Cantor e compositor Marcelo Marcelino se apresenta nesse sábado (22/2) em tributo a Raul Seixas no Conic; no domingo (23) será uma das atrações da terceira noite do “Carnarock” na Blitz (904 Sul); e na segunda-feira (24) representará Brasília no festival baiano “Palco do Rock”

O cantor e compositor brasiliense MARCELO MARCELINO tem missão tripla nesse Carnaval: no sábado (22/2) ele participará da “Folia do Raul”, tributo a Raul Seixas que movimentará o Conic, a partir das 13h, e contará também com as presenças da DJ Vivi Seixas (filha de Raul) e dos músicos/bandas S.O.S. Toca Raul, Rickardo Kábula, Tika Seixas, Cazela, Alínea 11 e Grande Soluça. Entrada franca e classificação indicativa livre.

No domingo (23/2) ele se apresentará na terceira noite do Carnarock Brasília – 20ª edição, que acontecerá na Blitz Lounge Bar (Clube da Asceb, 904 Sul), ao lado das bandas Autoramas (RJ)Marimbondo, Cães de Aluguel e The Griffos. Ingressos a R$ 40 (antecipados pelo link www.sympla.com.br/o-verdadeiro-carnarock—20a-edicao__773848 ou para quem chegar até 21h) e R$ 50 (após 21h). Classificação: 18 anos.

E na segunda-feira (24/2), Marcelo será o único representante de Brasília no tradicional festival baiano Palco do Rock, realizado há 26 anos na Praia de Piatã, em Salvador, que terá no line up artistas/bandas da Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraíba, Alagoas e Sergipe, entre outros estados.

Em 2019, Marcelo Marcelino fez shows em diversas regiões do Distrito Federal e Entorno (Samambaia, Guará, Valparaíso, Jardim Ingá, SIA, Taguatinga, Gama, Setor de Oficinas Sul e Águas Claras), incluindo a abertura para a veterana banda Plebe Rude no Galpão 17 (em agosto). Lançou uma segunda versão do videoclipe “Profecia de Mendigo”, música bastante conhecida de seu repertório.

O próprio artista é o responsável pela direção, roteiro e produção do vídeo disponível no YouTube: youtu.be/O1gLV3cRUu4“Profecia de Mendigo” faz parte do álbum solo de estreia, “MARCELO MARCELINO”, que saiu em outubro de 2017 e rendeu como primeiro videoclipe a música “Caminhos Perdidos”youtube.com/watch?v=yYCPoyX9sIk.

Em 2020 ele estreou com apresentação no aniversário de 20 anos no Distrito Federal do MC Abutres (Sobradinho). E até o segundo semestre está previsto o lançamento do segundo álbum solo, ainda em fase de composição.

SOBRE O ARTISTA

MARCELO MARCELINO emergiu artisticamente na segunda metade dos anos 1990 como líder do Sem Destino, banda formada no Jardim Ingá, cidade do Entorno do Distrito Federal. O quarteto lançou dois álbuns – “Sem Destino” (1998) e “Cem anos de solidão” (2002) –, fez centenas de shows pelo país e tocou em importantes festivais, incluindo o Porão do Rock (2000) e o Rock In Rio (2001). Depois de muito tempo afastado da cena musical, ele “reencarnou” nesta década com a banda Madrenegra, pela qual lançou o EP “Quem Tem o Que Dizer Merece Ser Ouvido” (2014) e o álbum “Todo Sonhador é Viciado em Esperança” (2016), retornando ao Porão do Rock por duas vezes (2012 e 2014) e ainda se apresentando em outros eventos independentes como Palco do Rock (na Bahia) e River Rock (Santa Catarina). “Em outubro de 2016 encerrei a Madrenegra e a vida me perguntou se eu ainda continuaria a fazer da música o meu caminho. Respondi compondo umas 40 canções e já planejando o que seria a minha carreira solo”, esclarece.

Em 2017, Marcelo Marcelino foi ao Electro Sound Studio, em Santos (SP), para gravar o primeiro disco solo, com as participações do baterista André Pinguim (ex-Charlie Brown Jr.), do produtor e guitarrista André Freitas e do tecladista Maru Monhawk, “MARCELO MARCELINO”, o álbum, independente, traz 14 canções que retratam a carreira do artista desde os primórdios até o momento, onde ele toca violão, gaita, guitarra, baixo, bandolim, ukulele e kazoo, com uma sonoridade que remete ao folk. As letras inteligentes, recheadas de poesia, são o elemento-chave das canções e passeiam por temas universais como amor, liberdade, solidão, amizade e combate ao preconceito. “Minha principais referências nesse trabalho são o ‘Álbum Branco’, dos Beatles – cujo espírito era retomar a simplicidade depois de toda a sofisticação estética e tecnológica de ‘Sgt Peppers’ –, e ‘Bringing All Back Home’, de Bob Dylan, onde o acústico e o elétrico se complementam pra reforçar canções cujo texto se sustenta por si mesmo”, explica Marcelo Marcelino, que traz ainda influências musicais de Raul Seixas, Renato Russo e Belchior.

O repertório solo também inclui músicas que ele escreveu antes mesmo de montar a primeira banda. Afinal, poucos têm o privilégio de compor uma canção que continue forte e interessante mesmo 20 anos depois de ser escrita. Herdeiro de uma vertente do rock nacional que prima pela qualidade das letras e a força da mensagem, MARCELO MARCELINO é um artista cujo trabalho passa a fazer parte da vida daqueles que o escutam. Ouça no volume máximo!

CONHEÇA MARCELO MARCELINO

Sitewww.marcelomarcelino.art.br
Facebookwww.facebook.com/marcelino11111
Youtube (ouça o álbum de estreia completo)www.youtube.com/watch?v=-K6BZzI3pB4
Videoclipes:
“Profecia de Mendigo” (nova versão) –  youtu.be/O1gLV3cRUu4
“Caminhos Perdidos” –  youtube.com/watch?v=yYCPoyX9sIk
Twittertwitter.com/marcelinomr
Instagram: @marcelinoo1111

SERVIÇOS

FOLIA DO RAUL
Dia: 22/2 (sábado)
Horário: a partir das 13h
Local: Conic (Setor de Diversões Sul)
Atrações: S.O.S. Toca Raul, Rickardo Kábula, Marcelo Marcelino, Tika Seixas, Cazela, Alínea 11 e Grande Soluça + DJ Vivi Seixas
Entrada: franca
Mais informações: www.facebook.com/events/660434518093609
Classificação indicativa: livre

CARNAROCK BRASÍLIA 2020 – 3ª NOITE
Dia: 23/2 (domingo)
Horário: a partir das 20h
Local: Blitz Lounge Bar (Clube da Asceb, 904 Sul)
Atrações: Autoramas (RJ), Marimbondo, Marcelo Marcelino, Cães de Aluguel e The Griffos
Entrada: R$ 40 (antecipados pelo link www.sympla.com.br/o-verdadeiro-carnarock—20a-edicao__773848 ou para quem chegar até 21h) e R$ 50 (após 21h)
Mais informações: www.facebook.com/events/1104941313176457
Classificação indicativa: 18 anos

Anterior Divinas Tetas comemora 5 anos na segunda de carnaval
Próximo Última semana do Festival Panelas da Casa