A mostra Michel Ocelot é uma oportunidade de conhecer ou rever os filmes do mestre do cinema de animação 

De 24 de setembro a 6 de outubro de 2019, a mostra Michel Ocelot apresenta, com entrada gratuita, curtas e longas-metragens do renomado diretor de animação francês, além da pré-estreia de “Dilili em Paris”, mais recente longa do cineasta

Criador do famoso personagem Kiriku, o francês Michel Ocelot é um mestre do cinema de animação. Dono de um trabalho refinado, com uma rica paleta de cores, as obras de Ocelot encantam espectadores de todas as idades, apresentando técnicas que vão desde o tradicional teatro de sombras até recursos tão modernos quanto o 3D. O universo lúdico do diretor, inspirado em contos de fadas e mitos africanos e árabes, contribui para compor filmes de temática e estética únicos.

Com entrada gratuita, a mostra, em cartaz no CCBB Brasília entre 24 de setembro e 6 de outubro de 2019, é uma oportunidade de conhecer ou rever os filmes de Michel Ocelot. A programação traz sete longas e cinco curtas-metragens do diretor – entre eles, Os três inventores, ganhador do BAFTA Film Award, em 1981. Outros destaques da mostra são a pré-estreia de Dilili em Paris (2018), premiado com o César 2019 de melhor animação, e As aventuras de Azur e Asmar (2007), em cópia 35mm. Todos os curtas são legendados e os longas-metragens contam com sessões legendadas e dubladas.

São 16 sessões abertas ao público e outras 16 sessões exclusivas para escolas, nas quais os alunos terão a chance de debater questões relacionadas ao filme com um arte-educador. O folder, pensado para o público infantil, traz um minicaderno de atividades.

Nascido em 1943, Michel Ocelot, que hoje vive em Paris, passou a infância na Guiné, antes de se mudar na adolescência para a cidade francesa de Anju. A vivência em um país africano o marcou profundamente, e isso se reflete em vários de seus filmes, cujas temáticas perpassam tanto a África negra quanto a África árabe.

O diretor ficou mundialmente conhecido em 1998, com seu filme Kiriku e a Feiticeira, sucesso de crítica e bilheteria. Seus filmes foram selecionados para os maiores eventos cinematográficos do mundo, como o Festival de Animação de Annecy (principal referência para o gênero), o Festival de Cannes (com o filme As aventuras de Azur e Asmar) e o Festival de Berlim, no qual concorreu ao Urso de Ouro com o filme Contos da noite (2011).

Sua produção mais recente é Dilili em Paris, de 2018. Ocelot assina também o videoclipe da música Earth intruders, da cantora islandesa Björk.

A mostra Michel Ocelot é uma produção da Fumaça Filmes e tem curadoria de Fábio Savino.

Programação 

24 de setembro (terça-feira)
19h: Kiriku e a Feiticeira (1998, digital, 70’, livre, legendado)

25 de setembro (quarta-feira)
19h: Contos da noite (2011, digital, 84’, livre, legendado)

26 de setembro (quinta-feira)
19h: Príncipes e princesas (1999, digital, 70’, livre, dublado) **sessão de acessibilidade (com close-caption, libras e audiodescrição)

27 de setembro (sexta-feira)
19h: Dilili em Paris (2018, digital, 90’, livre, legendado)

28 de setembro (sábado)
14h: Contos da noite (2011, digital, 84’, livre, dublado) **sessão Miúda
17h: Príncipes e princesas (1999, digital, 70’, livre, dublado)

29 de setembro (domingo)
15h: As aventuras de Azur e Asmar (2007, 35 mm, 101’, livre, dublado)
17h: Os três inventores (1980, digital, 13’, livre, legendado)
+ A lenda do pobre corcunda (1982, digital, 7’, livre, legendado)
+ A bela dama e o feiticeiro (1991, digital, 4’, livre, legendado)
+ A pastora que dança (1991, digital, 9’, livre, legendado)
+ O príncipe das joias (1991, digital, 13’, livre, legendado)

1º de outubro (terça-feira)
19h: Kiriku e os animais selvagens (2005, digital, 75’, livre, legendado)

2 de outubro (quarta-feira)
19h: Os três inventores (1980, digital, 13’, livre, legendado)
+ A lenda do pobre corcunda (1982, digital, 7’, livre, legendado)
+ A bela dama e o feiticeiro (1991, digital, 4’, livre, legendado)
+ A pastora que dança (1991, digital, 9’, livre, legendado)
+ O príncipe das joias (1991, digital, 13’, livre, legendado)

3 de outubro (quinta-feira)
19h: As aventuras de Azur e Asmar (2007, 35 mm, 101’, livre, legendado)

4 de outubro (sexta-feira)
19h: Kiriku: os homens e as mulheres (2012, digital, 90’, livre, legendado)

5 de outubro (sábado)
15h: Kiriku e a Feiticeira (1998, digital, 70’, livre, dublado)
17h: Kiriku e os animais selvagens (2005, digital, 75’, livre, dublado)

6 de outubro (domingo)
15h: Kiriku: os homens e as mulheres (2012, digital, 90’, livre, dublado)
17h: Dilili em Paris (2018, digital, 90’, livre, legendado)

Filmes 

Longas-metragens 

DILILI EM PARIS (Dilili à Paris)
2018, 95 min, digital, cor, legendado
Durante sua primeira visita à Paris, a jovem Dilili precisa desvendar os misteriosos sequestros de várias meninas, que estão assombrando a cidade luz durante a Belle Époque. Para isso, ela encontrará amigos extraordinários, como Monet, Rodin, Santos Dumont e muitos outros, que irão ajudá-la a combater os Mestres do Mal e resgatar as garotinhas.

