A marca brasiliense Mattricaria, idealizada por Maibe Maroccolo, promove três rodadas de oficinas de tingimento com corantes naturais, inspirados nas cores de Brasília, como parte do projeto “Mattricariando Cores do Cerrado”, para resgatar a utilização de pigmentos da região do Centro-Oeste.

As oficinas, de quatro dias de duração – totalizando 16 horas de curso – serão ministradas de 22 a 25 de maio, de 12 a 15 de junho e de 17 a 20 de julho, no Guará I, com oito vagas para cada rodada e participação gratuita. As inscrições estão abertas a partir do dia 15 de abril pelo site www.mattricaria.com.br/. A iniciativa tem como objetivo a sensibilização de artesãos, designers e do público geral sobre a necessidade de modificar a maneira como são utilizados os corantes e pigmentos em produtos têxteis. Esta edição do projeto é acompanhada por uma intérprete de libras, que possibilita aulas inclusivas. Para participar, é realizado processo seletivo, com pré-requisitos por (18 anos) e ser residente em Brasília.

Os corantes químicos, por sua origem e propriedades, são substâncias densas e podem ser tóxicas. A maioria dos corantes é obtida a partir de derivados de petróleo e do carvão mineral por um processo altamente poluente. A oficina engloba uma contextualização do cenário têxtil e o seu impacto no meio ambiente, além de oferecer estratégias sustentáveis para minimizar esse impacto e otimizar a mão de obra artesanal.

“A Capital Federal dispõe de um cenário muito rico para o desenvolvimento sustentável, é possível encontrar plantas tintoriais na região que acrescentam muito aos resultados de cores e texturas. O projeto visa valorizar a a identidade da cidade e promover a biodiversidade brasileira, em especial a do cerrado”, explica Maibe Maroccolo.

Maibe Maroccolo
Maibe Maroccolo | Foto: Divulgação

A designer de moda, que comanda o projeto, conta com sua experiência de mais de 10 anos em trabalhos com corantes naturais, cativada pela infinita cartela de cores que a natureza pode oferecer. Durante seu mestrado na University Of Arts de Londres, concluído em 2010, ela manteve-se engajada com projetos voltados para o desenvolvimento sustentável na indústria da moda.

Maibe mesclou o conhecimento adquirido na Europa com a experiência que já possuía com a utilização de plantas tintoriais tradicionais do Brasil. Assim surgiu o projeto Mattricaria, que visa criar alternativas e difundir o conhecimento sobre a moda sustentável e a slow fashion, educando artesãos, designers e o público em geral. Entre os materiais utilizados estão resíduos comuns das residências, como casca de cebola, espinafre, café, hortelã e chá preto, além de parcerias com estabelecimentos que fornecem matéria prima, como cascas de alimentos e serragens de madeiras.

A oficina é importante para agregar valor aos produtos que são manuseados, seja para o próprio uso ou para a comercialização. Além de enriquecer o trabalho de artesãos e designers, muitas peças que seriam descartadas em casa podem ganhar nova roupagem com a prática do tingimento natural. O contato com esse conhecimento promove o consumo consciente e a conexão com técnicas práticas de pigmentação natural, sua relação com a moda e como isso pode ser colocado em prática no mercado.

“Existe uma relação entre a prática do tingimento natural e o contato com a natureza: é uma forma de se conectar com as plantas da sua região, do seu bairro. Na própria rua, na quadra, é possível encontrar plantas que muitos não conhecem as propriedades tintoriais. Então, a oficina permite você conhecer e se conectar com o que está ao seu redor”, explica Maibe Maroccolo.

Uma outra iniciativa da Mattricaria é o projeto “Qual a cor da sua cidade?”, que reúne pesquisadores e colaboradores em todo o Brasil para mapear, registrar e conhecer mais à fundo o universo dos pigmentos naturais de diversas cidades brasileiras e seus resultados em fibras têxteis. Os colaboradores do projeto são convidados a pesquisar e analisar as plantas predominantes da cidade, enviar amostras coletadas e testes do potencial tintorial, compartilhando o conhecimento com a rede participante da iniciativa.

Participação internacional

A pesquisa e o engajamento com esses projetos renderam à Maibe Maroccolo uma expertise internacional com as técnicas de tingimento natural: em 2018, a marca californiana Olukai, muito difundida nos EUA, convidou Maibe para desenvolver um estudo e pesquisas sobre plantas tintoriais havaianas, com objetivos de desenvolver uma coleção para estampas os calçados da marca. Maibe teve a oportunidade de fazer pesquisas de campo no Jardim Botânico de Honolulu com auxílio de botânicos nativos. A pesquisa rendeu uma colaboração e desenvolvimento de mais de 500 metros de tecidos coloridos com pigmentos naturais, lançada dia 1º de abril.

Maibe também colaborou em parceria com a renomada estilista carioca Gilda Midani, desenvolvendo estampas exclusivas com plantas do cerrado para a coleção Outono/Inverno 2019 da estilista. A marca tem lojas em SP e RJ e showroom em Paris e NYC.

Mattricariando – Cores de Brasília

Quando: 22 a 25 de maio, 9h as 13h;
12 a 15 de junho, 9h as 13h;
17 a 20 de julho, 9h as 13h.
Local: Guará I
Inscrições abertas a partir do dia 15/04
Vagas limitadas: 8 vagas por edição. Total: 24 vagas
Participação gratuita
Disponível no site www.mattricaria.com.br
Acessibilidade: haverá intérprete de libras
Pré-requisitos: 18 anos e residente em Brasília

Anterior Seleção Hurb dos melhores hotéis do nordeste na baixa temporada
Próximo Espetáculo As Beatas no Teatro de Bolso da Companhia da Ilusão