Filme Me Deixe Não Ser, de Bernardo Felinto, ganha prêmio no New Jersey Indian & International Film Festival (EUA)

O filme Me Deixe Não Ser leva mais um troféu. Após passar pelo Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (2018), pelo Brazil Cine Fest (2018), no Rio de Janeiro (RJ), ser selecionado para o Downtown Urban Arts Festival (2019), na cidade de Nova York (EUA), estrear em Brasília, no Liberty Mall, e levar prêmio de melhor roteiro no Script And Film Festival, em Los Angeles.

O ator que também assina como roteirista do curta-metragem, Bernardo Felinto, acaba de ganhar prêmio de melhor escritor no New Jersey Indian & International Film Festival, em New Jersey (EUA). A premiação se deu no sábado, dia 19 de outubro de 2019.

E Felinto não para. Após viver o vilão Kaara na novela Órfãos da Terra, da emissora Rede Globo, e de viajar com a companhia Os Melhores do Mundo pelo Brasil, o artista multimídia alça voos ainda mais altos. O de conquistar os Estados Unidos. “Fico muito feliz com o prêmio e com a recepção do público. Em breve, volto a Brasília com mais novidades”, promete.

Romance, dúvidas e anseios

O enredo de Me Deixe Não Ser ousa ao retratar problemáticas e ansiedades comuns ao século 21, principalmente daqueles que estão na casa dos 30 anos.

Luísa (Carolina Monte Rosa) é uma jovem com seus trinta e pouco anos que enfrenta uma crise emocional e precisa tomar uma decisão que mudará o rumo de sua vida. Já Rodrigo (Bernardo Felinto) é um jovem escritor que sofre de crise de identidade. Ao se encontrarem por um acaso da vida em um bar, eles passam a viver um intenso romance cheio de paixão, dúvidas e instabilidades.

A trama está traçada. Mas, ela vai além. A produção adentra na problemática individual de cada um dos protagonistas. Diretor premiado, Kleber Macedo optou por uma fotografia que se sobrepõe aos diálogos, que são poucos.

“A linguagem cinematográfica é amplamente explorada, deixando ao espectador o livre pensamento para entrar e tentar decifrar o que se passa na cabeça dos jovens amantes. O roteiro não segue uma ordem cronológica e as cenas vão e voltam a todo tempo, tornando o filme ainda mais surpreendente”, revela Macedo.

Ator e também escritor, Bernardo Felinto teve a ideia do filme em 2017. A produção, totalmente independente, contou com a parceria do amigo Kleber Macedo, que também apostou na ideia. “Eu estava já trabalhando o enredo na cabeça. Nós fomos na garra e gravamos em março de 2018. E caímos de cara em festivais. A história surpreende porque sai do convencional, embora retrate problemas convencionais”, frisa Felinto.

Da Globo para o cinema

Roteirista, ator e um dos produtores do filme, Bernardo Felinto é um dos atores reconhecidos de Brasília. Ele conta com mais de 25 peças de teatro no currículo e diversas passagens pela Rede Globo. Felinto é ainda sócio-fundador do canal de humor Só 1 Minuto (Youtube – Só 1 Minuto), hoje o maior canal de humor do Centro-Oeste.

A produção Só 1 Minuto conta com mais de 18 milhões de visualizações em mais de 100 vídeos produzidos. Bernardo também participou durante quase 10 anos do antigo grupo de comédia de Brasília, De 4 é Melhor.

Recentemente, o ator também deu vida o vilão Kaara em Órfãos da Terra, novela das 18h da Globo.

Kleber Macedo 

Kleber Macedo é empresário e produtor audiovisual com 13 anos de experiência. Ele assina projetos premiados nacionalmente e internacionalmente. Macedo foi o segundo colocado no prêmio nacional Finep de Inovação com o filme UnB CDT (2010). A produção foi roteirizada e dirigida por ele. Ainda, ganhou prata no Festival Lusos (Portugal) na categoria comunicação interna. Agora, ele se prepara para alçar voos com Me Deixe Não Ser.

Anterior Jaques Morelenbaum e Cello Sam3a Trio no Clube do Choro
Próximo Espetáculo é uma aventura para toda a família