MacaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo terá mais cinco dias de filmes de terror na plataforma Darkflix. Mostra promovida pelo Centro Cultural Banco do Brasil reexibe longas e curtas-metragens mais pedidos pelo público entre 25 e 29 de novembro

Depois de quase um mês dedicado aos filmes de terror brasileiros a mostra macaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo, promovida pelo Centro Cultural Banco do Brasil, vai oferecer uma segunda chance para o público assistir aos filmes. De 25 a 29 de novembro, a mostra reexibe 38 longas e curtas-metragens na plataforma darkflix.com.br/macabro, serviço de streaming do gênero Cinema Fantástico. Nos próximos dias, serão 22 longas e 16 curtas.

A primeira fase da mostra aconteceu entre 28 de outubro e 23 de novembro e teve mais de 400 mil acessos à plataforma. Oferecendo um passeio sinistro pela produção audiovisual de terror 100% brasileira, a programação também contou com palestras, lives, cursos, debates e homenagens à cineasta Gabriela Amaral Almeida, ao diretor Dennison Ramalho, à produtora Vermelho Profundo e ao eterno José Mojica Marins, o Zé do Caixão, cujos trabalhos poderão ser conferidos novamente.

Entre os longas-metragens estão na lista “Morto não Fala”, de Dennison Ramalho, “A Noite Amarela”, de Ramon Porto Mota, “A Mata Negra”, de Rodrigo Aragão, “A Casa de Cecília”, de Clarissa Appelt, “Através da Sombra”, de Walter Lima Jr., “As Núpcias de Drácula”, de Matheus Marchetti, “A Capital dos Mortos 2: Mundo Morto”, de Tiago Belotti, “Condado Macabro”, de Marcos deBrito, “#ninfabebê”, de Aldo Pedrosa, “O Nó do Diabo”, de Ian Abé, “Canto dos Ossos”, de Jorge Polo e Petrus de Bairros, “O segredo dos Diamantes”, de Helvécio Ratton, “O Caseiro”, de Julio Santi, “O Clube dos Canibais”, de Guto Parente, “Terra e Luz”, de Renné França, “Os Jovens Baumann”, de Bruna Carvalho Almeida, “Quando o Galo Cantar pela Terceira vez Renegarás tua Mãe”, de Aaron Salles Torres, e “Terminal Praia Grande”, de Mavi Simão. Os filmes ficam disponíveis das 18h do dia 25 até 23h59 do dia 29. Já “O Cemitério das Almas Perdidas” de Rodrigo Aragão, pode ser visto das 23h59 do dia 28 até 23h59 do dia 29. Encerrando a programação dos longas, “A Sombra do Pai”, de Gabriela Amaral Almeida, “O Segredo de Davi”, de Diego Freitas, e “O Diabo Mora Aqui”, de Rodrigo Gasparini e Dante Vescio, podem ser conferidos das 13h às 23h59 do dia 29.

Já os curtas-metragens ficam disponíveis a partir das 18h do dia 25 até 23h59 do dia 29. São eles “Estátua!”, “Uma Primavera” e “A Mão que Afaga”, de Gabriela Amaral Almeida. “Amor só de mãe”, “Nocturnu” e “Ninjas”, de Dennison Ramalho. “Cova Aberta”, “Mais Denso que o Sangue” e “Não tão Longe”, de Ian Abé. “O Desejo do Morto”, de Ramon Porto Mota, “O Hóspede”, de Anacã Agra e Ramon Porto Mota, e “Os Mortos”, de Jhésus Tribuzi. Além de “O Saci”, de José Mojica Marins, “A lasanha assassina”, de Ale McHado, animação com dublagem de Zé do Caixão, “Tirarei as medidas do seu caixão”, de Diego Camelo, filme em tributo a Mojica Marins, e “Coração das Trevas” (“Coffin Joe’s Heart Of Darkness”), de Marcelo Colaiacovo, Nilson Primitivo e José Mojica Marins, filme experimental com material inédito filmado por Zé do Caixão.

Além dos filmes, o público terá uma segunda oportunidade de conferir todos os módulos do curso “Trajetória do horror no cinema brasileiro” ministrado pelo curador Carlos Primati e as palestras “Escrevendo histórias de terror para o cinema” com a cineasta Gabriela Amaral Almeida e “Diretoras e o terror” com a pesquisadora Beatriz Saldanha. Para essas atividades o público pode se inscrever gratuitamente via Sympla.

