O livro Manotopia: Como o Vale do Silício tornou-se um clubinho machista narra como o Vale do Silício é uma utopia moderna em que qualquer um pode mudar o mundo. A não ser que você seja mulher.

Para as mulheres do campo da tecnologia, essa área tão cobiçada não é uma terra de fantasia com unicórnios, arco-íris de realidade virtual e pirulitos impressos em 3D, onde milhões de dólares crescem em árvores. É na verdade, uma “manotopia”, na qual os homens dão todas as cartas e fazem todas as regras. Em desvantagem numérica, as mulheres enfrentam locais de trabalho tóxicos, repletos de discriminação e assédio sexual, em que investidores realizam reuniões em banheiras de hidromassagem e fazem contatos em festas sexuais.

Nesta exposição poderosa, a jornalista da Bloomberg Television, Emily Chang, revela como Vale do Silício se tornou extremamente sexista, apesar de seus ideais utópicos, porque a cultura masculina persevera, apesar de décadas de reinvindicações morais de empresas, como “Não seja Malvado!” ou “Conecte o Mundo!” e como as mulheres estão finalmente começando a se expressar e a lutar.

Com uma vasta rede de contatos dentro do Vale do Silício, Chang abre as portas de empresas de capital de risco dominadas por homens como Kleiner Perkins Caufield & Byers; da discriminação de gênero de Ellen Pao; e da Sequoia Capital, onde um parceiro outrora famoso disse que não “diminuiriam seus padrões” apenas para contratar mulheres. Entrevistas com Sheryl Sandberg, COO do Facebook, Susan Wojcicki, CEO do YouTube, e Marissa Mayer, ex-CEO do Yahoo! revelam como é difícil romper a “Barreira do Silício”. E Chang mostra como mulheres como a ex-engenheira da Uber Susan J. Fowler, a empreendedora Niniane Wang e a desenvolvedora de jogos Brianna Wu arriscaram suas carreiras, e até suas vidas, para abrir caminho para outras mulheres.

A cultura de trabalho agressiva e misógina do Vale do Silício afastou as mulheres da maior criação de riqueza já vista no mundo. É hora de desfazer o clubinho machista. Emily Chang mostra como consertar essa cultura tóxica e acabar com a manotopia de uma vez por todas.

Sobre a autora

Emily Chang é âncora e produtora executiva do Bloomberg Technology, um programa de TV diário, e do Bloomberg Studio 1.0, que regularmente conversa com os principais executivos de tecnologia e mídia, investidores e empreendedores. Foi correspondente da CNN de Pequim e Londres, e ganhou cinco prêmios regionais do Emmy por seu trabalho. Ela mora em São Francisco com o marido e três filhos.

Sobre o livro

Titulo: Manotopia: Como o Vale do Silício tornou-se um clubinho machista
Autor: Emily Chang
Páginas: 320
Valor: R$59,90

Anterior Bob’s investe na expansão e promove encontro em Brasília
Próximo Diálogos Contemporâneos – Quinto encontro com Grace Passô