O enólogo português que assina dezenas de rótulos esteve em Brasília para apresentar o Marquês de Borba

Referência mundial em enologia, João Portugal Ramos elabora vinhos em diversas regiões de Portugal. Conhecido pelos rótulos brancos e tintos de grande personalidade, ele estreou no mundo dos espumantes recentemente e vem ao Brasil para o lançamento do Marquês de Borba Brut Rosé, surpreendentemente elaborado no Alentejo.

A surpresa deve-se ao fato de que a região no sudeste de Portugal é conhecida pelas altas temperaturas, o que não é o mais indicado para a elaboração de vinhos espumosos, e também porque a Bairrada é que tem tradição neste tipo de vinho. Porém, a habilidade de João Portugal Ramos, e o trabalho impecável nos vinhedos e na vinícola, possibilitaram a criação deste novo rótulo de elevado frescor e alta qualidade, o que prestigia a vinícola perante os melhores espumantes mundiais.

O enólogo fez este espumante especialmente para o casamento de sua filha. Motivado pela avaliação empolgante dos convidados do evento, deu início à produção deste rótulo, elaborado pelo método champenoise (segunda fermentação na garrafa), que leva na composição as uvas Pinot Noir, Touriga Nacional e Aragonez. A preferência pela casta francesa Pinot Noir, uma das principais na composição dos champanhes, deu-se pela elegância distinta desta uva que, acompanhada das duas outras nativas de Portugal, confere os aromas complexos, o frescor e o final seco e longo em boca, além de apresentar um aspecto límpido, com bolhas finas e persistentes.

João Portugal Ramos é referência mundial e um dos principais representantes de uma nova geração de enólogos portugueses. Após uma longa carreira como enólogo consultor na criação de vinhos nas principais regiões vitivinícolas de Portugal, em 1990 plantou seus primeiros cinco hectares de vinhas na região de Estremoz, no Alentejo, com a missão de ser modelo em nível mundial, conferindo identidade a vinhos diferentes e acessíveis. Aos poucos ampliou sua atuação para outras regiões do país como Tejo, Beiras, Douro e Vinho Verde trabalhando com projetos inovadores e que priorizam a sustentabilidade ambiental e social.

Desde 2007, juntamente com o também enólogo José Maria Soares Franco, possui o projeto Duorum, uma parceria exclusivamente dedicada ao Douro. A vinícola Duorum é um dos grandes orgulhos de João Portugal Ramos e já foi eleita o melhor projeto europeu de gestão de biodiversidade, paisagem e espaço rural. Os vinhos assinados por João Portugal Ramos são trazidos ao Brasil pelas importadoras Porto a Porto e Casa Flora e podem ser encontrados nos melhores restaurantes, lojas especializadas, adegas e super mercados.

Mais sobre o Marquês de Borba Brut Rosé 2014

País/Região: Portugal, Alentejo
Produtor: João Portugal Ramos
Uvas: Pinot Noir, Touriga Nacional e Aragonez
Degustação: Apresenta bolhas finas e persistentes. Aromas complexos, com notas cítricas e de pão torrado. Em boca releva elegância e frescura, com final seco e longo que, no conjunto, se traduz harmonioso.
Harmonização: Ideal como aperitivo, mas também acompanha saladas mediterrâneas, pratos à base de peixes e culinária oriental.

Porto a Porto.
@portoaporto
portoaporto.com.br
facebook.com/portoaporto
instagram.com/portoaporto

Anterior UM É POUCO, DOIS É BOM, TRÊS É MELHOR AINDA
Próximo Márcio Donato (4 Amigos) em "E olha que eu tô sóbrio"