Bate-papo acontece no instagram do Cabíria Festival, que incentiva o protagonismo feminino dentro e fora das telas

O Cabíria Prêmio de Roteiro e o Cabíria Festival – Mulheres & Audiovisual, iniciativas destinadas a celebrar e incentivar o protagonismo de mulheres no audiovisual, promovem um bate-papo com a atriz Maeve Jinkings em seu Instagram (@cabiria_festival) na quinta-feira, 2 de julho, às 15h, sobre o tema “A mulher na tela – por trás das personagens”. O encontro é parte da série de lives, realizadas semanalmente, com uma rede de profissionais do audiovisual. Dentre os variados assuntos, já se discutiu “articulação política no setor audiovisual”, “representatividade nas salas de roteiro”, “roteiro para plataformas digitais”, entre outros.

Atriz de cinema e TV e preparadora de elenco, com trabalho reconhecido pelo público e crítica, Maeve Jinkings acumula trabalhos premiados com diretores consagrados como Carlos Reichembach, Kleber Mendonça, Renata Pinheiro, Gabriel Mascaro, Gabriela Amaral Almeida e Walter Salles. A mediação da conversa será feita por Marília Nogueira, idealizadora do Prêmio Cabíria, que também assina a direção do Festival, é roteirista e diretora premiada com obras curtas em festivais no Brasil e no exterior.

Prêmio Cabíria – Inscrições abertas

A 5ª Edição do Cabíria Prêmio de Roteiro  está com inscrições abertas até 31 de julho, através do site www.cabiria.com.br. Roteiros e argumentos de autoria feminina ou escritos em coautoria com roteiristas mulheres podem concorrer à premiação. Esse ano, o Prêmio traz novidades, como a criação da categoria “piloto de série documental”, que se soma às já existentes: “longa de ficção”, “argumento infantojuvenil de longa de ficção” e “piloto de série de ficção”. As narrativas inscritas devem contar com ao menos uma protagonista feminina. A temática é livre.

Para as inscrições até dia 10 de julho, a taxa tem valor promocional de R$50. De 11 a 31 de julho, será a tarifa regular de R$80. Roteiristas mulheres PcD, negras, indígenas e pessoas trans poderão requisitar gratuidade nas inscrições, mediante formulário simplificado de autodeclaração, conforme regulamento no site oficial do Prêmio Cabíria.

A premiação é parte do Cabíria Festival – Mulheres & Audiovisual, que em sua primeira edição, em novembro de 2019, ocupou diversos espaços do Rio de Janeiro com exibição de longas e curtas-metragens, além de debates, painéis, oficinas e palestras sobre narrativa audiovisual, diversidade, representatividade e equidade de gênero no setor. Com direção e produção executiva de Vânia Matos (Laranjeiras Filmes), o evento se prepara para uma segunda edição digital, com data a confirmar no segundo semestre.

O Prêmio Cabíria conta com o apoio do Projeto Paradiso, Vídeocamp, Série Lab, FRAPA (Festival do Roteiro Audiovisual de Porto Alegre) e ROTA (Festival do Roteiro Audiovisual). Outras parcerias ainda estão sendo fechadas.

Sobre o Prêmio Cabíria

Idealizado por Marília Nogueira sob o lema “Por mais mulheres nas telas e atrás das câmeras”, o Prêmio Cabíria foi lançado em 2015. Seu nome resgata uma célebre personagem de Federico Fellini no filme “Noites de Cabíria”, eternizada pela atriz Giulietta Masina. Sua criação colocou em pauta três objetivos principais: estimular roteiristas a criarem histórias com protagonistas mulheres relevantes, diversas e inspiradoras; converter o prêmio em um selo de qualidade para os projetos premiados, visando a ampliação das suas chances de encontrar financiamento e chegar às telas; e contribuir para o aumento de oportunidade e visibilidade a roteiristas mulheres. Em suas quatro edições (2016-2019), o prêmio recebeu inscrições de 427 roteiros protagonizados por mulheres, realizou duas bem-sucedidas campanhas de financiamento coletivo e distribuiu R$ 40 mil em prêmios.

Em 2019, o primeiro lugar na categoria “longa-metragem” foi para Rafaela Camelo, pelo roteiro “Sangue do meu sangue”. O segundo lugar para Sofia Federico, com “Tempo meio azul piscina”, e o terceiro para Caroline Biagi por “O Sol e o Peixe”. Na categoria “piloto de série”, o prêmio principal foi para Gautier Lee, por “PMS: Post Motherhood Sisters”. O segundo lugar para Alessandra Pajolla e Renata Lago, por “O Silêncio das Flores”, e o terceiro para Juliana Benetti Victoria, por “SQN 402”. Na categoria “argumento infantojuvenil”, as vencedoras foram Marina Luísa da Silva, com “Cora”, e Beatriz Crespo, com “Martina no Futuro”.

Siga nas redes: Instagram @cabiria_festival /Facebook facebook.com/cabiriafestival

Laranjeiras Filmes

Foco na produção criativa de conteúdos originais e projetos audiovisuais que conciliem excelência estética, impacto social e potencial de comunicação. Com sede no Rio de Janeiro, aberta para o mundo, a produtora, sob as perspectivas de renovação de processos produtivos e no impulsionamento de novas vozes, se organiza em dois núcleos: a Laranjeiras Filmes atende demandas de perfil executivo, consultivo e gerencial de projetos, enquanto o selo Fruto Conteúdo é direcionado para o desenvolvimento criativo e estratégico de conteúdos para todas as mídias e telas. Acredita nos potenciais transformadores da soma de experiências plurais e do trabalho colaborativo para a realização de projetos relevantes, diversos e inspiradores. www.laranjeirasfilmes.com

Anterior Setebelos é a grande atração do Festival Drive-in neste sábado
Próximo 3 motivos para ler histórias com meninas protagonistas