“Malasartes e o Duelo com a Morte” vence Grande Prêmio do Cinema Brasileiro na categoria “Melhor Efeito Visual”. Longa produzido pela O2 Filmes tem mais de 50% das cenas geradas por computação gráfica

O longa-metragem “Malasartes e o Duelo com a Morte”, dirigido por Paulo Morelli e produzido pela O2 Filmes, venceu a categoria “Melhor Efeito Visual” do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. A produção é de Andrea Barata Ribeiro, Bel Berlinck e Paulo Morelli.

Sob a supervisão de Ricardo Bardal, o time de artistas da O2 Pós trabalhou por mais de dois anos no filme, considerada a produção com a maior quantidade de efeitos especiais da história do cinema nacional.

Mais de 50% das cenas foram geradas por computação gráfica, em um trabalho que mobilizou cem artistas durante dois anos. Na premiação “Malasartes” concorreu com outros quatro longa-metragens na mesma categoria.

Nesta edição o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro homenageou a atriz Fernanda Montenegro.

Sobre o filme

Lançado nos cinemas em agosto de 2017, “Malasartes e o Duelo com a Morte” traz Malasartes (Jesuíta Barbosa) enfrentando dois grandes inimigos! Próspero (Milhem Cortaz) faz de tudo para impedir que sua irmã, Áurea (Ísis Valverde), namore o rapaz.

Já a Morte (Júlio Andrade) quer tirar férias depois de dois mil anos e pretende enganar o malandro para que ele assuma seu lugar.

O posto é cobiçado pela bruxa Parca Cortadeira (Vera Holtz) e pelo assistente da Morte, Esculápio (Leandro Hassum). Com personagens deste e do outro mundo se unindo contra ele, Malasartes terá que usar toda a sua esperteza para sair ileso da confusão.

O2 Filmes

No mercado desde 1991, a O2 trabalha com as principais agências brasileiras e presta serviços de produção para o mercado internacional, além de produzir conteúdo reconhecido e premiado em todo o mundo.

Anterior Netflix anuncia Spectros, a nova série original brasileira
Próximo The Secret Society: uma das bandas curitibanas + comentadas