Novo single autoral inicia série de lançamentos e novidades da artista carioca Maria

Como tudo na vida, há diferentes formas de encarar as situações. Um término de relacionamento pode ser encarado como uma tristeza, com dor, ou ser um recomeço, algo que te leve para cima. MARIA escolheu o segundo caminho e traz um hino de reinícios com a autoral “Acabou”, já disponível em todas as plataformas digitais, incluindo o clipe no canal da cantora no YouTube.

O vídeo traz as diferentes facetas de MARIA, o que escancara sua versatilidade. Esbanjando estilo, a cantora desfila diferentes figurinos, que trazem a assinatura de Francine Marson. Dirigido por João Monteiro, que já trabalhou com Pabllo Vittar e Luísa Sonza, as gravações foram feitas no edifício Copan, em São Paulo. Além da artista, quem compõem o clipe são as atrizes que a artista escolheu, representando os diferentes tipos de mulheres. MARIA fez questão também de ter uma mulher mais velha, simbolizando as diversas mensagens que recebeu de mulheres maduras, que tinham superado relacionamentos abusivos após ouvirem sua parte na música “Poesia Acústica #5 – Teu Popô (Remix)”.

“A gravação foi linda. Todo mundo em uma energia muito boa. Tanto a música quanto o clipe têm que transmitir uma vibe que todos se identifiquem e consigam compreender a mensagem. Tudo ficou bem leve, para cima, trouxe essa sensação de calor, de amor e isso que é o mais importante”, compartilha a artista.

Composta por MARIA em conjunto com Anderson Nem, que também assina a produção, a música começa falando de um relacionamento, de lembranças, do fim desta relação, o que poderia levar para um ladro triste, mas que, assim como a história da artista, o copo está sempre cheio. Versos como “Cortei suas asas para enfim voar” e o refrão “Acabou / percebi que não senti nada quando você passou / nem amor, nem ódio, nem mágoa / o que passou, passou”, são hinos para quem vive essa situação e escolhe o caminho da volta por cima.

“A ideia da música é falar da superação de um relacionamento abusivo. Não fala explicitamente, não fala do sofrimento, nem da dor de ter vivido isso, ela fala do pós. Quando já não se sente nada, quando já não se lembra. Mesmo que lembre, isso não dói mais e já está trabalhado na cabeça da pessoa. Fala do sentimento de liberdade, superação e descoberta”, explica MARIA.

Este é o primeiro de uma série de 5 novas músicas que serão lançadas até o fim de outubro. Somado a isso, a artista prepara uma websérie para este segundo semestre, além de outras novidades que serão reveladas nos próximos meses.

Quando se fala em músicas e shows, MARIA é entretenimento. Gosta de transmitir boas energias e alegrar as pessoas. E assim, fazê-las esquecerem de seus problemas, contas, cônjuges e o caos do Brasil por uma hora. Teatral, intérprete e sempre com a mania de inovar, MARIA busca em seus shows, apresentações e clipes usar um pouco de todos os meios da arte. MARIA é a favela passeando pelo mundo, e mostrando a ele, que favelas são muito mais que problemas socioeconômicos e sexualidade. Favela é poder.

Bio MARIA

MARIA é uma jovem mulher, nascida e criada na favela da Cidade Alta, e que hoje, aos 19 anos, começa a descobrir o mundo à sua volta. Tem como missão ocupar, transmitir ideias e fazer uma ponte entre a favela e tudo que habita fora dela. Uma menina de fé, garra e muita sensibilidade. Oscila entre sua sensualidade e sua ironia, pois também é de atitude.

Apesar da juventude, tem histórico e trajetória no mundo artístico para preencher três gerações já. Logo aos 3 anos MARIA começou com a ideia de que queria ser atriz e entrou para o grupo “Arte em Alta”.

Em 2014 estrearam a peça “Um Olhar Carioca”, uma homenagem a Chico Buarque e que foi levada ao Teatro Princesa Isabel, em Copacabana, onde ganhou prêmio de melhor produção. Na peça, MARIA cantava “Cálice”.

Dali para os bares da Zona Norte da cidade foi um pulo, apesar da idade reduzida. Ganhou experiência como cantora e de palco interpretando de tudo – de suas principais referências, como Alcione, Vanessa da Mata, à MPB de Caetano, Djavan, ao funk de Ludmila.

Iniciou em paralelo uma carreira como modelo até que trocou um trabalho estético por uma oportunidade musical. A Pineapple Storm a convidou a participar do projeto “Poesia Acústica #2”, onde ao lado de Delacruz, Ducon, Luiz Lins, Diomedes, BK’ e Kayuá cantaram “Sobre Nós”. Era para anunciar os novos talentos do hip hop e cultura de rua. Dá-lhe anúncio! O clipe, lançado no segundo semestre de 2017 já ultrapassou a incrível marca de 329 milhões de views no YouTube. A produtora a convocou para o registro seguinte, #3, onde cantou “Capricorniana” com Sant, Tiago Mac, Lord e Choice. Novo estouro de popularidade com mais de 204 milhões de views. Sua terceira participação veio no “Poesia Acústica #5 – Teu Popô (Remix)”, ao lado de Hodari, Ducon, Chris, Kayuá, Don L e Luccas Carlos, que ultrapassa mais de 15 milhões de streams e 41 milhões de views.

Em meio ao sucesso estrondoso de suas participações no projeto “Poesia Acústica”, onde coletivo de novos talentos do hip hop nacional gravam, MARIA dá sequência ao seu trabalho solo com a Sony Music, que começou com “Toda Vez”, música que já conta com mais de 4 milhões de visualizações.

Siga MARIA

Instagram: https://www.instagram.com/euMARIA/?hl
Facebook: https://www.facebook.com/euMARIAoficial/
Twitter: https://twitter.com/laMARIArt

Anterior Maria Chiquinha é a música mais procurada de Sandy e Junior
Próximo Longa Veneza, de Miguel Falabella, tem trailer divulgado