Técnica desenvolvida pelo artista plástico Marcos Araújo serve como instrumento didático para jovens em situação de vulnerabilidade social criarem, coletivamente, painéis em espaços públicos nas Regiões Administrativas onde vivem

Artista plástico autodidata, Marcos Araújo desenvolveu a técnica, que será repassada aos jovens, a partir da experimentação com o simples desenho do ‘boneco de palito’. De três formas geométricas básica, a ‘linha’, que dá corpo ao boneco, o ‘círculo’, que forma à cabeça, e o ‘triângulo’, com a junção das pernas por um traço reto embaixo, “o processo se torna mais variado na combinação deles, “a complexidade vai aumentando passando pela composição de formas abstratas até chegar na habilidade de criar um desenho figurativo e mais elaborado”, garante Marcos.

A técnica foi carinhosamente intitulada pelo artista de “A Teoria da Relatividade Abstrata”, em referência à Teoria da Relatividade, de Albert Einstein, que discorre sobre o movimento dos corpos no espaço. O processo até a pintura dos painéis se dá na realização de duas oficinas, com 15 participantes e de 30hs de duração (cada), com finalização na produção coletiva de pintura e revitalização de dois muros. “Nas oficinas, também serão trabalhados temas sobre Patrimônio Público, cidadania e conservação”, comenta Marcos.

Como forma de valorização do trabalho, nos dias das inaugurações dos murais e na presença dos familiares, cada participante receberá um cachê simbólico de participação.

Os jovens que participam do projeto, encaminhados pelo CRAS das Regiões Administrativas, muitas vezes já sofreram abusos ou violência doméstica e, segundo Virshna Al Cunha, idealizadora do projeto, “o propósito é envolvê-los num projeto artístico que elevará a autoestima e vontade de superação, por meio da participação ativa na criação, produção e realização de Intervenção Urbana”. Os locais escolhidos são o Centro Comunitário Zilda Arns, no Varjão, e o Espaço Viver, na Estrutural.

Para Marcos Araújo, “a realização desta ação vem da minha vontade como artista de estar em contato com jovens de poucas oportunidades de educação e cultura e instrumentalizá-los artisticamente para ações que modifiquem suas vidas”. Com a pintura de muros, acrescenta o artista, “o intuito é mostrar formas de contribuir positivamente para cidade, ocupar lugares públicos e tirar proveito disto”.

Inauguração do mural no Varjão: 8 de fevereiro, sexta-feira, às 11h30: Centro Comunitário Zilda Arns
Inauguração do mural na Estrutural: 1º de março, sexta-feira, às 16h: Espaço Viver

A teoria da relatividade abstrata | Foto: Virshma Al Cunha
Anterior Sweet Cake inova com almoço executivo e massas
Próximo Lu Andrade apresenta seu projeto Lu M&G em Brasília