Como forma de diminuir os riscos apresentados pela covid-19, toda a programação segue online. O projeto é patrocinado pelo Banco do Brasil e tem produção da BLG Entretenimento. Conta com curadoria de Breno Lira Gomes – curador do festival Maranhão na Tela desde 2007 e de diversas mostras, como a recente “Stephen King – O medo é seu melhor companheiro” – e Carlos Primati, idealizador da mostra ”Horror no cinema brasileiro”. A dupla selecionou curtas e longas produzidos nos últimos cinco anos, entre 2015 e 2019, com data de lançamento até 2020, que continham forte experimentação visual, histórias horripilantes e marcantes.

Longas-metragens:

Dia 25 de novembro, a partir das 18h, disponíveis até 23h59 do dia 29
O Nó do Diabo, de Ian Abé
A Noite Amarela (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras), de Ramon Porto Mota
Os Jovens Baumann (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras), de Bruna Carvalho Almeida
A Mata Negra, de Rodrigo Aragão
A Casa de Cecília, de Clarissa Appelt
Através da Sombra, de Walter Lima Jr.
Canto dos Ossos, de Jorge Polo e Petrus de Bairros
As Núpcias de Drácula, de Matheus Marchetti
A Capital dos Mortos 2: Mundo Morto, de Tiago Belotti
Condado Macabro, de Marcos deBrito
Morto não Fala, de Dennison Ramalho
#ninfabebê, de Aldo Pedrosa
O segredo dos Diamantes, de Helvécio Ratton
O Caseiro, de Julio Santi
O Clube dos Canibais, de Guto Parente
Terra e Luz, de Renné França
Quando o Galo Cantar pela Terceira vez Renegarás tua Mãe, de Aaron Salles Torres
Terminal Praia Grande, de Mavi Simão

Dia 28 de novembro, a partir das 23h59, disponível até 23h59 do dia 29
O Cemitério das Almas Perdidas, de Rodrigo Aragão

Dia 29 de novembro, a partir das 13h, disponível até às 23h59 do dia 29
O Segredo de Davi (Acessível: Legenda descritiva), de Diego Freitas, limite de 500 visualizações
A Sombra do Pai, de Gabriela Amaral Almeida, limite de 200 visualizações
O Diabo Mora Aqui, de Rodrigo Gasparini e Dante Vescio, limite de 200 visualizações

Curtas-metragens:

Dia 25 de novembro a partir das 18h, disponíveis até 23h59 do dia 29

O Saci, de José Mojica Marins
A Lasanha Assassina, de Ale McHaddo
Tirarei as Medidas do seu Caixão, de Diego Camelo
Coração das trevas, de Marcelo Colaiacovo, Nilson Primitivo e José Mojica Marins
Estátua!, de Gabriela Amaral Almeida
Uma Primavera, de Gabriela Amaral Almeida
A Mão que Afaga, de Gabriela Amaral Almeida
Amor só de mãe, de Dennison Ramalho
Nocturnu, de Dennison Ramalho
Ninjas, de Dennison Ramalho
Cova Aberta, de Ian Abé
Mais Denso que o Sangue, de Ian Abé
Não tão Longe, de Ian Abé
O Desejo do Morto, de Ramon Porto Mota
O Hóspede, de Anacã Agra e Ramon Porto Mota
Os Mortos, de Jhésus Tribuzi

Curso

“Trajetória do horror no cinema brasileiro” com o curador Carlos Primati
Módulo 1: Os primórdios do horror brasileiro (melodramas góticos, comédias de fantasmas e filmes de selva)
Módulo 2: José Mojica Marins e seu legado
Módulo 3: Horror anos 80
Módulo 4: O horror no cinema brasileiro contemporâneo

Palestras

“Escrevendo histórias de terror para o cinema” com a cineasta Gabriela Amaral Almeida
“Diretoras e o terror” com a pesquisadora e crítica de cinema Beatriz Saldanha

Serviço: 

Mostra macaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo (Segunda Chance)
Realização: Centro Cultural Banco do Brasil
Curadoria: Breno Lira Gomes e Carlos Primati
Data: 25 a 29 de novembro.
As exibições serão gratuitas e online na plataforma: darkflix.com.br/macabro
Curso e palestras com inscrições via Sympla

Anterior Black Friday Gastronômica nosrestaurantes da capital
Próximo Marcelo Delacroix faz show online em dezembro