamos um mágico que erra algumas mágicas, se atrapalha em outras e que é uma palhaça.

Às 17h é chegado o momento do Choro Livre Convida, onde o Regional Choro Livre dividirá o palco com o gaitista brasiliense Pablo Fagundes, o cavaquinista Léo Benon e o flautista Sergio Morais.

E para finalizar, Adiel Luna estará no comando do “Domingo no Clube”, com o trabalho “Adiel Luna canta Coco Pernambucano”. A proposta do show é promover um passeio pelos vários tipos de Coco do Estado de Pernambuco. O repertório autoral conduz a uma viagem no tempo, mostrando a manifestação desde sua forma mais pura e encantadora – como cantiga de trabalho – até como modalidade mais elaborada de rimas e métricas. Único representante da renovação do coco de improviso pernambucano, Adiel Luna tem um precioso trabalho de pesquisa e resgate da manifestação e um diálogo íntimo com mestres coquistas tradicionais do Estado. Na apresentação, ele brinca, improvisa e explora os toques, as pisadas e os versos nas mais diversas métricas e em lindas melodias, cantando e encantando todos os presentes. Será uma apresentação imperdível.

Oficinas

O segundo módulo da oficina oferecida pelo projeto acontecerá em 20 e 27 de setembro, das 16 às 18 horas. O tema é: “O tempo e o som do Brasil do século XX – O Surgimento da MPB, e será ministrada pelo professor e músico Gabriel de Campos Carneiro. A oficina é destinada a alunos e professores de instituições públicas, público em geral e pessoas com deficiência visual que serão atendidas pelo projeto por meio da audiodescrição.

Os interessados podem se inscrever pelo e-mail: [email protected] . A oficina é gratuita e será emitido certificado de participação. Ao longo do projeto serão disponibilizadas 190 vagas por oficina, sendo 50% delas direcionadas para alunos de escolas públicas de música visando a formação para o ecossistema da música e a capacitação de jovens para o ambiente profissional.

Sobre a Shell Brasil:

Há 110 anos no país, a Shell é uma empresa de energia integrada com participação em Upstream, no Novo Mercado de Gás Natural, Trading, Pesquisa & Desenvolvimento e no Desenvolvimento de Energias Renováveis, com um negócio de comercialização no mercado livre e produtos ambientais, a Shell Energy Brasil. Aqui, a distribuição de combustíveis é gerenciada pela joint-venture Raízen, que recentemente adquiriu também o negócio de lubrificantes da Shell Brasil. A companhia trabalha para atender à crescente demanda por energia de forma econômica, ambiental e socialmente responsável, avaliando tendências e cenários para responder ao desafio do futuro da energia.

Confira a programação do primeiro final de semana de junho:

22 de setembro, sexta-feira

20h30 – Mestrinho em Tributo ao Mestre Luiz Gonzaga
23 de setembro, sábado
10h – Roda de Choro dos Alunos e Professores da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello
12h – Feijoada com Samba
20h30 – Mestrinho em Tributo ao Mestre Luiz Gonzaga
24 de setembro, domingo
16h – Piquenique Chorão, com o espetáculo “Isso é Mágica” da palhaça Matusquella
17h РChoro Livre convida: Pablo Fagundes, L̩o Benon e Sergio Morais
18h45 – Domingo no Clube, com Adiel Luna canta Coco Pernambucano

Serviço

Complexo Cultural do Choro de Brasília
Dias: 22, 23 e 24 de setembro (sexta-feira, sábado e domingo)
Endereço: Espaço Cultural do Choro – Setor de Divulgação Cultural – Eixo Monumental.
Telefone: (61) 3226-3969
Acesso livre e gratuito, com exceção do Tributo ao Mestre, ingressos em https://www.bilheteriadigital.com/tributo-ao-mestre-luiz-gonzaga-22-de-setembro
https://www.bilheteriadigital.com/tributo-ao-mestre-luiz-gonzaga-23-de-setembro
Valor: R$ 50 (meia-entrada) / R$ 100 (inteira).
Classificação indicativa: livre para todos os públicos.