KIRIKU: OS HOMENS E AS MULHERES (Kirikou et les hommes et les femmes)
2012, 90 min, digital, cor, legendado e dublado
No terceiro filme da trilogia, Kiriku é chamado para salvar sua aldeia de perigos sobrenaturais e humanos, o que ele faz com muita astúcia e humor. Contado por seu do avô, Homem Sábio que vive na Montanha Proibida, o filme entrelaça uma coleção de fábulas misturando narrativa tradicional e mitologia com pedaços de humor e sagacidade.

CONTOS DA NOITE (Les contes de la nuit)
2011, 84 min, digital, cor, legendado e dublado
Todas as noites, uma menina, um menino e um velho técnico se reúnem em um pequeno cinema. Embora o lugar pareça abandonado, ele é cheio de magia. Os três amigos pesquisam, inventam, desenham e se vestem como diversos personagens. Em cada noite, encenam uma história, uma fantasia. Há bruxas e fadas, reis poderosos, lobisomens, mulheres belas e cruéis, catedrais e cabanas de palha, cidades de ouro e florestas escuras.

AS AVENTURAS DE AZUR E ASMAR (Azur & Asmar)
2007, 101 min, 35mm, cor, legendado e dublado
Quando Azur e Asmar eram pequenos, foram amamentados pela mesma mulher, a mãe de Asmar e babá de Azur. Ela sempre contava a história da Fada dos Djins, aprisionada numa gruta de luz, esperando por um salvador. Educados como dois irmãos, eles foram cruelmente separados e só se encontram, já crescidos, como rivais, quando partem em busca da fada.

KIRIKU E OS ANIMAIS SELVAGENS (Kirikou et les bêtes sauvages)
2005, 75 min, digital, cor, legendado e dublado
O avô de Kirikou apresenta as desventuras do garoto, cuja altura não alcança nem o joelho de uma pessoa normal. O homem conta como Kirikou aprendeu a ser jardineiro, detetive, artesão, médico, comerciante e viajante, percorrendo os diversos recantos da África.

PRÍNCIPES E PRINCESAS (Princes et princesses)
1999, 70 min, digital, cor, legendado e dublado
Uma menina e um menino encenam fantásticas peças de teatro de sombras, auxiliados por um velho técnico desempregado. As crianças se transformam em herói e heroína de seis contos e viajam para todos os cantos do mundo, indo do passado remoto ao futuro distante. Príncipes e princesas é uma animação criativa que deslumbra crianças de todas as idades, mostrando a beleza do antigo Egito, a poesia da arte japonesa, o romance da Idade Média e os prodígios do ano 3000.

KIRIKU E A FEITICEIRA (Kirikou et la sorcière)
1998, 71 min, 35mm e digital, cor, legendado e dublado
O desenho animado traz o fascínio da tradição africana numa história que celebra a coragem, a curiosidade e a astúcia. Baseado num conto da África Ocidental sobre uma comunidade subjulgada por uma terrível feiticeira contra a qual o pequeno Kirikou luta para preservar sua aldeia das forças do mal. Um gênero inovador, oposto aos estúdios Disney, com imagem e música originais. Vencedor do Grande Prêmio em Annecy (Festival International du Film d’Animation)

Curtas-metragens

O PRÍNCIPE DAS JÓIAS (Le prince des joyaux)
1991, 12 min, digital, cor, legendado
O conto das mil e uma noites coloca em cena um jovem homem que, para poder desposar uma princesa, deve entregar uma montanha de pedras preciosas ao pai da pretendida.

A PASTORA QUE DANÇA (La bergère qui danse)
1991, 9 min, digital, cor, legendado
Um jovem pastor toca flauta, deixando uma fada encantada a cada nota. A fada o corteja, mas ele se recusa sistematicamente devido ao enorme amor que nutre por uma pastora. Ofendida, a fada captura o jovem pastor e faz com que ele fique na torre do sono, bem longe de sua amada.

A BELA DAMA E O FEITICEIRO (La belle fille et le sorcier)
1991, 4 min, digital, cor, legendado
Uma menina feia e introvertida está entregue à própria sorte. Um dia, seu caminho se cruza com o de um feiticeiro “caído do ceú”. Ele a transforma em uma encantadora princesa da Idade Média. Contudo, ele não é capaz de acabar com sua solidão.

A LENDA DO POBRE CORCUNDA (La légende du pauvre bossu)
1982, 7 min, digital, cor, legendado
Uma princesa espera por seu príncipe. Diversos pretendentes ricos se apresentam, oferecendo tesouros. Um corcunda tenta chegar à princesa oferecendo algumas flores, mas é impedido. Defrontado com o ódio e o desprezo, ele revela o segredo de sua doença para buscar outros horizontes.

OS TRÊS INVENTORES (Les trois inventeurs)
1980, 13 min, digital, cor, legendado
Três inventores criam belas máquinas, mas quando as mostram às pessoas, elas não as querem, e acham que os inventores são bruxos.

Serviço 

Michel Ocelot 

Cinema do CCBB Brasília (SCES Trecho 2)
De 24 de setembro a 6 de outubro (de terça a domingo)
Horários e classificação indicativa disponíveis no site www.bb.com.br/cultura e no facebook.com/ccbb.brasilia
Entrada: sessões gratuitas mediante retirada de ingresso na bilheteria do CCBB a partir das 9h do dia da sessão – limite de quatro ingressos por CPF.

Anterior Só Reparos apresenta seu espaço na CASACOR Brasília 2019
Próximo O livre brincar do Circo Tangolangomanco